sábado, 15 de dezembro de 2018

Novos álbuns de Tintim chegam ao Brasil pela Globo Livros

Dois anos depois de trazer para o Brasil as reproduções das primeiras aventuras de Tintim em preto-e-branco, a Globo Livros Graphics lança no país três novos volumes da série de fac-símiles dos álbuns de Hergé: A Orelha Lascada, O Lótus Azul e A Ilha Negra.

Assim como nos lançamentos anteriores, os volumes terão o mesmo formato publicado originalmente pela Casterman, com direito a capa dura e lombada em tecido. Preço sugerido: R$ 59,90. A data de lançamento nas livrarias ainda não foi divulgada.

Confira a seguir as capas e sinopses de cada título.


O Lótus Azul: (135 páginas) Após presenciar uma tentativa de envenenamento de um visitante misterioso, Tintim viaja à China para investigar a origem do atentado. O jovem repórter de espírito aventureiro se envolve numa trama de contrabandistas de ópio, policiais ingleses e uma seita secreta que colocará sua vida em risco. Este álbum, publicado originalmente em 1934 para o suplemento juvenil Le Petit Vingtième, conta a sequência dos eventos narrados em Os charutos do Faraó, e traz a visão de Hergé sobre a cultura oriental durante a guerra que envolveu China e Japão no início do século XX. Este álbum, em edição fac-similar e capa-dura, pode ser lido como sua história mais engajada, e para alguns, até mesmo como sua obra-prima. 


A Orelha Lascada: (140 páginas) Publicado pela primeira vez no suplemento juvenil belga Le Petit Vingtième, em 1937, e aqui em edição fac-similar em capa-dura, esta aventura do repórter Tintim e seu cão Milu mostra a perseguição aos ladrões de um ídolo roubado em um museu na América do Sul. Ao tomar conhecimento do roubo, Tintim segue as pistas em busca de um furo jornalístico. Ele empreende uma perseguição a contrabandistas que manifestam interesse no artefato e, após sucessivas tentativas de assassinato, vai parar no meio da tribo dos Arumbaias. Fazendo alusões aos acontecimentos de seu tempo, Hergé situa seu personagem num cenário de jogos de poder entre generais, comandantes e contrabandistas de um país em plena revolução.


A Ilha Negra: (136 páginas) Nesta aventura de Tintim e seu fiel cão Milu, publicada pela primeira vez em 1937 no suplemento juvenil do jornal Le Vingtième Siècle, o célebre jornalista belga viaja para a Inglaterra em busca de uma gangue de falsificadores de dinheiro. Sem perceber que sua vida corre risco, Tintim decifra bilhetes codificados, salta sobre trens em movimento e viaja a uma ilha misteriosa para descobrir o grande segredo que ela guarda – e o motivo pelo qual ninguém tem coragem de explorá-la. A história recebeu diferentes versões durante a vida de seu criador, mas é nesta edição fac-similar que o leitor poderá conferir a representação da Inglaterra e dos ingleses no início do século XX que Hergé criou. 

A coleção de fac-símiles das edições originais de Tintim chegou ao país  em 2016, com o lançamento de "Tintim na América", "Tintim no Congo" e "Os Charutos do Faraó". Antes disso, Globo Livros já tinha lançado no Brasil as tirinhas completas de Quick e Flupke em dois volumes.


Curiosidade: é a primeira vez que o álbum "Le Oreille Cassée" é traduzido para o português como "A Orelha Lascada". No Brasil, a obra é conhecida como "O Ídolo Roubado", tanto nos álbuns como na série de televisão. Uma tradução mais fiel seria "A Orelha Quebrada", título que é utilizado na edição portuguesa (em versões estrangeiras a tradução também segue uma linha mais literal). O tradutor da coleção, Érico Assis, explicou que a escolha do novo título tem relação com o fato de o ídolo ter perdido uma lasca de madeira de sua orelha. A decisão gerou controvérsias entre os fãs.
Compartilhe:

Um comentário:

  1. Li 1 matéria dizendo que as revistas Tintin e Spirou eram "rivais".
    Foi algo similar a "rivalidade" DC x Marvel

    ResponderExcluir

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT