COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Jamie Bell afirma que Tintim é perfeito em motion-capture

O ator Jamie Bell voltou a falar com a imprensa sobre o seu trabalho no filme "As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne", no qual interpreta o personagem principal. Em meio às polêmicas que envolvem a técnica de performance capture, Bell dá sua opinião sobre o pouco que viu até o momento, revelando que o trabalho de Steven Spielberg deve surpreender o público.

O ator co-estrela "The Eagle" com Channing Tatum

"Isso nunca pareceu tão bom antes", afirmou Bell ao IGN, depois de revelar em recente entrevista que assistiu a outros filmes produzidos em motion-capture para conhecer melhor a tecnologia. "Eu acho que a técnica de captura de movimentos ainda não tinha encontrado o material certo, mas em Tintim é perfeita porque precisamos controlar um mundo".

O intérprete de Tintim revelou também que já viu algumas partes finalizadas do filme, e comentou: "A história realmente se estende por muitas paisagens diferentes. Em certo ponto estamos no meio do oceano e depois vem uma cena no deserto, há uma sequência com um avião, que é muito emocionante e fantástica", garante o ator, complementando: "E isso tudo é tirado dos álbuns, então os fãs que o conhecem, sabem do que estou falando".

As palavras de Bell podem dar um conforto maior aos que temiam por um visual estranho e semelhante ao de outros filmes que utilizam famigerada técnica. E o resultado descrito pelo ator pode ser justificado pelas declarações de Simon Pegg (que vive um dos detetives Dupondt) em entrevista anterior, onde ele disse Spielberg teve de esperar até que a tecnologia avançasse para enfim chegar a sua versão de Tintim. Se o diretor esperou tantos anos para finalmente colocar a mão na massa, isso significa que devemos esperar algo realmente bom.

O filme "As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne" está atualmente em fase de pós-produção, e estreia nos cinemas nacionais em 11 de novembro de 2011. No Reino Unido, o filme chega dia 26 de outubro, um dia antes do lançamento em Portugal, 27 de outubro. Já nos EUA, a estreia está marcada para 23 de dezembro.

P.S.: Alguns sites divulgaram a notícia com o título "Jamie Bell diz que Tintim é melhor que Avatar", mas em nenhum momento eu vi o ator dizendo isso durante a entrevista, disponível em vídeo no site IGN. Das duas uma: ou interpretaram assim as palavras do ator ou simplesmente queriam fazer sensacionalismo. De qualquer forma, se alguém encontrar este trecho, me avise...
Compartilhe:

quarta-feira, 23 de março de 2011

Rapidinhas Tintim por Tintim - Março


:: Toda criança deveria ler

O Secretário da Educação do Reino Unido, Michael Gove, disse que crianças de 11 anos de idade deveriam ler um livro por ano para melhorar os níveis de alfabetização. Em matéria publicada nesta quarta-feira, o jornal The Independent publicou uma lista com 50 livros indicados pelos três principais autores infantis da Grã-Bretanha e dois especialistas do jornal. Cada um indicou dez livros que recomendariam às crianças do 7º ano escolar, e também questionaram a sugestão contraditória dada pelo secretário, responsável pelo fechamento de várias bibliotecas do país.

Philip Pulman (autor da trilogia "Fronteiras do Espaço") sugeriu obras clássicas como "Alice no País das Maravilhas" e "Pinóquio", incluindo entre elas o álbum "As Joias da Castafiore", de Hergé. Ele justifica a indicação pelo fato de Tintim acompanhar três gerações familiares, e a história ter uma narrativa perfeita e bom humor. Entre os livros indicados pelos demais escritores estão "Um Conto de Natal", "O Velho e o Mar", "O Hobbit", "O Senhor dos Aneis" e "As Aventuras de Sherlock Holmes". Para ver a lista completa, clique aqui.
:: As Jóias da Castafiore está em oferta no SubmarinoClique aqui e compre!
:: Caso Tintim no Congo: primeira vitória para a Casterman

Finalmente surge uma novidade no caso judicial que envolve o congolês Bienvenu Mbutu Mondondo, a Moulinsart S.A. e a Casterman. No último mês de fevereiro, o tribunal de primeira instância de Bruxelas considerou que como o caso "Tintim no Congo" lida com o racismo, a presença do Ministério Público seria necessária. Uma nova audiência foi marcada para 18 de março, quando o Ministério Público emitiu o seu parecer: o caso cabe à competência do Tribunal do Comércio. Bienvenu Mondondo queria que o processo fosse julgado pelo Tribunal Penal Internacional, mas a decisão da justiça foi favorável às duas empresas.

O queixoso solicitou também que a Moulinsart e a Casterman apresentassem os contratos que as ligam para saber qual delas detém os direitos autorais da obra de Hergé, mas o Ministério Público decidiu que não será necessário. Os autores do processo, que se arrasta desde 2007, afirmaram estar dispostos a levar o caso adiante. "Se querem ir para o Tribunal do Comércio, nós iremos", disse Ahmed L'Hedim, advogado de acusação, "e se tivermos de pleitear sem saber o conteúdo do contrato entre os réus, nós o faremos". Segundo o site 7sur7, a próxima audiência acontecerá dentro de um mês.
:: Para saber tudo sobre o caso, clique aqui. Para comprar o álbum Tintim no Congo, clique aqui.
:: Paródia de Tintim é autorizada pela Justiça

Em recente decisão, a Corte de Apelação de Paris afirmou que a coleção "Les aventures de Saint-Tin et son ami Lou", de Gordon Zola, não constitui violação dos direiros autorais ou pararisismo.

A Moulinsart S.A. havia pedido a proibição dos livros, publicados pela Le Léopard Démasqué (selo da editora Arconsil), mas numa rara atitude, o tribunal foi favorável ao réu. 'As Aventuras de Saint-Tin' obra faz referência à criação de Hergé em seus títulos e capas, além de trazer personagens que lembram os protagonistas das aventuras de Tintim, como um repórter aventureiro e seu animal de estimação (um papagaio), um velho capitão, um cientista e dois detetives idênticos.

Para o tribunal, "Saint-Tin" se encaixa na exceção concedida pelo Código da Propriedade Intelectual, presente na legislação francesa, que permite a publicação legal de paródias. Em primeira instância, o tribunal havia condenado o editor por parasitismo. Desta vez, a corte de apelação não só foi favorável ao acusado como condenou a Moulinsart e a Fanny Rodwell (viúva e herdeira universal dos direitos de Hergé) a pagar 10 mil euros de indenização à editora, em razão das perdas de venda que sofreu e do dano causado à sua imagem. 
:: Clique aqui e saiba mais sobre o caso Gordon Zola.
:: Ilustradas
Foto de Tintim e Milu será refeita com ovos coloridos

:: Uma imagem de Tintim e Milu publicada na revista Tintin em 1963 será reconstruída em tamanho gigante com ovos de páscoa na Suíça. O evento ocorrerá no próximo dia 24 de abril (domingo de páscoa) pelo 13º ano consecutivo. Para saber mais, clique aqui.

Cristiana Fernandez, governanta de Hergé, ganhou este quadro do patrão

:: Entre 1962 e 1963, Hergé pintou uma série de 40 quadros abstratos. Dois deles acabam de reaparecer, sendo que um será leiloado no dia 22 de maio (aniversário do cartunista). O quadro foi dado por Hergé a Cristina Fernandez (foto acima), que trabalhou como governanta para o casal Remi durante cinco anos. Para saber mais sobre a investida de Hergé no mundo da arte moderna, acesse o Le Soir.

Anúncio da série "As Memórias de Mil Raios"

:: Para comemorar os 70 anos do Capitão Haddock, o jornal belga Le Soir lançará a série 'Les Mémoires de Mille Sabords" ('As Memórias de Mil Raios'). Serão 22 páginas colecionáveis com informações sobre o personagem: seus antepassados, seu vocabulário, suas vestimentas, sua atração por Loch Lomond, sua vida em Moulinsart, enfim, tudo...  A série é gratuita, e se estenderá por 10 dias, entre 29 de março 8 de abril de 2011.
:: Se ainda não leu o especial do Tintim por Tintim sobre os 70 anos do Capitão, clique aqui e não perca tempo!
Compartilhe:

segunda-feira, 21 de março de 2011

Performance Capture em debate

No início deste mês chegou aos cinemas norte-americanos o novo longa dos estúdios Disney em parceria com o cineasta Robert Zemeckis, Marte Precisa de Mães (Mars Needs Moms). Produzido com a tecnologia de performance capture, em que atores usam roupas especiais e têm seus movimentos capturados por computadores, o lançamento gerou grande repercussão graças ao fiasco nas bilheterias. Como o filme de Tintim é produzido com a mesma tecnologia, isso se tornou motivo de preocupação para os fãs que aguardam a estreia.


Com custo de US$ 150 milhões, o filme faturou apenas US$ 6,9 milhões em seu fim-de-semana de estreia, um grande prejuízo para a companhia do Mickey. O fato levou ao cancelamento imediato do longa "Yellow Submarine", remake da animação de 1968 estrelada pelos Beatles, que traria novamente Robert Zemeckis e a técnica de captura de performance. Mas esta foi só a última gota, pois antes deste fracasso a Disney já havia decidido fechar o estúdio ImageMovers Digital, comandado por Zemeckis, devido aos alto custos de suas produções em relação ao baixo retorno de seus filmes.

O Problema da Performance Capture

"Marte Precisa de Mães" só veio contribuir com o que muita gente já dizia há tempos: captura de performance não faz sucesso. Talvez o único problema do filme não tenha sido este, mas também sua temática pouco atrativa e a fraca campanha de marketing. Porém, o fato é que os personagens gerados por esta técnica geralmente causam rejeição no público. Quando se tenta copiar feições humanas de maneira extremamente realista, como no caso deste filme e de "O Expresso Polar" (The Polar Express, 2004), o resultado às vezes é assustador. Qual é a criança que vai querer ver isso? 

Em "Marte Precisa de Mães", Joan Cusack é a mãe de Seth Green: um dos milagres da tecnologia.

Uma teoria usada para explicar a rejeição do público a personagens extremamente realistas é hipótese do Uncanny valley (vale desconhecido, ou vale da estranheza), que seria uma reação do nosso cérebro a robôs ou personagens animados que tentam copiar os traços e movimentos humanos de maneira idêntica. Só para exemplificar: veja o caso de "A Casa Monstro" (Monster House, 2006), em que os personagens são mais estilizados, apesar de apresentarem movimentos bastante realistas. É muito menos incômodo vê-los na tela do que assistir os personagens de 'Expresso', por exemplo, que apesar de ter traços mais realistas não têm vida em seus olhos. E será que alguém vai querer ver uma filme com personagens visualmente ruins só porque a história é boa?

"O Expresso Polar" e "A Casa Monstro": técnica igual, estilos diferentes.

Outro ponto em questão, e que também tem gerado uma grande discussão em alguns sites internacionais, é: se querem fazer um filme com visual realista, por que não usar atores reais? No filme "A Lenda de Beowulf" (Beowulf, 2007), feições de atores como Anthony Hopkins e Angelina Jolie (assim como as de Tom Hanks, em "O Expresso Polar"), foram totalmente copiadas para os personagens digitais. Sendo assim, o que justifica o uso de uma técnica mais cara e até certo ponto não tão agradável que o 3D de filmes como "Toy Story", por exemplo? Parece que alguns destes filmes só foram feitos para provar até onde a tecnologia chegou.

Angelina Jolie e Anthony Hopkins: precisava mesmo do computador?

Não que eu esteja dizendo que a captura de performance é uma técnica desnecessária, pois em filmes como "Avatar" (2009) e "King Kong" (2005) seu uso foi bastante útil. Afinal, que graça teria se os Na'vi fossem atores pintados de azul, ou se o gorilão fosse um homem fantasiado? Nenhuma, claro, e por isso a captura de performance não deixa de ser bem-vinda. Até no caso de 'Beowulf', que peca pelo fato de ter mantido os personagens praticamente iguais aos atores, a tecnologia fez algo que de outra forma talvez fosse impossível: não estou falando do monstro Grendel, mas sim da transformação do velho e gordo Ray Winstone em um herói jovem e sarado...

Ray Winstone não ensina essa dieta pra ninguém...

Tintim e a Performance Capture

Steven Spielberg já justificou a escolha desta tecnologia para filmar Tintim, e em certo ponto eu concordo com ele: um filme de Tintim não poderia ser com atores reais. Também não poderia ser em 2D, pois apesar da animação tradicional ser maravilhosa, não teria o mesmo impacto rever Tintim feito à mão se já temos a série da Nelvana e os filmes antigos. Resta, então, o CGI (computação gráfica). Mas como trazer personagens famosos pelos traços simples da "linha clara" de Hergé para um mundo tridimensional, com cabelos feitos fio a fio e até poros na pele? É aí que entra a captura de performance, causando pânico em muitos tintinófilos. 

Primeira imagem do Capitão Haddock causou estranheza em muitos quando foi revelada.

Tudo bem que não é a empresa de Zemeckis que está produzindo Tintim, mas sim a Weta, de Peter Jackson, responsável pelo gorila de "King Kong", o Gollum de "O Senhor dos Aneis" e os azulões de "Avatar". Mas conforme destacado num comentário que fizeram em um desses sites internacionais, apesar de todos os personagens de Jackson terem ficado praticamente perfeitos, eles apresentam uma diferença enorme para os personagens de Tintim: não são humanos. E, como ainda não vimos nenhum personagem humano criado em captura de movimentos que realmente agradasse, nem da Weta e muito menos da ImageMovers, existe sim motivo para preocupação. 

Contudo, vale fazer algumas observações: Hergé confiava em Spielberg, que está trabalhando pela primeira vez com captura de performance e, o mais importante, também é um fã de Tintim. Sendo assim, vamos aguardar mais imagens e o tão esperado trailer do filme para tirar melhores conclusões. Enquanto isso não acontece, participe da discussão sobre o tema no Fórum Tintim por Tintim.
Compartilhe:

quinta-feira, 17 de março de 2011

Um sonho ainda distante?

Em novembro deste ano, chega às telas dos cinemas brasileiros o primeiro filme de Tintim dirigido por Steven Spielberg e produzido por Peter Jackson, 'O Segredo do Licorne'. Isso todo mundo já sabe! Mas o que alguns talvez não saibam é que esta não será a primeira investida do repórter criado por Hergé no universo do cinema! Tintim já estrelou pelo menos quatro filmes que, até onde se tem registro, nunca foram lançados no mercado de home video no Brasil.

Capas dos únicos filmes de Tintim com atores reais, lançados em DVD pela LCJ.
Em 1947, foi lançado na Bélgica um longa em stop-motion (estrelado por bonecos) baseado no álbum "O Caranguejo das Tenazes de Ouro" (Le Crabe aux pinces d'Or). Em 1961, foi a vez de Tintim e seus amigos aparecerem nas telonas representados pela primeira vez por atores reais, em "Tintim e o Mistério do Tosão de Ouro" (Tintin et le Mystère de la Toison D'Or). Devido ao sucesso do longa, três anos depois chegou às salas de cinema europeus o filme "Tintim e as Laranjas Azuis" (Tintin et les Oranges Bleues). Já em 1969, Tintim voltou aos cinemas em seu primeiro longa animado a cores, "O Templo do Sol" (Tintin et le Temple du Soleil). E no ano de 1972, foi a vez do último longa-metragem estrelado pelos personagens de Hergé, "O Lago dos Tubarões" (Tintin et le Lac aux Requins).

Para quem não sabe, todos estes filmes de Tintim (incluindo uma compilação de episódios baseados em "O Caso Girassol", produzidos pela Belvision) foram lançados há poucos anos em DVD na França e Reino Unido, e em 2008 foram remasterizados e lançados em Blu-Ray Disc. É uma pena que os DVDs são exclusivos para a Região 2, estando indisponíveis para praticamente todos os países fora da Europa.

Capas da coleção "Tintin au Cinema", lançada pela Citel Video.
A pergunta é: se até agora nós, brasileiros, ainda não tivemos a oportunidade de adquirir estes filmes de maneira legal (exceto pelas exibições das duas últimas animações na TV a cabo), ainda há esperança de um dia podermos vê-los no mercado nacional? Neste 2011, que pode ser considerado o "ano de Tintim", será que as distribuidoras brasileiras vão deixar passar em branco um lançamento de tamanha importância?

As capas já estão quase prontas. Só falta agora a empresa para lançar no mercado...

Eu ainda não perdi a esperança e, assim como a série de TV demorou mas chegou, acredito que um dia teremos pelo menos os quatro filmes mais famosos à venda nas lojas brasileiras. Quem sabe a Log On, que um dia teve a feliz ideia de nos agraciar com o box completo da série da Nelvana, não toma a iniciativa de trazer os filmes de Tintim para o Brasil? Ou quem sabe a Sony, a Paramount, que estão envolvidas no lançamento mundial do mais novo longa do personagem... Enfim, o que eu sei é que independente de qual seja a distribuidora dos clássicos filmes de Tintim no Brasil, ela só tem o que ganhar. O nome do personagem nunca foi tão falado como está sendo agora (e será ainda mais quando o filme chegar às telas), então esta é a hora!

Para quem estiver disposto a sugerir meios de trazer os filmes de Tintim para o Brasil, vale a pena acessar o Fórum Tintim por Tintim e participar da discussão sobre o assunto.
Compartilhe:

terça-feira, 15 de março de 2011

Em breve voltaremos à programação normal

Olá, tintinófilos!

Depois de alguns dias fora, estou de volta para avisá-los que o blog ainda não acabou!

Pra quem não sabe, tive de fazer uma viagem não programada (e sem data para voltar), devido a um acidente sofrido por minha avó. Ela quebrou o fêmur e teve que passar por uma cirurgia, mas agora já está em casa, se recuperando. Com isso, não pude atualizar o blog nos últimos dias. Mas, graças a Deus, tudo está voltando à normalidade e, nos próximos dias, poderei presenteá-los com novas postagens e novidades.

Aguardem!

P.S.: O que acharam do último especial publicado aqui? "Tintim no Mundo dos Games" foi uma ideia do leitor Guilherme Reis, que posta seus comentários aqui como GHR. Ele tanto sugeriu que acabou produzindo por conta própria um especial sobre todos os video-games já lançados com base nas aventuras de Tintim, e me enviou para que fosse compartilhado com todos. Boa ideia, não acham? Quem estiver disposto a fazer o mesmo, fique à vontade. Envie sua própria matéria (ou sugestão de especial) para o nosso email (contato@tintimportintim.com) e ajude a espalhar cada vez mais conteúdo tintinófilo na rede!
Compartilhe:

sábado, 5 de março de 2011

Tintim no Mundo dos Games

Pesquisa e texto: Guilherme H. dos Reis

Todo mundo conhece Tintim pelas HQs, desenhos e filmes. Mas você sabia os games? Talvez você não saiba, mas Tintim também foi muito famoso em sua época pelos games.

Entre os anos de 1989 a 2001 a empresa francesa de jogos Infogrames (famosa pela série Alone in the Dark) resolveu mostrar à geração “gamer” uma série de jogos estrelados por Tintim, adaptações de HQs. Os jogos resultaram num grande rendimento econômico à empresa e tiveram grande popularidade, principalmente no caso de “Tintin in Tibet”, famoso pela versão de Sega Genesis (o popular Mega Drive).

Os Jogos

Tintin on the Moon (1989)


Plataformas: MS-DOS/Atari St/Amiga/ZX Spectrum/Amstrad CPC

“Tintin on the Moon” foi a primeira adaptação de Tintim para os games. Baseado no álbum “Explorando a Lua”, de 1954, o objetivo do jogo era levar o foguete até a Lua em segurança, desviando-se de meteoros e estrelas. Sobre o controle de Tintim, o jogador também deve desarmar bombas, apagar pequenos incêndios e salvar seus amigos (Haddock, Girassol e os Dupont), presos pelo Coronel Jurgen.

Apesar de não ser muito fiel ao álbum, “Tintin on the Moon” foi um excelente jogo. Sua melhor versão é para os computadores Amiga e Atari ST por ter melhores gráficos.

Screens

Cena de Abertura (Atari ST)

Aqui o jogador deve controlar o foguete (Amiga)

Dentro do foguete (Atari ST)

Tintin in Tibet (1995)


Plataformas: Genesis/SNES/MS-DOS/Windows/Game Boy (e Color)/Game Gear

Seis anos depois, a Infogrames resolve trazer Tintim novamente ao mundo dos games, com um jogo cheio de aventura e ação e muito mais fiel ao álbum: “Tintin in Tibet”.

“Tintin in Tibet” foi o melhor e mais popular jogo da série. Trazendo ótimos gráficos e excelente jogabilidade, o game se tornou muito popular, especialmente para Sega Genesis, pois seus gráficos e som eram melhores. E para computador (Windows e MS-DOS) havia um versão especial em português do Brasil.

A fidelidade para com o álbum é muito grande, sem muitos cortes no roteiro ou acréscimos. Tudo fiel ao trabalho de Hergé. A história principal é a mesma: Tintim tem um sonho estranho mostrando que seu amigo Chang está em perigo nas montanhas tibetanas, devido a um acidente de avião. Sob o controle do jogador, Tintim deve escalar montanhas, pular, nadar e desviar de objetos, pessoas ou animais, e enfrentar o temido Yeti, o Abominável Homem das Neves. Tudo em um limite de tempo.

Esse é o jogo que um gamer ou um fã de Tintim não deve deixar de jogar!

Screens

Seleção de idioma com disponibilidade em PT-BR
(Windows/MS-DOS)

Falas dos personagens são representadas em balões
(Genesis)

Tintim conversando com o Capitão no hotel
(SNES)
Prisoners of the Sun (1996)


Plataformas: MS-DOS/Windows/Game Boy Color/SNES

Aproveitando o sucesso do jogo anterior, a Infogrames decide lançar uma terceira aventura de Tintim: “Prisoners of the Sun”. Baseado nos álbuns “As Sete Bolas de Cristal” e “O Templo do Sol”, o game possui o mesmo estilo de seu antecessor: fidelidade ao álbum, sem grandes cortes na história principal.

A jogabilidade foi bem mais aperfeiçoada nesse jogo. A possibilidade de controlar o Capitão Haddock e também controlar um carro foi uma das novidades do game.

O jogo só não foi tão popular quanto seu antecessor pelo fato de ter sido vendido apenas na Europa, mas conquistou uma grande quantidade de fãs daquela época. Este é outro que deve ser jogado.

Screens

Fase na qual se controla um carro, cujo o objetivo é desviar
dos outros veículos que passam na estrada (SNES)

Nessa fase o jogador deve remar,
desviando a canoa dos obstáculos (SNES)

Aqui o jogador deve enfrentar a cobra
 gigante, atirando pedras(MS-DOS)

Tintin: Objectif Aventure (2001)


Plataformas: Windows/ PlayStation

Em 2001, Tintim retorna em seu primeiro jogo em 3D: "Objectif Aventure" (ou Destination Adventure), baseado nos álbuns: “A Ilha Negra”, “O Tesouro de Rackham, o Terrível”, “No País do Ouro Negro”, “Explorando a Lua” e “Voo 714 para Sidney”. Em relação a seus antecessores o game é bem diferente, não havendo muita fidelidade para com os álbuns.

O game possui 20 níveis, com um chefe no final de cada um e um nível bônus. É possível controlar veículos como barco, jipe, avião e submarino. A jogabilidade é bem ampla: Tintim pode correr, pular, escalar, equilibrar-se em uma corda (ou cipó) e defender-se dos inimigos com o flash de sua câmera, com socos e garrafas de clorofórmio.

Visto que foi lançado apenas na Europa, não se tornou muito popular, mas é um ótimo jogo, tendo também a opção de idioma em português.

Foi um dos últimos jogos a serem feitos pela Infogrames antes de sua falência, mas não caiu em domínio público por ter sido feito em parceria com a Moulinsart Multimidia.

Screens

Coletar essas moedas com a cara do Milu
 é um dos objetivos do jogo (Windows)

Defendendo-se do bode enfurecido (PSOne)
Futuro

Tintim foi sem dúvida muito importante para os games e para a empresa que os fez. Apesar de não ter sido muito popular nas Américas, seus jogos foram bem populares na Europa. Com a chegada da adaptação de Steven Spielberg e Peter Jackson em meados do segundo semestre, a empresa de jogos Ubisoft (famosa por Assassin’s Creed e Splinter Cell) já trabalha numa versão do filme para os jogos. Grandes detalhes ainda não foram revelados, mas vale a pena esperar...

Download

Como os jogos anteriores a “Objectif Aventure” caíram em domínio público (abandonware), devido ao tempo que eles têm e à falência da empresa, eis aqui um link para download de um pacote com os três primeiros jogos de Tintim e um emulador de MS-DOS (o DosBox). Clique aqui para baixar, e tenha um bom jogo!
Compartilhe:

quarta-feira, 2 de março de 2011

Criações de Hergé em PDF

Em maio do ano passado o blog publicou uma série de especiais sobre personagens criados por Hergé que não fazem parte do universo de Tintim. Entre eles estavam o Sr. Mops e o Sr. Bellum, dois senhores simpáticos que tiveram uma carreira curta em comparação com outras criações do pai de Tintim. Agora, o Blog e o Fórum Tintim por Tintim disponibilizam para os leitores brasileiros as tirinhas completas de ambos os personagens em versão PDF.

Caso queira conhecer melhor o adorável Sr. Mops e o anti-nazista Sr. Bellum, clique nas imagens abaixo e faça o download das páginas:


Gostou? Então entre no Fórum Tintim por Tintim e saiba mais sobre os personagens!
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT