25 setembro, 2021

Fatos em fotos: Jacques Martin, 100 anos de um mestre da linha clara

Jacques Martin foi um desenhista e roteirista de quadrinhos francês nascido em 25 de Setembro de 1921. Além de colaborar com os Studios Hergé por 19 anos, ganhou fama internacional com suas séries de quadrinhos Alix e Le Franc.

Sua história com a BD (bande dessinée) começou em 1942. Após a Segunda Guerra Mundial, em 1946, Martin viajou para a Bélgica em busca de um editor. Foi nessa época que conheceu Hergé e criou "Alix", sua principal obra, que estreou na revista Tintin. A série narra as aventuras de um jovem gaulês no Egito, adotado por um romano nos tempos de Júlio César. Foi traduzida para cerca de 15 línguas e já teve mais de 12 milhões de álbuns vendidos.

O interessante nessa história é que Hergé, pelo menos no começo, não gostou tanto do trabalho do colega: "Você tem muito progresso a fazer", teria dito ao jovem artista. Mas, em fevereiro 1954, Martin acabou entrando para o time dos Studios Hergé, sendo responsável por redesenhar o álbum “O Vale das Cobras” da série “Jo, Zette et Jocko”, iniciado antes da guerra. Isso abriu portas para uma colaboração intensa nos álbuns de Tintim, como "Tintim no Tibete" e "Perdidos no Mar", e criado algumas cenas cômicas em diversas aventuras do repórter.

Além de Hergé, Martin trabalhou ao lado de Edgar P. Jacobs, Bob de Moor e Willy Vandersteen. Juntos, eles são considerados os cinco grandes mestres da Linha Clara.

Depois de Alix, que teve dezenas de volumes mas só 19 desenhados por ele, Martin também criou Guy Lefranc, um jornalista aventureiro que teve sua primeira história publicada em 1954, também na revista Tintin. Martin não tinha a intenção de transformar "Lefranc" em série, tanto que desenhou apenas 3 edições. Mas, o sucesso do personagem motivou o editor a encomendar novos volumes, então ele seguiu como roteirista por alguns números.

Apaixonado por História, Jacques Martin registrou diversas épocas com cuidado e precisão ao longo de suas criações: a Antiguidade Clássica com Alix, Kéos Orion; a Idade Média, com Jhen, o "Século das Luzes", em Loïs, a Era Napoleónica em Arno, e finalmente seus próprios dias, com Lefranc.


Jacques Martin foi bastante premiado ao longo da carreira. Ele se dedicou por muito tempo aos roteiros, em especial quando passou a ter problemas na visão, chegando à quase cegueira. O quadrinista escreveu sozinho os roteiros de Alix até 2005 e com outros autores até 2009.

Diferente de Hergé,  ele queria que sua obra continuasse, e deixou alguns aprendizes e sucessores, garantindo a publicação da obra por outras mãos tão talentosas quanto.

 Jacques Martin faleceu em 2010, aos 88 anos de idade, deixando cerca de 120 álbuns publicados.

Compartilhe:

0 comentários.:

Postar um comentário

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT