COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Moulinsart censura Tumblr com imagens de Tintim

A Moulinsart S.A. agiu mais uma vez. De acordo com artigo do site Libération, o Le Petit XXIe, Tumblr administrado por dois jornalistas desde fevereiro, teve suas imagens bloqueadas a pedido dos detentores dos direitos autorais de Tintim e Hergé. Um dos jornalistas foi o próprio autor do artigo, Quentin Girard, que falou sobre a ação e as explicações dadas pela empresa.

Com o título fazendo referência ao jornalzinho que publicou originalmente as tirinhas de Tintim, Le Petit Vingtième, o espaço utilizava quadrinhos dos álbuns de Hergé para ilustrar notícias reais. Só para citar um exemplo, no caso do Boeing da Malaysa Airlines, que desapareceu com 239 pessoas a bordo no último dia 8 de março, foi utilizada uma imagem de "Voo 714 para Sydney", retratando a perda de contato entre a torre de controle e o avião de Lazlo Carreidas.

A ideia foi muito bem-recebida pela mídia e pelos fãs, mas não pela Moulinsart. "Sabíamos que eles não são conhecidos por sua flexibilidade", afirma Girard, que se refere a Nick Rodwell como um "lobo branco pronto para fazer qualquer coisa para preservar a galinha dos ovos de ouro", citando como exemplo a notícia de um possível novo álbum só para evitar que o repórter caia em domínio público. "Mas pensamos que poderíamos evitar o jugo das Éditions Moulinsart", confessa, explicando que o Le Petit XXIe destina-se apenas a prestar uma homenagem a Hergé e sua obra. "Ele nunca revela um álbum inteiro, apenas um quadrinho em cada caso, nos termos da lei de citação se aplica a qualquer obra". 


Procurando o departamento jurídico da Moulinsart, os jornalistas tiveram a seguinte resposta: "A lei considera um quadrinho dos álbuns das Aventuras de Tintim como uma obra em si". Ou seja: cada quadrinho é uma obra em si, de modo que seria impossível citar Tintim por meio das imagens dos álbuns, apenas mencionando um trecho do texto. A empresa frisa mais uma vez que o objetivo da ação é assegurar "o respeito e a proteção ao trabalho de Hergé". O extenso artigo faz ainda alguns questionamentos sobre alguns posicionamentos contraditórios e ações anteriores da Moulinsart, e continua gerando comentários. Para ler tudo (em francês), clique aqui

No Twitter, os criadores do Le Petit XXIe explicaram que seu trabalho não constitui plágio, pois não visa o lucro, e afirmam que continuarão postando no microblog, enquanto não encontram outra plataforma de blog - ou enquanto a Moulinsart permitir...
Compartilhe:

quarta-feira, 26 de março de 2014

Teria Hergé se inspirado em Georges Méliès?

Assistindo ao filme "A Invenção de Hugo Cabret" (recomendadíssimo pra quem curte cinema), notei um personagem de Georges Méliès que não conhecia: Le Diable, do filme "Le Diable au Convent" (1899). Chamou atenção a semelhança física com um personagem de Hergé, o Marquês Di Gorgonzola, alter-ego do vilão Rastapopoulos no álbum "Perdidos no Mar". Teria Hergé se inspirado no filme de Méliès para conceber o disfarce do criminoso milionário dono do Sheherazade? Não sabemos - mas se alguém tiver informações,não hesite em compartilhar!



A propósito: coincidentemente, Georges Méliès é interpretado no filme de Martin Scorsese por ninguém menos que Ben Kingsley, um dos favoritos do TPT para o papel de Rastapopoulos em uma das futuras aventuras cinematográficas de Tintim... Pelo menos como Di Gorgonzola ele convenceria, não?!

:: Sobre o filme

"A Invenção de Hugo Cabret", lançado em 2011, é o primeiro filme 3D de Martin Scorsese (que dá uma de Hergé e Hitchcock e faz uma aparição rápida). Com Ben Kingsley, Asa Butterfield, Sacha Baron Cohen e um ótimo elenco, o longa é uma obra-prima cinematográfica sobre um garoto órfão que está decidido a consertar um autômato deixado pelo pai (Jude Law). A determinação do menino ajuda a mudar não apenas sua própria vida, como a de todos ao seu redor. Entre estes está o grande homenageado da história: Georges Méliès, um dos pioneiros do cinema, que revolucionou a indústria em seu tempo ao criar filmes com cores e efeitos especiais surpreendentes para a época - final do século 19.

Ben Kingsley é Georges Méliès.

Ben Kingsley está perfeito no papel, tanto na atuação sempre afiada como na caracterização que o deixou idêntico ao Méliès da vida real. O longa é uma ode à sétima arte para crianças e adultos, e faz jus a todos os prêmios recebidos. Só tenho um questionamento com relação ao filme: por que não fui assistir no cinema? Se você ainda não assistiu, não perca tempo. Vale a pena assistir, apreciar e conhecer mais sobre o pai dessa fantástica fábrica de sonhos.
Compartilhe:

segunda-feira, 24 de março de 2014

Casterman publicará álbum inédito de Tintim

Em conversa com o jornal Le Parisien, Benoît Mouchart falou sobre os novos projetos envolvendo Tintim, incluindo um álbum inédito. Ex-diretor do Festival de Angoulême, Mouchart já ocupa há um ano a posição de diretor editorial na Casterman, distribuidora oficial da obra de Hergé, e desde o início de sua gestão tem como prioridade colocar ordem nas relações complicadas, como a que existia entre a editora e a Moulinsart até algum tempo atrás.


Com o bom relacionamento restabelecido, Casterman e Moulinsart lançaram em março o livro "La Malédiction de Rascar Capac - vol 1. - Le Mystère des Boules de Cristal". Com 136 páginas, a publicação é uma edição comentada e explicativa das 150 tiras da versão original de "As 7 Bolas de Cristal", publicadas pelo jornal belga Le Soir entre 1943 e 1944. O livro reúne esboços, imagens dos arquivos de Hergé e informações diversas sobre a criação da obra, incluindo a participação de Edgar P. Jacobs na produção do álbum. O segundo volume, sobre "O Templo do Sol", está programado para setembro de 2014.


Mas Benoît Mouchart já tem outros projetos em andamento. Falando de uma versão colorida de "Tintim no País dos Sovietes", Mouchart confirmou: "Este é um projeto oficial e tem o apoio da Moulinsart. Uma página de teste foi mesmo realizada, com cores mais sépias. Eu estava um pouco cético no início, mas percebi que foi um verdadeiro sucesso. Só que não temos cronograma de lançamento".

Quando questionado sobre a publicação de uma aventura completamente inédita, Mouchart respondeu: "Sim, é um inacabado que se chama "Tintin et le Thermozéro", que se situa entre "Tintim no Tibete" e "As Jóias da Castafiore". Há cinco ou seis versões do roteiro, um deles escrito por Greg. É uma história muito 'hitchcockiana'. Tintim é testemunha de um acidente de carro: um homem é atropelado. Ele coloca sua capa sobre o ferido, que acaba morrendo. Ele descobre um papel no bolso e que os homens querem recuperá-lo... Hergé finalmente desistiu da publicação, porque era muito próximo de álbuns como "O Caso Girassol". Existe um storyboard completo e oito páginas de rascunhos desenhados por Hergé. Estamos discutindo uma publicação, algo semelhante a como publicamos "Tintim e a Alfa-Arte" após sua morte. Mas, novamente, não há nenhuma data", conclui.
Compartilhe:

quinta-feira, 20 de março de 2014

Três personagens de Hergé inspirados em seu irmão

O que Tintim, o Capitão Haddock e o Coronel Sponz ("O Caso Girassol", "Tintim e os Pícaros") têm em comum? Os três personagens de Hergé tiveram alguma inspiração em seu irmão mais novo, Paul Remi.

Você já deve ter visto aqui e aqui que a concepção de Tintim e Haddock foi influenciada pela aparência (no caso do primeiro) e no vocabulário forte (com um milhão de raios!) de Paul. Mas talvez ainda não saiba que um dos maiores vilões das aventuras de Tintim também foi inspirado no irmão de seu criador.


Segundo a história conhecida, depois que Tintim se tornou conhecido e a homenagem de Hergé ao irmão ficou evidente, Paul, que era militar, passou a ser conhecido pelos colegas como "Major Tintin". Para acabar com a brincadeira, cortou o cabelo, deixando o topete (literalmente) para trás e abandonando a aparência similar à do repórter. Mas Hergé não sossegou e decidiu homenagear novamente o irmão, desta vez na imagem do militar bórduro Sponz (ou Esponja), que também ostenta um chumaço de cabelo sobre uma cabeça raspada.

:: Mais sobre Paul Remi

O irmão de Hergé também tinha talento para as artes. Apesar de não ter priorizado a carreira artística, publicou três livros de ilustrações: "Les Chevaux du Major", "Petite Histore de l'Equitation" e "En Selle, les jeunes", todos sobre equitação, atividade que executava com maestria.


Um personagem com traços semelhantes aos de Paul Remi (e do Coronel Sponz) apareceu também no álbum "O Cetro de Ottokar", em uma cena que conta com a participação de sósias de Hergé e sua então esposa, Germaine.


Compartilhe:

quarta-feira, 19 de março de 2014

Anthony Horowitz fala que Tintim é sua inspiração

Em entrevista ao Daily Mail, o escritor Anthony Horowitz, criador de Alex Rider e autor do primeiro romance de Sherlock Holmes aprovado pelos herdeiros de Conan Doyle, apresentou seu escritório e apartamento em Londres, onde mora há oito anos com sua esposa e dois filhos.


Horowitz apresenta alguns itens curiosos do seu flat, e conta um pouco sobre seu trabalho. Um desses trabalhos, aliás, é no roteiro da sequência do filme "As Aventuras de Tintim", de Steven Spielberg e Peter Jackson, que pelo visto já foi concluído.

Quando questionado sobre o que inspira seu trabalho, o escritor explica que a vista panorâmica de Londres é uma das suas inspirações. "Mas eu fui inicialmente inspirado a escrever por Tintim", diz Anthony Horowitz. "Eu tenho todos os livros, e eu particularmente amo este foguete Tintim, que eu consegui em uma loja em Covent Garden, é tão icônico. É um lembrete constante do meu herói de infância. Aliás, eu acabei de escrever o novo filme de Tintim para Steven Spielberg", conclui.

Bom, a julgar pelo que já foi noticiado, o segundo filme pode mesmo ser baseado em "O Templo do Sol", cujo roteiro já está escrito há bastante tempo. Mesmo assim, ainda devemos aguardar a divulgação oficial.
Compartilhe:

terça-feira, 18 de março de 2014

Quando Hergé errou

Hergé sempre foi conhecido pelo trabalho de pesquisa envolvido na concepção de seus álbuns. Ao longo dos anos, o criador das aventuras de Tintim compilou uma extensa variedade de imagens, fotos e artigos de publicações como a revista National Geographic. Tudo para dar veracidade ao visual e ao contexto das suas histórias.

Mas o que poucos talvez saibam é que Hergé também errou. Não foi um engano complexo, relacionado a alguma descoberta científica ou tecnológica. No caso que tratamos aqui, a falha foi em um assunto aparentemente muito simples, que talvez não deva ser atribuído ao desenhista, mas sim aos coloristas.

No álbum "As 7 Bolas de Cristal", as cores do arco-íris foram retratadas de forma incorreta. Enquanto a ordem de cores original é vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta (de fora para dentro), no desenho de Hergé aparece o inverso, como você vê na ilustração abaixo, que traz a versão correta de um arco-íris na parte superior.


Se você pensa que este foi o único erro de Hergé, engana-se. Ainda tem mais...
Compartilhe:

sexta-feira, 14 de março de 2014

Fatos em Fotos: Hergé encontra Mauricio de Sousa


Você sabia que o pai de Tintim já se encontrou com o criador da Turma da Mônica? Pois é, graças a uma foto enviada pelo leitor Marcos Araújo, descobrimos que Hergé, Mauricio de Sousa e suas criações já estiveram frente a frente nos anos 1970.

O encontro entre Mônica e Tintim (que também contou com a participação de Spirou, criação de André Franquin) ocorreu em 1971, no desenho que você vê logo abaixo, assinado por Mauricio em Lisboa, Portugal.


Em 1972, Hergé foi convidado de honra do 1º Congresso Internacional de Quadrinhos, que aconteceu entre 22 de abril e 1º de maio daquele ano no Royal Manhattan Hotel, em Nova York. Nesta ocasião ele juntou-se com Mauricio de Sousa e outros nomes de peso dos quadrinhos mundiais, como Stan Lee (criador de personagens como Homem-Aranha e X-Men), Will Eisner (Spirit) e Hugo Pratt (Corto Maltese). Ainda bem que tivemos um fotógrafo presente para registar este fato...

Hergé desenha para Mauricio de Sousa em 1972. Mais fotos em: GetBack.
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT