COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Quick e Flupke: Álbum inédito de Hergé chega ao Brasil

A editora Globo Livros Graphics lança em novembro, no Brasil, o álbum em quadrinhos "As Diabruras de Quick e Flupke - vol. 1" (Les Exploits de Quick et Flupke - vol. 1), de Hergé. Criadas pelo pai de Tintim em 1930, as peripécias dos pequenos garotos de Bruxelas já foram publicadas em português como "Aventuras e Desventuras de Quim e Filipe", mas nunca por uma editora brasileira.

A edição nacional marca os 30 anos da morte de Hergé, e o segundo número está previsto para 2014. ATUALIZAÇÃO: Serão dois volumes com a coleção completa. Com formato um pouco menor que os álbuns de Tintim lançados pela Cia das Letras (aliás, é uma surpresa a editora não ter publicado o título), 21 x 28 cm, o volume de 184 páginas é vendido por R$ 39,90. Veja a capa abaixo:


:: Um pouco de história

Quick et Flupke fizeram sua estreia em 20 de janeiro de 1930 no mesmo jornalzinho que apresentou Tintim, o Le Petit Vingtième. Os personagens-título são dois travessos meninos de Bruxelas que vivem se envolvendo em situações engraçadas, criando invenções inusitadas e enlouquecendo os adultos - principalmente o Agente 15, um policial à lá dupond e Dupont que vive implicando com eles. Suas historinhas não passam de duas páginas, às vezes sem falas, mas sempre com gags relacionadas ao cotidiano dos moleques.

Ao longo de uma década, foram mais de 300 histórias publicadas. A primeira compilação das tiras de Quick e Flupke foi publicada originalmente em 5 livros entre 1930 e 1941, em preto e branco. Só mais tarde, com o fim da Segunda Guerra Mundial, as tirinhas foram coloridas e republicadas em 11 volumes, entre 1949 e 1969, tornando-se populares em outros países de língua francesa, além da Bélgica. Entre 1975 e 1982 foi editada uma nova coleção com as mesmas histórias, agora em seis volumes, com o título "Les Exploits de Quick et Flupke". Após a morte de Hergé, a série foi republicada pela Casterman em 12 volumes entre 1985 e 1991, fora da ordem cronológica e incluindo tiras não desenhadas pelo artista. Em Portugal, a Editorial Verbo publicou "Aventuras e Desventuras de Quim e Filipe" em 12 volumes.

:: Curiosidades:

:: Os nomes Quick e Flupke são o diminutivo dos nomes Patrick e Phillipe, respectivamente, no dialeto belga brabant.

:: Diz a lenda que, voltando ao trabalho depois de tirar férias, Hergé foi surpreendido por uma "pegadinha" dos colegas de redação, que, sem avisar, haviam anunciado publicamente que ele lançaria uma inédita série de quadrinhos. Com poucos dias para dar conta do recado, Hergé mesclou reminiscências infantis com influências do cinema e dos cartuns norte-americanos para dar vida a dois garotos às voltas com confusões nas ruas da Bruxelas dos anos 1930. Limitado ao espaço de duas páginas por semana, Hergé desenvolveu a partir dali narrativas cômicas que, além do primor da concisão, apresentam a atmosfera ternamente poética do universo das crianças.

:: A série já virou desenho animado nos anos  1980, e manteve o mesmo estilo rápido e nonsense dos quadrinhos. Confira a abertura abaixo.



Com informações da Wikipedia.
Compartilhe:

terça-feira, 22 de outubro de 2013

5 projetos inacabados de Hergé

Com a notícia do novo álbum de Tintim, anunciado para 2052 - parece piada, mas não é -, tintinófilos ao redor do mundo aguardam ansiosamente por esta passagem de 40 anos, para saber qual será o título da 25ª aventura e quem será o artista responsável - se é que ele já nasceu... E como alguns defendem a ideia levada por Hergé até o leito de morte, de que ninguém além dele deveria criar histórias de Tintim, resolvi listar aqui alguns projetos inacabados do próprio criador da série, abandonados por algum motivo, mas que com seus devidos ajustes poderiam ser usados na nova fase do repórter - em que ele deverá ser apresentado aos nossos netos...

Compartilhe:

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Moulinsart aprova novo álbum de Tintim

Isso mesmo, mas vamos ter que esperar "um pouco" até ver a obra nas livrarias...

Em entrevista aos periódicos franceses Le Soir e Le Monde, o diretor da Moulinsart S.A., Nick Rodwell (na foto abaixo, à esquerda), anunciou que um novo álbum de Tintim seria altamente provável um dia. Mas não se empolgue, porque o lançamento só deverá ocorrer em 2052. Sim, você leu direito: 2052.


Como assim? - deve estar se perguntando. Acontece que a obra de Hergé cai em domínio público no ano de 2053, 70 anos após a morte do artista. "Hergé não queria que outras histórias fossem criadas depois dele, mas vamos ter uma nova, um ano antes de a obra cair em domínio público, para proteger os direitos", disse Rodwell, atual marido da viúva de Hergé. Ele explicou que uma data tão distante prolonga os direitos pela obra, e impede que Tintim seja usado "de qualquer maneira" no domínio público.

Sem entrar em maiores detalhes sobre a possível nova aventura, Nick Rodwell afirmou que a missão dos herdeiros de Hergé é "proteger e promover" seu trabalho. "Temos 40 anos para pensar nisso", concluiu.

80 anos na Casterman

O anúncio ocorreu durante a apresentação da nova parceria entre a Moulinsart e a Casterman, agora dirigida por Charlotte Gallimard (na foto acima, à direita). As duas corporações europeias se reúnem para a realização de projetos conjuntos, com a intenção de "valorizar e preservar a memória e a atualidade da obra de Hergé". A partir de janeiro de 2014, marcando os 80 anos desde a primeira publicação de Tintim pela Casterman, a editora francesa lança uma série de trabalhos inéditos dedicados Tintim e Hergé, começando pelo livro "Secrets des Cigares du pharaon" (Segredos de Os Charutos do Faraó), sobre a evolução do desenho nas diferentes versões do álbum.

Clique na imagem para ver o especial do Tintim por Tintim sobre "Os Charutos do Faraó".

Ainda em janeiro, a editora se tornará "parceira oficial" do Museu Hergé, por meio de um patrocínio de 50 mil euros por ano, durante três anos.

Filmes e desenhos animados

Segundo o site La Libre, enquanto Rodwel pensa em um novo álbum em quadrinhos, Benoît Mouchart, diretor editorial da Casterman, considera a possível "imaginar um romance". Mouchart também aprecia a ideia de spin-offs, séries derivadas sobre personagens como o Capitão Haddock ou 'Joana, João e o macaco Simão' (Jo, Zette e Jocko), uma possibilidade recebida sem muita empolgação por Rodwell, mais favorável a "um filme ou um desenho animado".
Compartilhe:

domingo, 6 de outubro de 2013

Oliveira da Figueira, um português no mundo de Tintim

Oliveira da Figueira é um personagem de Hergé que aparece pela primeira vez no álbum "Os Charutos do Faraó" (1932). É retratado como um comerciante português de Lisboa que consegue vender de tudo, mesmo o objeto mais desnecessário, e em pleno deserto! Apesar de aparecer poucas vezes, o simpático vendedor - um típico e caixeiro viajante - consegue salvar Tintim e o Capitão Haddock de várias situações muito complicadas.

Em sua estreia nos álbuns de Tintim, vende seus cacarecos à bordo de um barco no Mar Vermelho, rumo ao fictício deserto de Khemed. Sua habilidade de persuasão é tão forte que até Tintim se torna sua "vítima", aparecendo em um dos quadrinhos carregado de bugigangas das mais inúteis.

O comerciante fixa residência na cidade de Wadesdah, Khemed, onde Tintim volta a encontrá-lo outras duas vezes. Em "Tintim no País do Ouro Negro" ajuda Tintim a entrar disfarçado no covil do Dr. Müller, enquanto conta uma enrolada história aos capangas do vilão. Já em "Perdidos no Mar", tem o prazer de apresentar ao Capitão Haddock o saboroso vinho rosé português, além de ajudá-los novamente com os disfarces.

O carismático personagem é mencionado também em "As Jóias da Castafiore", como um dos primeiros a felicitar o Capitão Haddock pelo seu suposto casamento com Bianca Castafiore.

:: Quadrinhos


Clique nas imagens para ampliar.
Todos os direitos reservados à Moulinsart S.A.

Curiosidades:

:: Na edição original de "Os Charutos do Faraó", publicada em preto e branco na década de 1930, Oliveira da Figueira afirma ter deixado a Europa devido à Grande Depressão e ao fato de que havia pouca concorrência ao largo da costa da Arábia.

:: Na primeira versão estrangeira de "Os Charutos do Faraó", publicada em Portugal nos mesmos anos 1930, Tintim foi apresentado como um repórter português de "O Papagaio". Dessa forma, o comerciante português, para continuar com ares de estrangeiro, virou Oliveira da Málaga, "caixeiro-viajante fugido aos horrores da guerra de Espanha".


:: Oliveira da Figueira foi uma das estrelas de uma campanha contra a especulação do mercado negro na Bélgica devastada pela guerra, em 1947. Na imagem acima, o português tenta vender aos famintos náufragos de uma jangada comida e bebida a preços ligeiramente exagerados. Dupond e Dupont preferem comer seus chapéus e Haddock uma bota, enquanto Tintim recusa a oferta porque os preços não são “os oficiais”.

:: Rumores indicam que o personagem foi cortado do roteiro final de "As Aventuras de Tintim", filme de 2011 dirigido por Steven Spielberg, e que seria vivido pelo ator Danny DeVito. Apesar de não haver confirmação, existe um indício de que a notícia poderia ser verdadeira: no livro "As Aventuras de Tintim: O Romance", uma personagem com a mesma descrição física aparece na cidade de Bagghar, e fazendo comércio.
Com informações dos blogs Tintinófilo, Malomil.

SAIBA MAIS SOBRE OUTROS PERSONAGENS DAS AVENTURAS DE TINTIM:
Milu, o fiel companheiro
Nestor, o mordomo de Moulinsart
Dupond e Dupont, gêmeos?! - parte 1 e parte 2
Tintim e sua verdadeira origem
Capitão Haddock, o mais humano dos personagens de Hergé.
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT