quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

TPT Recomenda: Sherlock, 1ª Temporada

Chegou às lojas no início do semestre o box da série britânica Sherlock, produção da BBC baseada na obra máxima de Sir Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes. Com direito a luva e três discos, o box traz os três telefilmes (90 min) que compõem a primeira temporada da série criada por Steven Moffat (roteirista do filme "As Aventuras de Tintim") e Mark Gatiss ("Doctor Who"), além de 30 minutos de makink of. O TPT já conferiu o material e traz uma visão geral para o leitor...

Opinião

Quem já leu as aventuras de Sherlock Holmes com certeza vai gostar da série. Apesar de trazer o personagem para um cenário contemporâneo, a produção é o mais fiel possível ao estilo de Conan Doyle (diferente do filme de Guy Ritchie, que também não deixa de ser muito bom). O Sherlock de Benedict Cumberbach ("Cavalo de Guerra") é tão frio e irônico como o personagem dos livros. E Martin Freeman ("O Hobbit") manda muito bem como o Dr. John Watson, o fiel companheiro de Holmes, que nem sempre está de acordo com as excentricidades do colega de apartamento.


Os episódios se passam na Londres dos dias atuais. A arquitetura moderna da capital inglesa é usada como pano de fundo para histórias que poderiam se passar no século 19. É claro que algumas adaptações foram necessárias para trazer um clima mais contemporâneo à série: o diário de Watson foi substituído por um blog, Sherlock trocou o cachimbo por adesivos de nicotina e agora é viciado em enviar SMS. Por outro lado, a lupa do detetive continua lá, bem como o apartamento na Rua Baker, 221 B - ainda sob os cuidados da Sra. Hudson. O roteiro tem suspense, ação e humor muito bem dosados. Sherlock luta, assim como nos livros, Watson corre mais do que deveria, e mais de uma vez a série faz piada com a já questionada sexualidade dos protagonistas. Tudo num clima que vai agradar aos leitores das clássicas histórias do detetive.

Os episódios

A Mulher de Rosa (A Study in Pink): O título original faz alusão ao livro "Um Estudo em Vermelho", história em que Holmes e Watson se conhecem. Ambos procuram um apartamento para dividir o aluguel e, através de um amigo em comum, acabam se cruzando. Logo no primeiro contato, Watson se impressiona com a capacidade dedutiva de Holmes, e em pouco tempo estará investigando junto com o detetive um misterioso caso de suicídios em série. O episódio faz uma apresentação à altura da obra de Conan Doyle, com referências diretas e indiretas a elementos dos livros, como o fato de John Watson ter voltado da guerra no Afeganistão e de uma das vítimas ter escrito a enigmática palavra "RACHE" no momento de sua morte. Personagens conhecidos dos leitores, como a Sra. Hudson (Una Stubbs) e o Inspetor Lestrade (Rupert Graves), fazem suas primeiras aparições, assim como um velho conhecido do detetive, que se apresenta como seu "arqui-inimigo". A revelação final surpreende, e deixa a expectativa para episódios tão bons como o primeiro...


O Banqueiro Cego (The Blind Banker): Enquanto Watson procura um emprego, Sherlock Holmes é contratado por um velho colega de faculdade para investigar o aparecimento de símbolos estranhos na parede de sua sala, em um grande banco de Londres. Sherlock associa a pichação com a morte de um dos funcionários do banco, e descobre os mesmos símbolos ao investigar o caso de um jornalista assassinado. O que esconderiam aqueles símbolos orientais? Com claras referências ao livro "O Vale do Terror", Sherlock Holmes e John Watson, agora empregado, vão até os cenários mais recônditos da cidade para descobrir que relação há entre os dois homens assassinados e aquelas inscrições nas paredes. A tensão aumenta quando John e sua (quase) namorada, Sarah Sawyer (Zoe Telford), são sequestrados pela organização criminosa "Black Lotus". Caberá a Sherlock salvar a vida do casal e desvendar o mistério, que se mostrará mais obscuro do que o imaginado.


O Grande Jogo (The Great Game): Microft Holmes (Mark Gatiss), irmão de Sherlock, convoca o detetive para investigar a morte de um funcionário do governo que trabalhava em um projeto ultra-secreto: o submarino Bruce-Partington - esta é apenas a primeira das muitas referências deste episódio aos contos de Conan Doyle, desta vez citando a "Os Planos do Submarino Bruce-Partington". Paralelo a isso, Sherlock Holmes começa a receber telefonemas de um criminoso que ameaça explodir pessoas inocentes caso não tenha suas exigências atendidas. É aí que o detetive começa a investigar alucinadamente cinco casos diferentes, aludindo ao conto "As Cinco Sementes de Laranja". O clímax se dá quando John Watson torna-se um dos alvos do grande vilão da trama, Jim Moriarty ("O Vale do Terror").

A série "Sherlock" é item obrigatório na coleção de qualquer fã do personagem, e uma dica quente para quem curte histórias de suspense e aventura, como você, tintinófilo! Será uma delícia para quem já leu os livros acompanhar os três filmes tentando encontrar as homenagens à obra de Sir Arthur Conan Doyle. E para quem nunca leu, será uma apresentação digna e certamente muito atrativa. O TPT recomenda e assina embaixo.

:: Em breve: O Tintim por Tintim publicará um especial sobre Sherlock Holmes. Aguarde!
Compartilhe:

2 comentários:

  1. Realmente muito bom. Tem mistério e aventura na medida certa, e o mais legal é que, apesar de terem adaptado para os dias atuais, respeitaram muito a essencia da obra original de Conan Doyle.

    ResponderExcluir
  2. O Moffat também está por tras de Doctor Who (a partir da 5ª temporada na verdade). Recomendo a série à todos, é a melhor que já vi!

    ResponderExcluir

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT