COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Vídeo do lançamento da nova "Colecção Tintin"

O reportagem do site Correio da Manhã esteve presente ao evento realizado nesta terça-feira, 28/09, em comemoração ao lançamento da nova coleção de álbuns de Tintim em Portugal. No vídeo abaixo você confere uma entrevista com o argumentista Nuno Artur Silva, onde ele fala sobre Características da obra de Hergé, bem como sua importância para o século XX. Veja:

Compartilhe:

Editora portuguesa explica mudança no nome de Tintim

Acontece hoje em Portugal o lançamento da nova coleção de álbuns das aventuras de Tintim, qu acabam de ganhar nova tradução e formato. Editada pela ASA, a coleção será apresentada às 18 horas, no Espaço Tintin, em Lisboa, com moderação de Nuno Artur Silva.

O grande destaque na nova tradução é a alteração no nome do protagonista. Antes conhecido no país como Tintim, o repórter voltou a carregar seu nome de orige, Tintin. A editora Maria José Pereira, que traduziu os álvuns ao lado de Paula Caetano, garante que a nova tradução não tira o espírito da série. "Quisemos dar mais atenção à linguagem, dar-lhe uma sequência, condensar as ideias sem encher muito os balões", disse ela.

O formato, apesar de bem menor que o tradicional, também é inovador, e deve ser mais "apelativo para um público mais novo", segundo a própria editora. "Eu queria fazer uma coisa completamente diferente em relação àquilo que havia, e quando as negociações começaram, esse formato ainda não existia em nenhum país", diz ela. "Estou muito contente por ter mantido a tradição de Portugal ser um dos países não francófonos a fazer uma coisa diferente com o Tintin, neste caso com o formato", comemora a editora, em referência ao fato de Portugal ter sido o primeiro país a publicar as aventuras de Tintim (na revista "O Papagaio", em 1936), e também o primeiro a colorir suas aventuras (embora não tivesse a autorização de Hergé).

A respeito da "nova" grafia do nome do personagem título, Maria José comenta: "O Tintin é uma marca. Quando saiu no Papagaio, escrevia-se Tim-Tim, nome que se manteve nas traduções dos álbuns dos anos 80, por uma questão de gramática portuguesa. Quando a Paula Caetano e eu pegamos nas traduções para esta nova colecção, consideramos a importância da marca, que é um nome - podia ser Charles ou Jean - , e que por isso havia que respeitar a sua grafia. E também não fomos buscar os nomes das primeiras versões das personagens, tal como existiram em Portugal, nomeadamente as do Papagaio. Ao contrário do que acontece no Astérix, em que os nomes das personagens são expressões idiomáticas, considerámos que os das do Tintin estavam bem traduzidos e não havia motivo nenhum para ir buscar os antigos, como Rom-Rom ou Pom-Pom para o Milou, porque na altura havia uma atriz chamada Milú e parecia mal que o cão tivesse o mesmo nome dela. Mas tendo sido feita nos anos 30, essa tradução é aceitável à luz da cultura de então e do hábito que havia de aportuguesar tudo nessa época."

Os seis primeiros volumes da nova Coleção Tintin já estão disponíveis nas livrarias desde o início do mês. Estimase que, até o final do ano, 12 volumes já tenham sido publicados. O objetivo da ASA é ter os 24 álbuns da coleção no mercado antes da estreia do filme 'O Segredo do Licorne', no final de 2011.

As informaçõe são do site DN Artes.
Compartilhe:

sábado, 25 de setembro de 2010

Tintim na América chega à TV

Em 1991, a Fundação Hergé (hoje Moulinsart) lançou, em parceria como os estúdios Nelvana (Canadá) e Ellipse (França), uma série de TV baseada na obra de Hergé. Dirigiada por Stephen Bernasconi e Peter Hudecki, o desenho animado retratou quase todos os álbuns do jovem repórter, exceto "Tintim no País dos Sovietes", "Tintim no Congo" e o inacabado "Tintim e a Alfa-Arte". Já que as duas primeiras aventuras foram excluídas, o mais lógico a se fazer seria começar pela terceira, Tintim na América, correto? Mas não foi assim. Ninguém sabe os motivos ao certo, mas a viagem de Tintim aos Estados Unidos demorou a chegar à telinha, e só virou animação no último episódio da série, em 1992.


Assim como aconteceu com os demais, o episódio "Tintim na América" sofreu alterações em relação ao álbum. O motivo, no caso dos anteriores, era a adaptação do conteúdo a um público jovem mais moderno, já que a série de álbuns havia sido criada décadas antes. Contudo, as modificações neste episódio foram maiores do que em qualquer outro. Enquanto a maioria das histórias ocuparam episódios de duas partes, o enredo "Tintim na América" foi encolhido para um filme de cerca de 20 minutos. Para isso, é claro, muito material foi suprimido, e o que sobrou, alterado.

Compare algumas diferenças entre o livro e o desenho. Mas cuidado: pode conter spoilers.

Compartilhe:

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Direto do Fórum: novidades sobre a sinopse do filme

Informações importantes sobre o primeiro filme da trilogia Tintim foram divulgadas com exclusividade no fórum brasileiro dedicado ao personagem (clique aqui para ver a postagem original). Tratam-se, por enquanto, de curiosidades sobre a sinopse oficial do longa, que chega aos cinemas no final do ano que vem. Como terá distribuição dividida -, com a Paramount nos EUA e países de língua inglesa e a Sony Pictures no resto do mundo -, a apresentação do filme ao mercado acaba sendo diferenciada.

:: Entenda: enquanto a Sony descreve o filme como "o primeiro de três longas metragens planejados", a Paramount fala sobre "a primeira de duas partes da série de filmes 3D em captura de movimentos". Ou seja, como vai distribuir para uma fatia de mercado onde a série é mais popular, a Sony dá ênfase ao fato de estar sendo planejada uma trilogia. Já sua parceira internacional enfatiza a tecnologia utilizada no filme, cujo protagonista não é tão popular falando inglês, principalmente nos Estados Unidos.

:: Outra curiosidade relevante sobre a sinopse é que ela fala de Tintim, Milu e o Capitão Haddock "em uma aventura inesperada para recuperar o status do capitão como o rei dos mares". Isso significa que o velho marujo terá mais destaque que o jovem repórter?! A conferir...

:: A versão da Sony ainda diz que os protagonistas "devem correr para encontrar um navio há muito perdido, 'The Unicorn', que detém o segredo para um tesouro antigo... e a chave de uma antiga maldição". Pelo menos até onde eu sei, não há maldição alguma no enredo dos álbuns que serão adaptados. Serão estes sinais de adaptações profundas na história original?! Só o tempo dirá.

:: Também vale registrar que o filme é anunciado com o gênero "aventura familiar". Quanto à classificação, há uma controvérsia: ela aparece tanto como "all ages" (livre) como "PG" (algumas cenas impróprias para crianças). E só para acrescentar: aquele teaser poster que todos pensaram que fosse fake era oficial, sim! Mas, ao que parece, ele foi feito para divulgação aos licenciadores, e não para o público.

:: Fique ligado no Fórum Tintim por Tintim. Mais informações podem surgir em breve por lá... e por aqui também!
Compartilhe:

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Leilão reúne raridades de Hergé na França (e outras notícias)

Nos dias 9 e 10 de outubro será realizada a venda Hergé, um leilão que reunirá 400 lotes de objetos relacionados à obra do criador de Tintim. Entre as ofertas mais cobiçadas está um álbum original de "Tintim na América", datado de 1934. Editato pela Ogéo, a raridade tem preço estimado entre 35 mil e 40 mil euros. Segundo os organizadores do evento, o exemplar está conservado em "estado excepcional", e se sobressai ao restante dos objetos leiloados, como álbuns antigos, obras originais e documentos inéditos.


Organizado pela casa de leilões Piasa, também têm destaque na venda uma ilustração em formato grande de "O Templo do Sol" e um desenho feito por Hergé em um cartão postal, que representa Tintin com um ovo de Páscoa, de 1951.

O leilão será realizado na Orangerie do Château de Cheverny, que inspirou Hergé a criar o Castelo de Moulinsart, residência do Capitão Haddock. Após a venda, será realizada uma festa para os fãs de Tintim, que poderão tirar fotografias ao lado de réplicas dos veículos que o repórter utilizava nas histórias, assistir a conferências e participar de concursos, bem como visitar a exposição permanente "Os Segredos de Moulinsart".

As informações são da Agência EFE.

:: Outro leilão de peças relacionadas a Hergé será realizado neste domingo, na Bélgica. Organizado pela Banque Desinée, a venda trará cerca de 700 objetos associados ao mundo dos quadrinhos. Entre os itens ofertados estará um busto de Hergé esculpido em 1958 por Nat Neujean, com valor estimado entre 20 e 25 mil euros. Peças de Franquin também serão leiloadas, como um Marsupilami gigante de Jean-Marie Pigeon, estimado em 12-15 mil euros. Várias outros objetos e esculturas de personagens dos quadrinhos belgas, como Asterix e Blake & Mortimer estarão à venda. Para mais informações, acesse o site www.banquedessinee.be.

As informações sçao do site RTL info.

:: A editora portuguesa ASA está convidando os fãs de Tintim em Portugal para comparecer ao lançamento da série de álbuns de Tintim, agora Tintin, no país.  O evento ocorrerá no dia 28 de setembro, às 18 horas, no Espaço Tintin. Segundo o convite, que pode ser visto abaixo, a comemoração trará várias surpresas para os presentes. Então, tintinófilos portugueses, não percam esta oportunidade!


:: Steven Spielberg só lançará o filme de Tintim no final de 2011, mas até lá não ficará parado. O diretor está de olho na história Roboapocalypse, de Daniel H. Wilson, e pode adaptar a trama para os cinemas. Segundo sites de cinema do mundo todo, os direitos pela obra, que ainda não foi publicada, podem ter sido compradas pela DreamWorks, o mesmo estúdio de "Transformers", produção de Spielberg cujo terceiro filme chega aos cinemas em julho de 2011. Drew Goddard ("Cloverfield - Monstro"), já estaria trabalhando na primeira versão do roteiro, que trata de uma rebelião de robôs.

:: Enquanto a notícia não é 100% confirmada, a Paramount Pictures anuncia que começaram ontem as filmagens de Super 8. O filme é uma produção de Steven Spielberg, comdireção de J.J. Abrams ("Star Trek"). Por enquanto a sinopse ainda não foi revelada, mas o teaser confirma que a história envolve extra-terrestres. Super 8 é baseado numa ideia desenvolvida por Abrams e Spielberg há um ano, e o produtor de "Lost" disse que a obra será inspirada nos seus filmes favoritos de infância, muitos deles do próprio Spielberg. A estreia está prevista para julho de 2011.
Compartilhe:

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Rapidinhas Tintim por Tintim

:: A Log On Editora Multimídia, que lançou no Brasil o box com as temporadas completas da série As Aventuras de Tintim, está entrando no mercado estrangeiro. A editora brasileira, que já tem mais de 20 anos de estrada, começou a distribuir para o México um box semelhante ao lançado por aqui em 2008, com 9 DVDs e embalagem de luxo. Os episódios trazem áudio em português, inglês e espanhol e legendas em português e espanhol. Além de Tintim, também estão sendo comercializadas no país séries como Hello Kitty e Timothy vai à Escola. Confira o anúncio abaixo ou veja no site da Log On. Agradecimentos a Breno Peterson, membro do Fórum Tintim por Tintim.


:: Nos últimos dias 11 e 12 de setembro, foi realizado em Bruxelas, Bélgica, um evento em homenagem aos quadrinhos, ou bande desinée, como dizem por lá. A Fête de la BD Stripfeet 2010 reuniu milhares de pessoas, que puderam conferir um desfile de balões, um show de fogos de artifício, entre outras coisas. Mas o que chamou atenção foi o espetáculo "Son et Lumière" (Som e Luz), que reproduziu nas paredes de um palácio imagens relacionadas aos quadrinhos belgas. Tintim marcou presença, e apareceu numa apresentação em 3 dimensões, que pode ser vista no vídeo abaixo, disponibilizado pela Moulinsart em seu canal no YouTube.


:: Eitan Grinspun, que trabalhou nos efeitos de "Enrolados", nova animação 3D da Disney baseada na história de Rapunzel, está atualmente trabalhando na pós-produção de 'As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne', segundo o jornal The Record, da Universidade de Columbia, em Nova York. Grinspun foi um dos responsáveis pela animação dos cabelos da personagem, que chega aos cinemas brasileiros em janeiro de 2011. Será que ele está cuidando do topete de Tintim?!

:: No canal da On The Go Tours no YouTube, é possível conferir uma série de vídeos de divulgação do pacote de viagens "Destination Tintin", que visita locais por onde o jovem repórter já passou. Um deles você pode ver abaixo, no vídeo que mostra uma exploração ao Egito. A companhia de viagens On The Go criou o Destination Tintin em parceria com a Moulinsart S.A., detentora dos direitos da obra de Hergé.


:: Mais um leilão de peças relacionadas a Hergé será realizado na França. A segunda venda Hergé, organizada pela casa de leilões Piasa, acontecerá nos dias 9 e 10 de outubro, no castelo de Cheverny, que inspirou Hergé na criação do Castelo de Moulinsart. No sábado, o Festivan Tintin vai oferecer atrações no parque do castelo, além de conferências com os principais conhecedores da obra de Hergé. Já no domingo, o leilão dedicado a Hergé apresentará aos colecionadores mais de 400 lotes.

:: A TV francesa Arte começou a exibir nesta segunda-feira a série de documentários "Sur les traces de Tintin". Em seus cinco episódios, o programa mostrará cinco destinos visitados por Tintim, considerando os motivos que levaram o repórter até ali e as influências no trabalho de Hergé. Na chamada abaixo, já dá para perceber a qualidade excepcional do especial, que já tem até data para chegar em DVD. Será que alguma emissora paga brasileira se interessa?


:: Você viu Milú? Os donos da fox-terrier Milú enviaram um email ao blog pedindo ajuda para encontrar sua fiel amiga. Batizada em homenagem ao companheiro de Tintim, a cadelinha de 14 anos escapou de sua casa na Vila Santa Catarina, São Paulo, em junho deste ano. Ela foi vista pela útima vez na Rua Madre Emilie de Villeneuve, Vila Mascote, zona sul da cidade de São Paulo, SP. Segue abaixo o anúncio da busca. Colabore como puder!

Caso você tenha alguma notícia, envie email para contato@tintimportintim.com.
Compartilhe:

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Filmes de Tintim são lançados em DVD

Você conhece os filmes O Mistério do Tosão de Ouro e Tintim e as Laranjas Azuis? Caso não saiba, estes foram os únicos filmes em live-action (com atores reais) estrelados pelos personagen dos álbuns de Hergé. Produzidos na década de 1960, os dois longa-metragens são raramente encontrados fora do eixo franco-belga. Mas isto está prestes a mudar, pois foi anunciado para o próximo mês o lançamento de ambos em DVD. Antes que voce comemore, fique sabendo que a novidade chega apenas para os tintinófilos da terra da rainha... enquanto isso, no Brasil, nada!


Os filmes, que fazem sua estreia no Reino Unido, serão lançados pela BFI em 18 de outubro deste ano. Com os títulos "Tintin and the Mystery of the Golden Fleece" (1961) and "Tintin and the Blue Oranges" (1964), ambos foram remasterizados em alta definição, sendo apresentados em widescreen anamórfico e trazendo legendas e dublagem em inglês, além do áudio original, em francês. Cada DVD custará 17,99 libras (algo em torno de R$ 48,00).


As capas são adaptadas de cartazes originais, e vêm acompanhadas de um livreto ilustrado que traz, pela primeira vez em inglês, trechos do livro "J'étais Tintin au Cinema", autobiografia de Jean-Pierre Talbot, o intérprete de Tintim nas duas produções. Há ainda textos escritos pelos tintinólogos Simon Doyle (do site Tintinologist) e Christian Owens, bem como contribuições de Vic Pratt, curador no BFI National Archive e John Fardell, quadrinista e autor de livros infantis.
A propósito: Coincidentemente, ambos os filmes ganharam destaque mais recentemente no Fórum Tintim por Tintim - onde inclusive há links para download. Os membros discutem o que fazer para trazê-los para o Brasil, já que eles nunca foram lançados por aqui. Suas sugestões serão muito bem-vindas. Ao invés de apenas invejar os britânicos, clique aqui e participe.
Compartilhe:

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Tintim na América e a realidade dos EUA

Encontrar um editor para publicar Tintim na América nos Estados Unidos foi uma tarefa difícil. Em plenos anos 30, após ter saído de uma grande guerra e prestes a entrar em outra, quem seria tolo de fazer propaganda contra seu próprio país? As situações apresentadas por Hergé em seu novo álbum tinham uma certa dose de exagero, como todo cartum, mas eram um retrato da realidade norte-americana na época. O país estava mesmo dominado pelos bandidos, e tanto negros como índios eram oprimidos pelo desenvolvimento da nação do Tio Sam.


Foi só em meados dos anos 1940 que Hergé conseguiu editores interessados em publicar esta aventura nos EUA, mas para isso teria de seguir algumas imposições. Hergé não aceitou. Em 1973, porém, os americanos voltaram a mostrar interesse pela publicação da obra, convencendo o criador de Tintim a fazer pequenas modificações para que o álbum finalmente brilhasse em terras estadunidenses. O principal alvo dos americanos foi a situação dos negros. Os três únicos personagens "de cor" presentes na HQ possuíam aparência estereotipada, assim como em "Tintim no Congo". Para amenizar a situação, o cartunista redesenhou os personagens, resultando nas alterações que podem ser vistas abaixo:


A aparência do único gângster negro que aparece no segundo quadrinho da primeira página foi transformada numa versão menos caricata. O personagem deixou de ter traços tão fortes como os dos personagens de "Tintim no Congo" para ganhar um visual mais "humano", semelhante ao encontrado nos personagens negros do álbum "Perdidos no Mar", que viria alguns anos depois.


Na cena do desenvolvimento instantâneo da reserva indígena, que em 24 horas se transformou numa metrópole, um negro aparecia na portaria de um banco. O funcionário, que aparece no penúltimo quadrinho da página 29, perdeu o emprego para um homem branco, assim como os americanos queriam.


Na página 47, a versão original mostrava Tintim encontrando um bebê chorando no colo de uma mulher negra. Com as alterações no álbum, tanto a babá como o bebê tiveram a cor de pele alterada. Isso sem falar no choro da criança, que curiosamente também mudou.

Realidade x Ficção

Mesmo sofrendo essas pequenas adaptações, a publiação do álbum nos EUA, em 1973, não impediu que outros assuntos relacionados à realidade norte-americana na década de 1930 continuassem em evidência. A aventura se passa durante a Grande Depressão, período em que o país teve uma grande crise econômica, em consequência da Primeira Guerra Mundial. Mas a guerra de gangs, um dos maiores problemas na época, foi o tema principal da história. Para dar um teor mais realístico à aventura, Hergé fez algo que jamais reperitia: incluiu um personagem do mundo real, Al Capone. Quando Tintm o captura e tenta avisar um policial, acaba sendo preso no lugar do gângster. Isso acontece porque Hergé evitou mostrar o personagem sendo derrotado em definitivo, já que o verdadeiro ainda estava vivo na época da publicação.


O mesmo cuidado, porém, não foi tomado em relação ao clima de faroeste que a aventura apresenta. Hergé mostrou o Oeste americano dos anos 30 com as mesmas características do Velho Oeste presente nos filmes western. Só que o período conhecido como "Wild West" já havia passado, pois na realidade se estendera de meados do século XIX até as duas primeiras décadas do século XX. Neste caso, Hergé foi movido apenas pelo desejo de criar uma aventura semelhante às que assistia no cinema.


Outra faceta da realidade americana vista no álbum é o linchamento, morte normalmente realizada por meio de enforcamento. A prática, apoiada pela lei de Lynch, era comum nos Estados Unidos desde o final do século XVIII até meados da década de 1960. Embora fosse mais comum o linchamento de afro-americanos, o álbum apresenta o repórter belga sendo vítima de um grupo de cowboys, mas claro, vencendo pela sorte.

Observação: Este não foi o primeiro álbum do personagem a ser publicado nos Estados Unidos. Segundo o estudioso de Tintim Chris Owens, o repórter fez sua estreia na América do Norte em 1959, através da publicação de quatro volumes pela Golden Publishing: "O Cetro de Ottokar", "O Caranguejo das Tenazes de Ouro", "O Segredo do Licorne" e "O Tesouro de Rackham, o Terrível". Infelizmente, foram vendidos apenas 10 mil volumes de cada episódio, e o personagem só veio a ganhar certa popularidade no país através da série de TV da Nelvana. A propósito, este será um dos assuntos da próxima parte...
Compartilhe:

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Tintim na América


Tintim na América foi o terceiro álbum concebido por Hergé para a série "As Aventuras de Tintim". Assim como os episódios anteriores, a história foi publicada semanalmente no jornalzinho Le Petit Vingtième, de 3 de setembro de 1931 a 20 de outubro de 1932. Pode-se dizer que esta é uma continuação "indireta" da aventura de Tintim no Congo, pois tem ligação com personagens e elementos do álbum anterior. Caracterizado por situações absurdas e inesperadas, este é o álbum que mais evidencia a sorte do personagem principal...

Sinopse

1931. Depois de enfrentar um bando de gângsters no Congo, Tintim é enviado para Chicago, EUA, para livrar a cidade dos criminosos. Como um "repórter-mirim" fará isso, ninguém sabe, mas conhecendo sua fama internacional, os bandidos começam a se preocupar. A mando de Al Capone, "o rei dos bandidos", o jovem repórter é sequestrado assim que chega ao país mas, desde já, sua sorte começa a agir.


Assim que escapa dos comparsas de Al Capone, Tintim cai numa armadilha de Bobby Smiles, líder do Sindicato dos Gângsters de Chicago. Como não aceita a proposta de se juntar ao grupo para vencer o "rei dos bandidos", o repórter acaba ganhando mais inimigos, e sofre novas tentativas de assassinato. Quando ajuda a polícia a prender um grupo de bandidos, Tintim deixa Smiles escapar. Assim começa uma perseguição que leva o personagem a outro cenário: o velho-oeste americano.


Em RedDog City, Tintim adota um estilo cowboy, pois suas roupas são estranhas demais para os habitantes locais. No território dos peles-vermelhas, o repórter é sequestrado pela tribo dos Pés-Negros, graças a um plano de Bobby Smiles. Depois de causar uma confusão e conseguir escapar dos nativos, Tintim acidentalmente descobre um poço de petróleo, o que atrai a atenção imediata de uma multidão de investidores, gerando um desenvolvimento instantâneo do local. Depois de enfrentar alguns perigos, Tintim finalmente manda Smiles para a cadeia, mas seus problemas estão longe de terminar...


Quando descobre que Milu foi sequestrado, Tintim conhece um detetive pra lá de atrapalhado, que investiga o caso. Mais tarde, é preso injustamente e enfrenta outros vilões perigosos, que fazem de tudo para acabar com sua vida. Apesar de derrotar a todos eles, Tintim não aparece vencendo o maior de todos, Al Capone. Mesmo assim, ao final da aventura, é aclamado por uma multidão nas ruas de Chicago.

Histórico


A aventura de Tintim no Congo já sugeria que o personagem estava pronto para invadir o território americano. O objetivo original de Hergé era escrever um relato sobre a opressão dos índios nos EUA, assunto que sempre o havia fascinado. Ele queria mostrar os cenários de filmes de faroeste, os desertos e pradarias da América do Norte, bem como os cowboys e índios peles-vermelhas. Mas a ideia não agradava tanto ao abade Norbert Wallez, que havia imaginado uma história sobre o sindicato do crime em Chicago, na intenção de ilustrar o quão corrupto os Estados Unidos realmente eram (vale lembrar que  abade era direitista). Dessa forma, Hergé decidiu apresentar em sua aventura outras características da América, como as indústrias modernas, as grandes cidades e, é claro, dos mafiosos.

Assim como acontecera na concepção de "Tintim no País dos Sovietes" e "Tintim no Congo", as fontes de Hergé eram muito limitadas, sem contar que, àquela altura, ele ainda não havia saído da Bélgica. Dessa forma, suas únicas inspirações foram os livros "Scènes de la vie Future" (Cenas da vida Futura), de Georges Duhamel, "L'Histoire des Peaux-Rouges" (A História dos Peles-Vermelhas), de Paul Coze e uma edição especial da revista "Le Crapouillot", falando sobre os Estados Unidos da América.

Hergé começa o álbum seguindo as orientações de Wallez, mas, na tentativa de pôr seus objetivos iniciais em prática, providencia um jeito de levar o repórter para o velho oeste. A cidade, que na edição original se chamava "Redskincity" (Cidade Pele Vermelha, em tradução literal), fica  perto de um acampamento indígena, onde o cartunista aproveita para desenvolver algumas de suas ideias. No entanto, a fim de evitar problemas com Wallez, editor do jornal, Hergé usa os índios para expor a corrupção dos norte-americanos. Faz isso em cenas que mostram os 'brancos' explorando as terras dos nativos, quando descobrem que são uma rica fonte de petróleo.


Outros temas relacionados à realidade americana da época também são retratados no álbum, mas de maneira um tanto superficial. Servem como exemplo o fracasso da Lei Seca (ilustrado por um delegado beberrão), a guerra de gangues (enfatizada pela rivalidade entre os grupos de Al Capone e Bobby Smiles) e a discriminação aos negros (que aparecem sempre como subordinados).

Publicação

Tintim na América foi publicado no Le Petit Vingtième de 3 de setembro de 1931 a 20 de outubro de 1932, duas páginas por semana. Em 1932, foi publicado pela primeira vez como álbum, em preto-e-branco, pelas Éditions du Petit Vingtième. Em 1941 começou a primeira atualização do álbum, inicialmente com a finalidade de publicação em um jornal holandês, Het laatste Nieuws. Mas a primeira edição colorida só saiu em 1945, quando Hergé redesenhou a história, assim como havia feito com o álbum anterior, alterando o número de páginas para 62, o padrão de seus livros. A publicação saiu pela editora francesa Casterman.

Como no caso de Tintim no Congo, a versão a cores do foi beneficiada pelos progressos que a prática e a experiência já haviam dado a Hergé. Na nova versão, publicada em 1946, foram feitas várias melhorias na linguagem visual, que tornaram a leitura mais fluente e compreensível. Desta aventura em diante, o domínio da arte que o cartunista alcançou fazia as imagens falam por si mismas, sem depender tanto do texto.

O primeiro país a traduzir o álbum para outra língua foi Portugal - que aliás foi o primeiro a publicar uma obra de Hergé fora do eixo franco-belga. Em 16 de abril de 1936, a revista infantil "O Papagaio" começou a publicação da história, com o título "As Aventuras de Tim-Tim na América do Norte". Com essa empreitada, Portugal entrou para a história como o primeiro país a publicar uma aventura de Tintim traduzida e a cores. Clique na imagem abaixo e veja a primeira página: 



Um dos países que mais resistiu à publicação da aventura foram os Estados Unidos. Encontrar um editor para  o álbum na terra em que ele era ambientado foi uma tarefa praticamente impossível. Na próxima parte, descubra as modificações que Hergé teve de fazer para conseguir enviar Tintim para a verdadeira América...
Compartilhe:

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Especial Tintim na América

No dia 3 de setembro de 1931, chegava às bancas de toda a Bélgica mais um número "Le Petit Vingtième", suplemento infanto-juvenil do jornal "Le Vingtième Sciècle". Àquela altura, o jornalzinho já havia se popularizado muito entre crianças e adultos do país francófono, que ansiosamente aguardavam as novas aventuras de Tintim.


Já havia passado quase três meses desde o fim da última aventura do repórter, Tintim no Congo, que levou o personagem criado por Hergé à colônia africana. Como uma história leva a outra, o bravo garoto e seu cachorro Milu partiram dali sabendo o seu próximo destino: os Estados Unidos da América. Foi assim que começou sua terceira aventura, Tintim na América...

Durante a próxima semana, você vai saber tudo sobre esta grande aventura, onde nosso querido amigo vai da cidade ao faroeste, enfrentando gângsters e peles-vermelhas. O Especial Tintim na América está imperdível!
Compartilhe:

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

James Cameron "esnobou" Tintim

Cameron (à esquerda) e Spielberg
Em entrevista ao site do jornal francês Le Figaro, o cineasta James Cameron falou sobre seu desejo de fazer duas continuações para "Avatar", seu último grande sucesso de bilheteria (US$ 2.730 bi), e novo dono da marca de filme mais assistido dos últimos tempos (antes era "Titanic", do mesmo diretor). Cameron comentou que a edição especial do filme mostrará cenas inéditas ("oito minutos e cinquenta segundos", segundo ele), que incluem novas criaturas e sequências de ação.

Sobre seus próximos projetos, o diretor comentou sobre a sequência de Avatar, cujo roteiro ainda nem começou a ser escrito. "No momento, minha prioridade é terminar de escrever o romance de Avatar, que comecei há um ano e meio e deve ser lançado no final do ano ou início de 2011". O norte-americano também confirmou a versão de Titanic em 3D, e disse que vai "gastar uma boa parte do ano" realizando a conversão para o formato, "utilizando o método 'profundidade contínua', mais caro e demorado". A ideia é relançar Titanic com a nova tecnologia em 2012, quando o famoso naufrágio completa um século.

Outro assunto abordado na entrevista foi a adaptação cinematográfica de Tintim. Segundo o site, Steven Spielberg e Peter Jackson visitaram o set de Avatar quando o filme estava sendo rodado, na Nova Zelândia. "Eles estavam particularmente interessados no processo de captura de performance virtual e não tanto no 3D", comentou Cameron, que mostrou pouco interesse na produção dos colegas: "Pessoalmente, Tintin não é minha praia. Sou mais os heróis da Marvel, Hulk, Homem-Aranha e X-Men, com os quais eu cresci." Sobre o filme em si, o diretor teve pouco a dizer: "Eu não li o script e não sei nada da história. Steven me mostrou alguns modelos de cenas e fez uma demonstração que dá uma idéia da aparência final. Promete ser divertido e muito legal. O conceito não é reproduzir a realidade, mas uma espécie de hiper-realidade", concluiu.
E então, o que achou?!
Discuta este assunto no Fórum Tintim por Tintim.
É só clicar aqui!
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT