COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

terça-feira, 17 de março de 2015

Agora "Tintim na América" é acusado de racismo

Depois da longa novela envolvendo "Tintim no Congo", outro álbum de Hergé se torna alvo de polêmica. Desta vez, é a terceira aventura do repórter belga, "Tintim na América", sofre acusações de racismo. Publicado em 1932, o álbum retrata a viagem de Tintim aos Estados Unidos, onde ele interage com cowboys e índios norte-americanos. É justamente o segundo grupo que tem sido visto como alvo de discriminação racial.


Moradores de Winnipeg solicitaram a uma livraria local a retirada do álbum das prateleiras, considerando pejorativa a visão dos povos nativos, que são chamados de "peles-vermelhas". A livraria Chapter's retirou temporariamente o título do alcance do público, antes de colocá-lo novamente à venda. Segundo o RTBF, eles explicaram que um livro é removido "se incitar à violência, se contém pedofilia ou instruções sobre a fabricação de armas".

"Eu acho que isso alimenta estereótipos", declarou Leslie Spillett. "Os índios são retratados como criaturas selvagens e perigosas, seres que devemos temer... E o pequeno Tintim está ali, indefeso", continuou a advogada, que fez da defesa dos índios americanos a luta de uma vida, ao Le Figaro.


Para Benoît Peeters, biógrafo de Hergé e estudioso de Tintim, esta "é uma acusação grotesca". O escritor pede que lembremos do contexto, e ressalta que Tintim também aparece a favor dos índios no álbum, quando luta contra os exploradores de petróleo. "Esse tipo de acusação me entristece", continua.

Quando questionado sobre o motivo da "perseguição" a Tintim, Peeters responde: "Porque ele é conhecido, e porque não deixa de ser editado e republicado. Porque Spielberg o adaptou ontem, e ele certamente será adaptado amanhã. É tão fácil procurar defeitos nos outros ... mas isso não resolve em nada o verdadeiro problema que é o racismo."

Quer saber mais sobre Tintim na América, o contexto histórico e as alterações que a censura norte-americana impuseram a Hergé? Clique aqui e confira o especial completo do TPT.
Compartilhe:

segunda-feira, 16 de março de 2015

Moulinsart inaugura o avião de Tintim

Hergé tem uma longa história de amor com aviões. Em toda aventura de Tintim uma aeronave está lá, em diferentes versões. O criador do repórter conseguiu acompanhar a evolução da máquina de voar ao longo dos anos, e seus herdeiros parecem ter o desejo de fazer o mesmo. Foi assim com o avião movido a energia solar, o Solar Impulse, no ano passado, que teve uma ampla divulgação pela Moulinsart, como se fosse uma invenção própria do Professor Girassol. Continuando a parceria com a Brussels Airlines, foi apresentado hoje um avião temático, com as 'cores de Tintim'.


O Airbus A320 foi decorado no estilo do submarino tubarão do Prof. Girassol, que aparece na capa do álbum "O Tesouro de Rackham, o Terrível". Segundo Nick Rodwell, administrador da Moulinsart S.A., "havia um monte de ideias sobre a mesa em torno do projeto. Poderia ter sido o foguete de 'Rumo à Lua', mas nós escolhemos, por unanimidade, o submarino, e estamos muito felizes com o resultado". O artista André Eisele foi contratado para pintar a ilustração diretamente na aeronave.

Fanny Rodwell, herdeira de Hergé, também esteve presente no lançamento.
Um trabalho similar foi feito no passado, quando Asterix e Obelix estamparam uma aeronave da companhia. Mas, naquele caso, além de ter durado apenas alguns meses, a imagem foi impressa em adesivo e transferida para a aeronave. No caso do "Rackham", um projeto cuidadoso garantiu que a gigante ilustração se encaixasse perfeitamente nas curvas da fuselagem. O interior da nave também é decorado com imagens de Tintim e seus amigos.

Foto: RTBF
Foto: RTBF
Durante quatro anos, os passageiros da companhia aérea belga terão a oportunidade de voar no avião de Tintim, que estampa na fuselagem os dizeres: 'Brussels Airlines - nós te levamos à casa de Tintim'.

:: Vídeos:

Inauguração do Airbus Rackham A320


Bastidores da pintura da aeronave


:: Alguns dados interessantes:

  • O avião tem 37,5 metros de comprimento e 11 de altura;
  • A equipe gastou cerca de 1.500 horas realizando a pintura;
  • Foram gastos 360 litros de tinta; 5 km de fita; 10 dias e 22 pintores por dia;
  • A viagem inaugural, de Bruxelas a Toulouse, sede da companhia aérea, durou 1 hora e 45 minutos;
  • Um site foi criado para os fãs de aviões e de Tintim: www.brusselsairlines.com/tintin;
  • A hashtag #SNRackham foi criada para motivar os fãs a compartilhar fotos do avião nas redes sociais quando o virem passar;
  • O desenho será mantido na aeronave até 2019. Ou seja, programe-se! 
Compartilhe:

quinta-feira, 5 de março de 2015

#aletradaspessoas e #aletradeHergé

Surgiu no último domingo, 1º de março, na internet, mais um viral que vem se espalhando pela rede entre os brasileiros. Mas ao invés de memes ou piadinhas, o inusitado movimento tem uma pegada mais cultural e saudosista. Com as hashtags #aletradaspessoas e #minhaletracursiva, internautas têm postado fotos com um breve texto escrito à moda antiga: à mão. Em tempos de teclados touchscreen, é sempre bom resgatar uma das formas mais primitivas de comunicação.

O TPT apoia a "campanha", e aproveita para relembrar a letra de uma ilustre figura: Hergé. O pai de Tintim tinha o hábito de desenhar e escrever dedicatórias para seus amigos e conhecidos, além de responder pessoalmente cartas aos fãs (como você viu aqui e aqui). Que tal conhecer a evolução da assinatura de Georges Remi ao longo dos anos? Na verdade, vamos ver como a marca Hergé mudou, sempre acompanhando o estilo da assinatura de seu criador. Clique na imagem abaixo para ampliar e confira:


Ah, e para mostrar a aderência do Tintim por Tintim à campanha, deixo aqui a minha contribuição...


Para saber mais sobre o surgimento da hashtag #aletradaspessoas, vale apena dar uma olhada na matéria do portal da CMais.
Compartilhe:

terça-feira, 3 de março de 2015

"Eu não estou morto": 32 anos sem Hergé

No dia 03 de março de 1983, o mundo perdia um dos maiores artistas que a nona arte já conheceu, Georges Remi, o Hergé. O pai de Tintim deixou um legado que até hoje conquista novos fãs ao redor do mundo.

Mas o TPT aproveita esta data para apresentar um fato curioso: uma carta escrita por Hergé a um fã 30 anos antes de seu falecimento, explicando que não estava morto! Entenda: Em 1953, um leitor chamado Daniel L. ouviu um boato de que o criador de seu personagem favorito havia morrido. Imediatamente, escreveu uma carta aos editores da revista Tintin francesa, solicitando uma confirmação da triste notícia. Era uma época em que a comunicação dependia quase que exclusivamente de cartas; não existia internet, nem SMS, então imagine o desespero do fã...

Para sua surpresa, Daniel recebeu uma carta em resposta... do próprio Hergé! O artista fez questão de responder pessoalmente esclarecendo o estranho boato, como você pode ler mais abaixo.
31 de outubro de 1953 
Caro amigo,
Espero que você não tenha medo de fantasmas; porque a mensagem que endereça-lhe o abaixo-assinado vem direto do além... Brincadeiras (macabras) à parte, eu não estou morto, como prova o fato de responder-lhe, hoje, à carta que enviou em 27 de outubro para o diretor de Tintin-Paris. Mas agora eu penso: esta é uma prova suficiente, para você que está tão desconfiado? São Tomé duvidou da ressurreição de Cristo, até colocar as mãos nas feridas de Jesus... Se você passar por Bruxelas, você poderia notar "com seus próprios olhos" que eu vou, volto, falo, assobio e... desenho, assim como um ser vivo! Sim, eu estava muito doente, então eu tive que interromper meu trabalho por um longo tempo; mas tudo isso não é mais do que uma má recordação. E se Deus continua a emprestar-me a vida, eu continuarei a inventar histórias; histórias menos ousadas, talvez, do que a minha morte, uma vez que tomou forma em cérebros particularmente imaginativos. 
E voilà, "a verdade sobre Hergé". Se acontecer de você ainda encontrar pessoas que classificam-me entre os falecidos, exorto-lhe a responder-lhes que é uma farsa, que o defunto escreveu pessoalmente a você, amigavelmente e sem rancor. Mas não diga a eles que sua carta chegou no dia de finados; eles veriam - quem sabe? - uma confirmação de seu fúnebre prognóstico! 
Um cordial aperto de mão. 
Hergé. 
P.S. As "mudanças" em Rumo à Lua? Elas sempre ocorrem quando coloco em desenvolvimento, para uma publicação em álbum, uma história anteriormente publicada em "pranchas" semanais.

Esta carta revela algumas características notáveis de Hergé. Imagine a surpresa de saber que foi dado como morto! Além de mostrar um bom humor peculiar na resposta, o artista imprime nas palavras usadas sua vivacidade e seu carisma ao tratar tão "pessoalmente" com o fã. Quem dera todos os grandes ídolos fossem assim... Por esses e outros motivos, o criador de Tintim merece ser lembrado e aclamado.

Carta de Hergé a um fã. "Eu não estou morto".
A fonte é o site Des Lettres, onde também é possível ler, em francês, um trecho da carta do fã explicando como soube do suposto falecimento de Hergé. Clique aqui e confira.
Compartilhe:

domingo, 1 de março de 2015

Morre Jordi Tardà, famoso tintinófilo catalão

E o domingo começa mais triste para o mundo tintinófilo...

Faleceu na madrugada deste domingo, 1° de março, o jornalista e crítico musical Jordi Tardà, um dos fãs da obra de Hergé mais conhecidos da Espanha.


Há cerca de 10 anos, Tardà apresentava um programa chamado "Tintin a la Ràdio", na Catalunha Radio, onde falava sobre o universo de Hergé e entrevistava tintinófilos e personalidades relacionadas.

O TPT deixa registrado aqui nosso sentimento à família, amigos e admiradores de Jordi Tardà.
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT