terça-feira, 3 de março de 2015

"Eu não estou morto": 32 anos sem Hergé

No dia 03 de março de 1983, o mundo perdia um dos maiores artistas que a nona arte já conheceu, Georges Remi, o Hergé. O pai de Tintim deixou um legado que até hoje conquista novos fãs ao redor do mundo.

Mas o TPT aproveita esta data para apresentar um fato curioso: uma carta escrita por Hergé a um fã 30 anos antes de seu falecimento, explicando que não estava morto! Entenda: Em 1953, um leitor chamado Daniel L. ouviu um boato de que o criador de seu personagem favorito havia morrido. Imediatamente, escreveu uma carta aos editores da revista Tintin francesa, solicitando uma confirmação da triste notícia. Era uma época em que a comunicação dependia quase que exclusivamente de cartas; não existia internet, nem SMS, então imagine o desespero do fã...

Para sua surpresa, Daniel recebeu uma carta em resposta... do próprio Hergé! O artista fez questão de responder pessoalmente esclarecendo o estranho boato, como você pode ler mais abaixo.
31 de outubro de 1953 
Caro amigo,
Espero que você não tenha medo de fantasmas; porque a mensagem que endereça-lhe o abaixo-assinado vem direto do além... Brincadeiras (macabras) à parte, eu não estou morto, como prova o fato de responder-lhe, hoje, à carta que enviou em 27 de outubro para o diretor de Tintin-Paris. Mas agora eu penso: esta é uma prova suficiente, para você que está tão desconfiado? São Tomé duvidou da ressurreição de Cristo, até colocar as mãos nas feridas de Jesus... Se você passar por Bruxelas, você poderia notar "com seus próprios olhos" que eu vou, volto, falo, assobio e... desenho, assim como um ser vivo! Sim, eu estava muito doente, então eu tive que interromper meu trabalho por um longo tempo; mas tudo isso não é mais do que uma má recordação. E se Deus continua a emprestar-me a vida, eu continuarei a inventar histórias; histórias menos ousadas, talvez, do que a minha morte, uma vez que tomou forma em cérebros particularmente imaginativos. 
E voilà, "a verdade sobre Hergé". Se acontecer de você ainda encontrar pessoas que classificam-me entre os falecidos, exorto-lhe a responder-lhes que é uma farsa, que o defunto escreveu pessoalmente a você, amigavelmente e sem rancor. Mas não diga a eles que sua carta chegou no dia de finados; eles veriam - quem sabe? - uma confirmação de seu fúnebre prognóstico! 
Um cordial aperto de mão. 
Hergé. 
P.S. As "mudanças" em Rumo à Lua? Elas sempre ocorrem quando coloco em desenvolvimento, para uma publicação em álbum, uma história anteriormente publicada em "pranchas" semanais.

Esta carta revela algumas características notáveis de Hergé. Imagine a surpresa de saber que foi dado como morto! Além de mostrar um bom humor peculiar na resposta, o artista imprime nas palavras usadas sua vivacidade e seu carisma ao tratar tão "pessoalmente" com o fã. Quem dera todos os grandes ídolos fossem assim... Por esses e outros motivos, o criador de Tintim merece ser lembrado e aclamado.

Carta de Hergé a um fã. "Eu não estou morto".
A fonte é o site Des Lettres, onde também é possível ler, em francês, um trecho da carta do fã explicando como soube do suposto falecimento de Hergé. Clique aqui e confira.
Compartilhe:

0 comentários.:

Postar um comentário

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT