COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

TPT Recomenda: A Casa da Seda, o novo romance de Sherlock Holmes

Sherlock Holmes volta à atividade em um novo e envolvente romance, "A Casa da Seda". Mas espera, o criador do personagem já não morreu há anos? Sim, na verdade, há décadas. Só que esta é uma aventura totalmente nova, e o melhor, autorizada pelos herdeiros de Sir Arthur Conan Doyle, autor da série de livros do detetive mais famoso do mundo. O responsável pela obra é ninguém menos que Anthony Horowitz, criador da série "Alex Rider", que atualmente trabalha no roteiro do segundo filme da trilogia "As Aventuras de Tintim".

Mas vamos falar sobre o livro. No prefácio, ficamos sabendo que esta é mais uma obra escrita por John Watson, biógrafo e companheiro inseparável do detetive. Segundo o doutor, a história que se segue é tão chocante que deverá ficar escondida por cem anos; supostamente por este motivo, nunca ouvimos falar do caso em que Sherlock Holmes investiga a sombria Casa da Seda. Anthony Horowitz consegue cumprir com a promessa, levando o leitor a ficar mais curioso a cada página lida, ansioso para devorar cada capítulo e finalmente descobrir o que é a "Casa da Seda", tão mencionada entre sussurros.

A trama começa de fato no inverno londrino de 1890, depois que um distinto cavalheiro visita o número 221B da Baker Srteet, expondo mais um curioso mistério para o já famoso detetive. A investigação começa assim como qualquer outra, até ser repentinamente interrompida por acontecimentos enigmáticos que levam Holmes e Watson aos subúrbios da capital inglesa, passando por indivíduos, cenários e situações que os deixa cada vez mais mergulhados no caso.

Para os fãs dos livros de Conan Doyle, um ponto muito positivo é que o livro é salpicado por referências e citações a outras aventuras. Personagens memoráveis, pelo menos dois deles com papel-chave na série, têm participação importante - e surpreendente - no desenrolar do caso. Já para os fãs de Tintim, vale destacar um das cenas que, acredite, me fez lembrar o álbum "O Lótus Azul". Lá, o detetive entra em uma casa de ópio semelhante àquela visitada pelo repórter no álbum de Hergé - e os fins para os quais as duas lojas são reservadas também não estão lá tão distantes... Mas voltemos ao livro:

Como leitor assíduo da série original, não lembro de ter visto Sherlock Holmes tão pessoalmente envolvido como nesta história. Seu lado humano é trazido à tona quando o detetive consultor se sente responsabilizado pelo assassinato de um dos Irregulares de Baker Street (como ele chama os meninos de rua que auxiliam em suas investigações). E tudo fica ainda mais tenso depois que Sherlock Holmes acaba sendo acusado de um outro homicídio, e todas as provas indicam que ele é realmente o culpado. Mas qual a relação entre esta morte e a Casa da Seda, e onde entra a trama do primeiro capítulo a esta altura?

Não vou continuar contando a história, porque acho que vale a pena que você mesmo leia. Só posso garantir que o espírito dos contos e romances originais é preservado (apesar do número incomum de páginas - 272), e que a revelação final é digna de qualquer obra de Conan Doyle. Arrisco dizer que esta é uma das mais sinistras conspirações reveladas por Holmes, se não a maior de todas. É, pelo menos, a mais chocante.
Compartilhe:

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Anthony Horowitz diz que Tintim é maior que seu autor

Roteirista escolhido para escrever o segundo filme da planejada trilogia "As Aventuras de Tintim", o britânico Anthony Horowitz concedeu uma entrevista exclusiva à Editora Zahar, na época do lançamento do romance "A Casa da Seda", que traz de volta à ativa o maior detetive de todos os tempos, Sherlock Holmes. Conheça a opinião do escritor sobre a continuidade das obras de Conan Doyle e Hergé após a morte de seus autores.

Tudo o que sabemos sobre o segundo filme de Tintim

Trailer de lançamento do livro, com o prefácio lido por Anthony Horowitz.

Antes de escrever esse livro, qual era a sua relação com Sherlock Holmes e Arthur Conan Doyle?

Eu dei de presente de aniversário para o meu pai as histórias de Sherlock Holmes quando tinha 17 anos. Eu amo, desde sempre, não apenas o mistério e os assassinatos, mas a maravilhosa atmosfera dos livros. Minha história favorita é O signo dos quatro. Eu adoro a ideia de que o mal que começa na Índia pode chegar até os subúrbios de Londres (onde eu moro). Li as histórias duas ou três vezes desde então, sempre com muito prazer.

Na sua opinião, Sherlock Holmes é um personagem tão forte que pode viver mesmo sem o seu autor?

Sherlock Holmes é um dos poucos personagens ficcionais que é maior do que o autor que o criou. James Bond é outro. Tintim um terceiro. É interessante que Doyle tentou matá-lo nas quedas de Reichnbach. Ian Fleming tentou matar Bond duas vezes. E Hergé estava doente e farto de Tintim. E todos os três personagens continuaram a aparecer mesmo depois da morte de seus autores.

Leia mais: Anthony Horotwitz pode estar fora de 'Tintim 2'

Qual foi a parte mais difícil de escrever como Conan Doyle?

A parte mais difícil foi construir uma história que fosse longa o suficiente em palavras (90.000)  ara os meus editores e para o público de hoje. Doyle escreveu quatro novelas com Sherlock Holmes, mas todas têm a metade do tamanho. Também tive que ser muito cuidadoso para ficar invisível. Eu queria que o livro ficasse como se tivesse sido escrito por Conan Doyle. Isso significava obedecer a todas as regras que Doyle estabeleceu em seus livros.

Como você obteve autorização do Conan Doyle Estate?

The Conan Doyle Estate decidiu criar um “selo de aprovação” para um novo escritor – e eles se aproximaram de mim através de um agente. Não tinha nenhuma intenção de escrever A Casa da Seda. Nunca me ocorreu que algum dia eu escreveria uma história de Sherlock Holmes. Mas fiquei muito feliz em ser sondado e demorou cerca de três segundos até eu dizer sim.

Você planeja escrever mais livros com Sherlock Holmes?

Não acredito que possa escrever uma história melhor do que A Casa da Seda, então, não farei uma sequência. Mas planejo uma história de mistério situada na mesma época e no mesmo universo – e Sherlock Holmes fará uma breve aparição. Infelizmente, não posso revelar mais nada!

P.S.: Na próxima postagem, saiba mais sobre o livro "A Casa da Seda", que eu já li e recomendo a todos os fãs de Sherlock Holmes...

Veja também: Anthony Horowitz diz que Tintim é sua inspiração
Compartilhe:

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Além de Tintim: Zé Carioca 70 Anos

Em 1942, no Rio de Janeiro, aconteceu a première do filme "Alô, Amigos", marcando a estreia de um personagem brasileiro no universo de Walt Disney, Zé Carioca. O longa foi produzido para fortalecer a relação entre a América Latina e os Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial, e o papagaio malandro foi escolhido para representar o brasileiro lá fora. Assim nasceu José Carioca, que logo mais dividiu as páginas dos quadrinhos com o Pato Donald, ganhando cada vez mais destaque em aventuras ambientadas no cenário da cidade maravilhosa.


Para celebrar os 70 anos do mais brasileiro dos personagens da Disney, a Editora Abril lança, em outubro e novembro, duas edições especiais de 300 páginas cada uma, que, entre outras coisas, trazem tiras inéditas dos anos 1940, histórias raras de todas as décadas e duas HQs inéditas (anos após a publicação da última HQ Disney nacional) produzidas especialmente para estes especiais.


Capa e contra-capa do volume 1 do especial.

O volume 1 chega às bancas no dia 29 de outubro. A distribuição é regional: primeira fase nas regiões Sul e Sudeste, e em breve nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O volume 2, programado para final de novembro, continua a seleção cronológica de histórias e se encerra com duas HQs brasileiras inéditas, produzidas especialmente para esta ocasião.

Para saber mais sobre os 70 anos de Zé Carioca, leia o especial publicado pelo parceiro Planeta Gibi.
Compartilhe:

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Casterman publica HQ baseada no filme de Spielberg

A editora Casterman publicará em breve uma adaptação do filme "As Aventuras de Tintim" em quadrinhos. Dirigido por Steven Spielberg e Peter Jackson, o filme ganhador do Globo de Ouro 2012 terá sua 1 hora e 40 minutos de ação transformadas em 64 páginas quadrinhos, assim como aconteceu com outra aventura cinematográfica do repórter, "Tintim e o Lago dos Tubarões". A capa está disponível no site da distribuidora Eden Livres, mas você também pode vê-la abaixo:



De acordo com sites de vendas franceses, o lançamento está marcado para o dia 10 de outubro. Agora é esperar para ver se os tintinófilos brasileiros também terão direito a esta novidade...

Em tempo: Uma foto que circula na internet dá uma ideia do que esperar da adaptação. Se a ordem dos quadrinhos que aparecem na imagem estiver correta, percebe-se que o enredo será bem abreviado.


Compartilhe:

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

John Williams recebe prêmio pela trilha sonora de 'Tintim'

De acordo com a agência Reuters, o veterano compositor John Williams ganhou nesta terça-feira, 02/10, dois prêmios Classic Brit, o troféu de melhor compositor e o prêmio especial pelo conjunto da obra.

O prêmio de música clássica, entregue no Royal Albert Hall, em Londres, teve entre seus destaques a London Chamber Orchestra apresentando trechos de trilhas compostas por Williams para filmes como "Guerra nas Estrelas", "Tubarão", "E.T." e "Indiana Jones".

John Williams no telão do evento.

O compositor norte-americano, de 80 anos, recebeu o prêmio de melhor compositor por seu trabalho nas trilhas sonoras dos longas "Cavalo de Guerra" e "As Aventuras de Tintim", ambos dirigidos por Steven Spielberg e lançados em 2011 nos cinemas. 

Williams já recebeu 47 indicações ao Oscar, sendo o vice-recordista nesse quesito - atrás apenas de Walt Disney -, sendo que venceu o prêmio em cinco ocasiões. 

Falando nisso...

Veja abaixo uma apresentação de John Williams conduzindo a orquestra ao som do tema do duelo pirata do filme "As Aventuras de Tintim". Durante a apresentação, no Hollywood Bowl,  no último mês de setembro, cenas de vários clássicos piratas do cinema são exibidas, para alegria da plateia. Confira esta bela homenagem a seguir e tente identificar os filmes pelos trechos exibidos...

Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT