sábado, 8 de janeiro de 2011

Capitão Haddock, o mais humano dos personagens de Hergé


O capitão Archibald Haddock provavelmente fez sua estreia na 15ª edição da revista Le Soir Jeunesse, datada de 02 de janeiro de 1941. O velho lobo do mar apareceu pela primeira vez na 23ª página da história "O Caranguejo das Tenazes de Ouro", como capitão do Karaboudjan, navio que transportava drogas sem seu conhecimento. Foi ali que Haddock conheceu Tintim, prisioneiro dos bandidos, e descobriu que estava sendo enganado pela sua própria tripulação, incluindo o imediato Allan Thompson.

A estreia do Capitão Haddock nas páginas de Le Soir Jeunesse - 02/01/1941.
História

Haddock e Chester - o reencontro acontece
no álbum "A Estrela Misteriosa".
Sobre o passado de Haddock sabe-se muito pouco, apenas que ele navegou por 20 anos ao lado do Capitão Chester - personagem que só aparece em "A Estrela Misteriosa", mas é mencionado em outros álbuns, como "O Tesouro de Rackham, o Terrível", onde sabemos que ele é dono do navio de exploração Sirius.

Quando o assunto é família, Haddock é um dos poucos personagens que tem sua "origem" conhecida. Entre aspas, porque só sabemos mesmo da história de seu antepassado mais famoso, o Cavaleiro Francisco (François) de Hadoque, funcionário do rei Luis XIV, da França. O Cavaleiro de Hadoque recebe este título, além de uma grande propriedade em Bruxelas, depois de enfrentar o pirata Rackham, o Terrível, a bordo do famoso navio Licorne. Séculos depois, Tintim e Haddock descobrem a ligação do capitão com o cavaleiro da coroa francesa, e embarcam em busca do tesouro perdido. É nesta jornada que eles conhecem o Professor Girassol, que se tornará um dos melhores amigos do capitão.

Sir Francisco de Hadoque,
antepassado do Capitão.
A busca pelo tesouro de Rackham parece fracassada até Haddock e seus amigos descobrirem que ele estava mais próximo do que esperavam. É a partir daí que o marujo toma posse do Castelo de Moulinsart, seu por direito de herança, mas financiado pelo Professor, com quem o capitão passa a dividir o famoso palacete. Daí em diante, o Haddock acompanha Tintim em suas maiores aventuras, e garante alguns dos momentos mais cômicos de toda a série de álbuns.

Outra referência à família de Haddock acontece em sua estreia, quando ele lamenta ser um beberrão ao lembrar-se de sua mãe.

Inspirações

Existem algumas teorias a respeito das verdadeiras inspirações de Hergé para criar o Capitão, assim como para a origem de seu nome. A teoria mais aceita a respeito do sobrenome do personagem é sobre uma conversa entre Hergé e esposa, durante um jantar, quando ela disse que o hadoque era "um triste peixe inglês". Como Hergé gostava de hadoque (ou arinca, uma espécie de bacalhau) defumado, é bem provável que o nome do personagem tenha vindo daí.

Mas de acordo com Phillipe Goddin, autor de "Cronologia de uma Obra", o nome do capitão é baseado no filme Capitão Craddock (Le Capitaine Craddock), produção alemã de 1931, do qual Hergé teria sido fã. Outros defendem que o marinheiro tenha sido batizado em homenagem a Herbert James Haddock (1861-1946), primeiro capitão do Titanic, antes da entrega do navio para a companhia transatlântica que o comandava na época do famoso naufrágio.

O primeiro nome do capitão, Archibald, foi citado pela primeira vez no álbum "Tintim e os Tímpanos" (ou "Tintim e os Pícaros"), e voltou a aparecer nos rascunhos de "Tintim e a Alfa-Arte", a 24ª obra de Hergé, inacabada devido a sua morte.

A personalidade do Capitão Haddock também teve diferentes inspirações. Uma delas foi o colorista Edgar Pierre Jacobs e o cartunista Bob de Moor, ambos colaboradores de Hergé. Também entra na lista Paul Remi, irmão de Hergé, de quem o personagem teria herdado o vocabulário forte. O vocabulário de insultos do capitão, a propósito, também teve inspiração no linguajar dos marinheiros da época, que era bem sujo. Mas como não poderia publicar palavrões numa obra dedicada ao público infanto-juvenil, Hergé resolveu criar um glossário de xingamentos próprio do capitão, que vez por outra profere insultos que de insultantes não têm praticamente nada. Exemplos: "fariseus", "ectoplasmas", "piratas de água-doce"...

Amor e Ódio

Assim como a maioria dos personagens, o Capitão não tem nenhum relacionamento romântico na série. O mais próximo disso é sua aversão a Bianca Castafiore, a diva da ópera que está sempre trocando seu nome. Haddock procura evitar qualquer encontro com Castafiore, na maioria das vezes sem sucesso. Em uma dessas ocasiões, todo o país fica sabendo de um suposto romance entre os dois, que terminaria até em casamento, se tudo não passasse de um engano da imprensa.

Apreciador de um bom uísque, Haddock quase sempre exagera, e vez por outra promete parar de beber. Mas a sua paixão pelo álcool, em especial pelo escocês Loch Lomond, torna esta tarefa mais árdua do que ele imagina. Apesar disso, o capitão se torna presidente da L.M.A. (Liga dos Marinheiros Anti-Alcoólicos ).

Os vícios e temperamento forte não impedem que o Capitão Haddock desenvolva boas amizades. Sua relação com Tintim é quase paternal, apesar de muitas vezes o garoto se mostrar mais maduro que o velho marujo. Haddock também encontra um bom amigo no distraído Prof. Girassol, mas vez por outra perde a paciência com o cientista, principalmente quando é vítima de sua surdez. Completando o rol de amizades, podemos citar figuras como o mordomo Nestor, que de vez em quando lhe tira do sério, e o corretor Serafim Lampião, que sempre consegue estragar o seu dia.

Um caso à parte é o menino Abdallah, filho do Emir de Khemed, que conheceu o Capitão na aventura de Tintim "No País do Ouro Negro". O pestinha vive pregando peças no seu amado "Mil Raios", e chega ao extremo no álbum "Perdidos no Mar", quando consegue explodir o casarão do Capitão. Apesar de sempre lhe causar dores de cabeça, literalmente falando, no fundo, bem lá no fundo mesmo, o garoto consegue cativar o marinheiro, que em pelo menos uma ocasião chega a chorar por ele - e não por causa dele.

Além da Página Impressa

A primeira vez que o Capitão Haddock saiu das páginas dos livros foi em 1947, quando o estúdio belga Claude Missone criou um filme em stop-motion baseado no álbum "O Caranguejo das Tenazes de Ouro". Os personagens eram feitos em madeira e tecido, e por isso tinham um visual um tanto diferente do original.

O Capitão Haddock em suas primeiras versões animadas.

Na década de 1960, Haddock apareceu na primeira versão de Tintim para televisão, "Les Aventures de Tintin, d'apres Hergé", série com 102 episódios de 5 minutos cada, que deu origem ao longa-metragem "O Caso Girassol" (1962). Anos depois, Haddock apareceu em dois outros filmes, "O Templo do Sol" (Le Temple du Soleil, 1969) e "Tintim e o Lago dos Tubarões" (Tintin et le Lac aux Requins, 1972) . Em ambos o Capitão foi dublado originalmente por Claude Bertrand.

Georges Wilson (1961) e Jean Bouise (1964): atores deram vida ao Capitão nos cinemas.

Em 1961, foi produzido "O Mistério do Tosão de Ouro" (Le Mystère de la Toison D'or), o primeiro filme de Tintim com atores reais. O ator francês Georges Wilson (1920-2010) interpretou brilhantemente o papel do Capitão. Já em 1964, foi lançado o longa "Tintim e as Laranjas Azuis" (Tintin et les Oranges Bleues), também com atores reais. Desta vez o intérprete de Haddock foi o francês Jean Bouise (1929-1989).

Isaac Bardavid dublou Haddock na série da Nelvana.

No início da déca de 1990, estreou a série televisiva "As Aventuras de Tintin", produzida pela Nelvana em parceria com a Ellipse. Haddock apareceu logo no primeiro episódio, baseado no álbum "O Caranguejo das Tenazes de Ouro". Seus dubladores originais foram Christian Pelissier, na versão francesa, e David Fox, na versão em inglês. No Brasil, o personagem foi dublado por Isaac Bardavid, ator e dublador reconhecido, entre outros trabalhos, pela dublagem do vilão Esqueleto, da série "He-Man", e do herói Wolverine, de "X-Men", além do Tigrão, do "Ursinho Pooh" e Gargamel, de "Os Smurfs".

Andy Serkis empresta seus movimentos no filme mais recente.

Em outubro deste ano, o personagem volta aos cinemas com um visual um tanto diferente do que estamos acostumados. Produzido em computação gráfica através da tecnologia de captura de movimentos, a figura de Haddock está sendo construída com base no ator Andy Serkis. Serkis já emprestou seus movimentos para outros personagens de sucesso nos cinemas, como o Gollum, da trilogia "O Senhor dos Anéis", e o macaco gigante que protagoniza a versão mais recente de "King Kong", dirigida por Peter Jackson. A Weta, mesma empresa que criou os efeitos destes filmes, também cuida da caracterização do personagem no primeiro longa da prometida trilogia Tintim, "O Segredo do Licorne", que estreia no Brasil em 11 de novembro de 2011.
Compartilhe:

3 comentários:

  1. Meu Deus!! Tanta coisa que aprendi a respeito do Capitão Haddock, sobretudo as inspirações de Hergé para criar a personagem!! Obrigado Britto ;D isto é que são boas pesquisas!!

    Quando Haddock reencontra Chester, eles antes de se cumprimentarem, fazem uma especie de ritual, não é? Não entendo bem essa parte...

    ResponderExcluir
  2. Muuuito bom, como todos os especiais do site!
    Adorei descobrir essas curiosidades sobre a vida do capitão! Parabéns, Haddock!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom pra mim o Capitao Haddock e 3 mais engraçado das aventuras de Tintin so perde para os Dupon rs

    ResponderExcluir

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT