COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Além de Tintim: Alfred Hitchcock


Há exatos 30 anos, no dia 29 de abril de 1980, falecia em Los Angeles, EUA, o grande cineasta Alfred Hitchcock. Vítima de insuficiência renal, o renomado diretor anglo-americano é lembrado até hoje como o mestre dos filmes de suspense.

Nascido em 3 de agosto de 1899 em Londres, Hitchcock começou a trabalhar aos 14 anos, após a perda do pai. Sua carreira cinematográfica começou em 1920, numa empresa da Paramount Pictures, onde ele fazia as telas de texto que identificavam diálogos nos filmes mudos. Em 1922 ele começou seu primeiro projeto de cinema, o filme "Number Thirteen", que logo foi abandonado. Dois anos depois, Hitchcock ganhou uma chance como diretor, com filme "The Pleasure Garden", de um estúdio alemão. No ano seguint, lançou o longa "The Lodge: A Story of the London Fog" (O Inquilino), baseado nos assassinatos de Jack, o Estripador. Este foi seu primeiro filme de suspense, gênero que marcaria para sempre o seu nome na história do cinema.

Em 1939, Hitchcock mudou-se para os Estados Unidos, onde seria naturalizado norte-americano alguns anos depois. Seu primeiro filme em Hollywood foi "Rebecca", que ganhou o Oscar de Melhor Filme e lhe rendeu sua primeira indicação a Melhor Diretor. Apesar de ser mais conhecido pelos filmes de suspense, o trabalho do diretor não se limitou a esse gênero, mas também passou pela comédia, ficção e até 3D - com o clássico "Disque M para Matar", estelado por Grace Kelly. Porém, é por filmes como "Janela Indiscreta", "O Homem que sabia demais" "Os Pássaros" e, claro, o clássico "Psicose", que o diretor entrou para o hall dos maiores profissionais de Hollywood.


:: Curiosidade: Uma das marcas do trabalho de Alfred Hitchcock foi fazer pelo menos uma aparição em cada um de seus filmes, tradição que começou em O Inquilino, de 1926. Isso serviu de inspiração para os criadores da série de TV baseada nos álbuns de Tintim, onde Hergé, seu criador, aparece em praticamente todos os episódios.

:: Falando nisso: Você sabia que Tintim já se encontrou com Hitchcock? Veja neste sábado, aqui no blog.
Compartilhe:

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Proibição de "Tintim no Congo" pode sair em uma semana

No dia 5 de maio finalmente deve chegar ao fim a polêmica envolvendo Bienvenu Mbutu Mondondo e a obra Tintim no Congo, de Hergé. A decisão do tribunal belga era esperada para hoje, mas acabou sendo adiada em uma semana. Residente na Bélgica, o estudante universitário congolês aguarda a decisão da Justiça, que pode ou não acatar seu pedido de proibição do álbum no país.

A guerra judicial começou em 2007, quando Mondondo apresentou queixa pela primeira vez, por considerar, entre outras coisas, que o ajudante de Tintim em sua visita ao país africano, Coco (Coquinho, no Brasil), é visto como "estúpido e sem qualidades". Apesar de o álbum continuar à venda na Bélgica e nos países onde foi publicado, há três anos Mondondo 'venceu' uma batalha.

A Comissão para a Igualdade Racial da Grã-Bretanha chegou a pedir a proibição do álbum, alegando que o mesmo continha imagens e "palavras de preconceito racial hediondo, onde 'nativos' africanos são retratados como macacos e falam como imbecis". A edição britânica não deixou de ser vendida, mas agora só pode ser encontrada ao lado de livros para um público mais adulto, e são vendidas com um faixa de papel advertindo que o conteúdo pode ser ofensivo.

Mondondo disse à BBC que o livro "faz as pessoas pensarem que os negros não evoluíram". Ele também afirma que está pedindo a proibição das vendas do álbum no país, mas que, caso não consiga, ficará satisfeito em vê-lo nas prateleiras das livrarias com um aviso semelhante ao britânico.

Publicado em 1930, Tintim no Congo já sofreu duras críticas, por representar estereótipos raciais considerados grosseiros. Anos depois de sua publicação, Hergé afirmou que a concepção da história foi um pecado da juventude que refletia os preconceitos da época.

No Brasil, o álbum é vendido normalmente, inclusive sendo exposto junto com as demais obras assinadas por Hergé.

Com informações dos sites BBC Brasil e Times.
Compartilhe:

terça-feira, 27 de abril de 2010

Uma nova aventura de Tintim?

10 de maio de 1940. O exército alemão invade a Bélgica. Aos 33 anos, Hergé é obrigado a sair do país, para não ter o mesmo destino de seu irmão, Paul, que fora deportado para a Alemanha como prisioneiro de guerra. O cartunista foge para a França, levando sua esposa, sua meia-irmã, sua sobrinha e seu gato siamês. No dia 22 daquele mesmo mês, Hergé se refugia em Collanges (Puy-de-Dôme), e fica ali por um mês, a convite de seu amigo e colega Marijac.

Como o jornal Le Vingtième Sciècle deixou de ser impresso em 09 de maio, em plena publicação da aventura de Tintim "No País do Ouro Negro", Hergé ficou sem trabalho. Mas ele não podia parar. Segundo a revista Circus, num artigo publicado em 1987 (clique na imagem abaixo), ele volta a desenhar, e começa uma nova história: Tintin et le Perfum Invisible ("Tintim e o Aroma Invisível", em livre tradução).

Ainda de acordo com a publicação, certo dia, quando o carro de Hergé quebra no meio da estrada, o desenhista o empurra até uma fazenda e o deixa lá, até que possa voltar para buscá-lo. Mas os anos se passam, a guerra prossegue, termina, e o dono do carro jamais volta. Um vizinho do fazendeiro, chamado Mouillessot, se interessa pelo carro abandonado, e o compra a preço de banana. Anos depois, ao mexer no banco de trás, ele descobre algumas folhas rabiscadas, mas não conhece o personagens desenhados ali. Aquelas seriam as quatorze páginas de esboços de 'Tintim e o Aroma Invisível', que acabaram sendo esquecidas por Hergé, já que seu próximo álbum fora "O Caranguejo das Tenazes de Ouro".

Aquelas preciosas páginas passam de mão em mão, até finalmente ser comprada por um rico colecionador holandês, que segundo a revista prefere permanecer anônimo. Mas ele mostra os supostos esboços de Hergé, e quem tem o privilégio de vê-los garantem que são autênticos. O enredo traz um acontecimento que teria sido o mais audacioso de todas as aventuras escritas por Hergé: o desaparecimento de Tintim. Tudo começaria com um passeio de Tintim e Milu ao redor do castelo de Moulinsart. De repente, um misterioso gás se espalha pelo ar, e o jovem repórter cai desmaiado - isso ainda na página 3, disponível abaixo. Em seguida, homens com máscaras de gás entram em cena, e carregam Tintim, que só volta a aparecer na última página.

Por anos, muitos fãs de Tintim buscaram mais informações sobre essa possível nova aventura de Tintim. Em fóruns espalhados pela rede, há o questionamento sobre a autenticidade desses esboços, e sobre quando o tal colecionador estaria disposto a revelá-los ao mundo. Mas muitos com certeza ficarão surpresos ao descobrir que, embora este manuscrito realmente exista, ele jamais foi assinado por Hergé. "Le Parfum Invisible" é oum trabalho de dois franceses, Christian Goux e Didier Convard , e foi projetado especificamente para a edição da revista Circus do dia... 1º de abril!

Isso mesmo, foi tudo uma pegadinha. No entanto, a parte que conta sobre a estadia de Hergé na casa em Collanges - sem água corrente - é a pura verdade. Na época, ele participou da vida da aldeia, ajudando até mesmo a cortar feno. Em casa, onde os jovens se reuniam para jogar baralho e ouvir rádio, Hergé às vezes desenhava Tintim na mesa da cozinha ou numa toalha de papel, sob o olhar atônito dos moradores. Talvez um destes esboços que ele fez ainda esteja no sótão da aldeia... Neste caso, a caça ao tesouro pode continuar!

Fonte: La Montagne. A imagem no topo foi criada por Ralph Edenbag, baseando-se nos esboços "originais".
Compartilhe:

sexta-feira, 23 de abril de 2010

As novas do mundo tintinário


:: Depois da notícia do lançamento de Tintim em sua língua-mãe, os indianos receberão um novo presente em breve. O grupo de teatro Akvarious levará aos palcos um espetáculo baseado nos álbuns As Sete Bolas de Cristal e O Templo do Sol. Os 40 personagens em cena serão comandados pelo diretor Akarsh Khurana, que - apesar de reconhecer que uma marca reconhecida como Tintim ajuda a atrair o público - afirmou ao site DNA India: "É mais difícil adaptar para o teatro uma história em quadrinhos do que um livro. Os álbuns de Tintim são muito visuais e as pessoas já criaram imagens em suas mentes". Mas ele acrescenta que a adaptação unirá vários elementos: a quantidade certa de ação, comédia e aventura.

:: Um comunicado do Banque Dessinée informa que, durante o último leilão realizado pela casa, em Bruxelas, um conjunto de 10 litografias de Hergé foi arrematado por 31.200 euros (mais de 75 mil reais). Como você viu nas últimas rapidinhas, a caixa, datada de 1981, tinha valor estimado entre 20 e 25 mil euros. Entre outros, o conjunto trazia litografias raríssimas dos álbuns "Tintim no País dos Sovietes", "Tintim na América", "O Templo do Sol" e "Tintin no Tibete", todas autografadas.

:: Bienvenu Mbutu Mondondo está de volta. O estudante congolês, que tenta proibir a venda do álbum "Tintim no Congo" desde 2007, voltou a solicitar o veto à obra mais polêmica de Hergé. Dessa vez ele quer que as autoridades tomem uma providência sem ao menos a realização de um novo julgamento. Até o momento a Justiça não se pronunciou, mas parece que ele não vai sossegar tão fácil...

:: James Bond pode não ser um dos grandes concorrentes do filme de Tintim, em 2011. Segundo a Variety, a produção do 23º longa da série 007 foi interrompida devido aos problemas financeiros da MGM, que há tempos está à beira da falência. A melhor saída para o estúdio é ser vendido para outra empresa, e a Warner Bros. já se colocou à disposição. Enquanto o negócio não é resolvido, a produção fica parada, o que torna praticamente impossível a estreia do filme no final de 2011, como estava previsto. Mas os fãs de Daniel Craig não precisam se desesperar, já que ele também estará presente em 'O Segredo do Licorne', como o vilão Rackham, o Terrível.

:: Outro filme que foi anunciado como concorrente de Tintim e agora pendura as chuteiras por um tempo é Brave, animação dos estúdios Disney/Pixar - que até foi citado pelo blog como possível pedra no caminho do repórter. De acordo com o fórum AnimationS, Rich Ross, presidente do estúdio do Mickey, anunciou que a animação foi adiada para 15 de junho de 2012. Assim, Tintim tem dois concorrentes a menos - mas por enquanto Alvin e os Esquilos 3 (em 3D) e Marvin, O Marciano continuam na disputa...

:: Já está chegando às lojas de todo o país o novo lançamento da LogOn Editora. Conforme antecipado pelo blog, esta nova coleção traz os episódios da série produzida pela Nelvana em DVDs individuais, com preço sugerido de R$19,90. Segundo informações da editora, o lançamento atende a pedidos do público, visto que o Box completo, lançado em 2008, foi esgotado em menos de um ano. Para começar, neste mês chegam às lojas quatro títulos das Aventuras de Tintim: A Ilha Negra, O Lótus Azul, Perdidos no Mar e Os Charutos do Faraó. Mais detalhes em breve.

:: Muito se comentou recentemente (nos sites de notícias e comunidades internacionais de Tintim) sobre um "novo" álbum de Hergé, que ele teria iniciado, mas abandonado com o tempo. Le Parfum Invisible é o título dessa possível nova aventura de Tintim, que envolve uma trama curiosa e uma estrutura diferente das encontradas nos demais álbuns da série. Em breve você terá mais informações, numa postagem dedicada exclusivamente a este assunto.
Compartilhe:

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Tintim chega à Índia - e falando fluentemente...


Os indianos agora podem comemorar: depois de serem traduzidas para mais de 60 idiomas, As Aventuras de Tintim finalmente serão publicadas em hindi, com lançamento marcado já para o mês que vem. Para marcar o evento, está sendo planejada a "presença física" de Tintim e Milu - representados, é claro, por um ator caracterizado e um cachorro, bem à maneira dos tempos do Le Vingtième Sciècle.

Quem confirma a notícia é Ajay Mago, editor e CEO da Om Books International, editora que obteve os direitos autorais da versão em hindi de Tintim. Ele explica também que há cinco anos tenta negociar os direitos de Tintim com a Casterman, editora oficial da série. "Mas foi só depois de três anos, no início de 2008, que eles aceitaram, e desde então estou trabalhando na tradução", conta.

"Certamente foi uma tarefa difícil devido à grande e inerente diferença entre as culturas, sociedade, linguagem e sensibilidades", explica Mago. "As piadas praticamente não podem ser traduzidas, pois as frases e algumas referências podem ser comuns na Europa, mas não são conhecidas pelos nossos leitores. Assim, enquanto a narrativa básica permanece inalterada, eu tento usar uma piada ou expressão similar onde for necessário, se disponível em hindi, ou modifico, para a compreensão dos leitores indianos", explica Mago.

Assim, mantendo a sensibilidade do leitor em mente, alguns nomes de personagens foram alterados. Segundo Mago, depois de muita pesquisa, Madame Bianca Castafiore foi rebatizada como Malika Bianca Castafiore. Milu será chamado de Natkhat, e os detetives Dupond e Dupont ficarão conhecidos como Santu e Bantu. Os insultos do Capitão Haddock foram afetados, passando de e expressões como "com mil milhões de raios e trovões" para "karodo karod kasmasate kaale kacchuve" e "dus hazaar tadtadate toofan".

Os primeiros títulos lançados em maio serão: Samrat Ottokar Ka Raajdand (O Cetro de Ottokar), Neel Kamal (O Lótus Azul), Tuta Hua Kaan (O Ídolo Roubado), Kala Dweep (A Ilha Negra), Misrh Samrat ke Cigar (Os Charutos do Faraó), Tintin Congo Main (Tintim no Congo), Tintim América Main (Tintim na América) e Sunhare Panjon Wala Kekada (O Caranguejo das Tenazes de Ouro).

Os demais álbuns serão lançados dentro de um ano. Dependendo do desempenho da coleção em hindi, a Om pretende lançar os álbuns de Tintim em outros idiomas regionais da Índia.

Com informações do India Journal.
Compartilhe:

segunda-feira, 19 de abril de 2010

'Tintim' terá "maquiagem digital" de "Avatar"

Diferente do que se pode imaginar, não é o computador o único responsável pela incrível semelhança que há entre as expressões dos personagens virtuais de "Avatar" e os humanos. Na verdade, foi uma técnica conhecida como "maquiagem digital" que ajudou a dar vida e emoções humanas às criaturas concebidas para o blockbuster de James Cameron. De acordo com um artigo recente da Variety, esta mesma tecnologia será utilizada no longa 'As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne', e com um sistema um pouco mais avançado.

A "maquiagem digital" serve para evidenciar cada expressão facial dos atores, que utilizam uma espécie de capacete equipado com câmeras para captar esses movimentos nos mínimos detalhes. A técnica não é nova, visto que já foi utilizada em outras produções do gênero, como "O Expresso Polar", de 2004. Mas em "Avatar" ela alcançou um novo nível, e por isso a diferença entre os dois filmes é gritante.

A cabeça do departamento de maquiagem digital, Tegan Taylor, que também trabalhou no filme de 2004, já acumulou experiência suficiente para ser classificada como a rainha da maquiagem para performance capture 3D (o novo nome da técnica de "captura de movimentos", ou motion capture). Ao contrário de maquiagem convencional, que prepara atores para a fotografia, o trabalho de Taylor envolve basicamente aplicar centenas de pontos refletores em seus rostos, permitindo que as expressões emocionais sejam lidas pelo programa que processa as imagens animadas para o computador. A técnica vem evoluindo desde "O Expresso Polar", e para o filme de James Cameron - até então o maior sucesso da história do cinema - Taylor precisou criar uma tinta fosforescente, que não agredisse a pele dos atores. "Nada existente no mercado", diz ela.

Assim que concluiu seu trabalho em "Avatar", Tegan Taylor já partiu para outro desafio, desta vez no filme de Steven Spielberg e Peter Jackson 'O Segredo do Licorne', que ainda está em pós-produção na Weta Digital - empresa que cuidou dos efeitos de "Avatar". "Meu trabalho como chefe do departamento foi garantir que todas as as necessidades [da Weta] fossem satisfeitas", conta ela, que também fala sobre a evolução nas "poções", como ela chama a tinta utilizada na maquiagem digital: "Entre 'Avatar' e 'Tintin', eu as alterei ligeiramente, mudando sua consistência para obter resultados mais duradouros".

Além de 'Tintim', que estreia no final de 2011, Taylor também está envolvida no projeto "Mars Needs Moms", de Simon Wells, e faz testes para "Yellow Submarine", remake do filme dos Beatles assinado por Robert Zemeckis. Ambos serão lançados pelos estúdios Disney.
Compartilhe:

sábado, 17 de abril de 2010

Tintim e a Alfa-Arte - Final

É chegado o momento de se despedir da aventura de Tintim no mundo da arte moderna. Confira agora as duas páginas finais do pastiche Tintim e a Alfa-Arte, assinado por Yves Rodier, baseado na obra inacabada de Hergé.

Foi bom enquanto durou, aliás, foi ótimo para mim e para o blog. Tenho certeza que para os outros fãs brasileiros de Tintim também foi um presentão ler esta aventura completa em sua língua mãe. Obrigado a todos que acompanharam e comentaram durante mais de um ano!

P.S.: Fique ligado no blog nos próximos dias: Em breve teremos novidades sobre Tintim e a Alfa-Arte. E como este é um espaço democrático, o resultado da enquete não foi esquecido... Aguarde.
Compartilhe:

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Últimas do mundo de Tintim

:: Pra morrer de inveja: As Éditions Moulinsart acabam de anunciar uma nova coleção para fãs de Tintim. Distribuido pela Éditions Atlas, a coletânea Les Archives de Tintin será vendida apenas por correspondência, e logo no primeiro número trará a origem da obra O Lótus Azul. Esta é a primeira vez que a Moulinsart reúne, num único volume de 128 páginas, o álbum completo, mais 64 páginas só de arquivos inéditos e documentos raros, que contam os segredos da criação do álbum. Acompanhando o livro vem uma miniatura de Tintim em relevo, como pode ser visto no anúncio ao lado, além de um cartão postal. Sem dúvidas um lançamento sensacional, que infelizmente só deve ser lançado em francês... Cia das Letras, mexa-se!

:: Além da coleção prometida pela Moulinsart, os tintinófilos europeus receberão em breve outra coletânea, quinzenal, esta anunciada pela editora Hachette. Coincidentemente (ou não), o primeiro número de La Collection Prestige Tintin será O Lótus Azul. O conteúdo é parecido, mas tem lá suas diferenças: esta vem com um DVD da série, um livro informativo editado pelas Éditions Moulinsart e três cartões com ilustrações feitas por Hergé para o álbum. A partir do número 22 serão lançados os filmes em live-action e animação de Tintim, bem como documentários sobre Hergé. O anúncio abaixo já revela qual será o próximo lançamento: Tintim no Tibete. Fica a dica para LogOn e a Cia das Letras: lancem os episódios de Tintim junto com os álbuns e um brinde, de quebra. Os tintinófilos brasileiros também merecem...

:: Neste domingo ocorre, em Bruxelas, mais um leilão da Banque Dessinée. No total, 700 lotes relacionados aos quadrinhos belgas serão leiloados, incluindo obras do artista Franquin - como um portfólio intitulado "Ninho de Marsupilami" (avaliado entre 2.000 e 2.500 euros). Entre as obras de Hergé que estarão disponíveis, destaca-se uma caixa de dez litografias de Tintim, datadas de 1981. O valor está estimado entre 20 e 25 mil euros (de 50 a 60 mil reais).

:: Steven Spielberg está mesmo empenhado em fazer de Tintim um mega-sucesso. E a nova ideia do diretor é grandiosa: ele seria o principal motivador de uma colaboração entre a Moulinsart e a NASA, para conseguir com os herdeiros de Hergé a liberação do uso das cores do foguete lunar "X-FLR6" (presente nos álbuns Rumo à Lua e Explorando a Lua) na fuselagem do próximo foguete a ser lançado pelos EUA no espaço. Um acordo para pintar a nave norte-americana de vermelho e branco pode estar à beira do sucesso, a não ser por algumas exigências que estão sendo feitas pela Moulinsart.

:: O site Comics Aliance publicou a imagem acima, intitulada 'O Maravilhoso Museu das Perucas dos Desenhos'. Segundo o texto, a figura estampa uma camisa que homenageia os cabelos mais marcantes de personagens famosos dos desenhos animados. A peça custa 18 dólares, e entre os penteados mais conhecidos estão os cachinhos de Luluzinha, as tranças de Obelix, a pouca telha de Homer Simpson e as madeixas loiras de He-Man. É claro que nessa homenagem não poderia faltar o famoso topete de Tintim.

Com informações do site oficial de Tintim.

Compartilhe:

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Tintim é um dos 100 melhores desenhos de todos os tempos

A Revista Monet elegeu os 100 melhores desenhos animados de todos os tempos. A matéria de capa do 7 º aniversário da publicação da editora Globo abriu o baú do passado quando procurou pelos canais infantis para definir quais desenhos entrariam na lista. O critério foi simples: são produções que foram exibidas na televisão, não importa a origem e marcaram época.

Entre 100 os selecionados pela equipe da revista estão clássicos como Doug, He-Man, DuckTales, Snoopy, Caverna do Dragão e Os Smurfs. Abaixo você confere os 20 primeiros colocados. Entre eles não poderia faltar, é claro, a série animada As Aventuras de Tintim, produzida pela Nelvana na década de 1990.

01. Scooby Doo, Cadê Você! (Scooby Doo, Where Are You!)
02. Os Simpsons (The Simpsons)
03. Pernalonga (Bugs Bunny)
04. Bob Esponja (SpongeBob SquarePants)
05. Corrida Maluca (Wacky Races)
06. Tom & Jerry (Tom & Jerry)

07. Ducktales, os Caçadores de Aventuras
(Ducktales)
08. Pica-Pau (The Woody Woodpecker Show)

09. Os Flinstones
(The Flinstones)
10. South Park (South Park)
11. Tartarugas Ninja (Teenage Mutant Ninja Turtles)

12. A Pantera Cor-de-Rosa
(The Pink Panther)
13. Snoopy (The Charlie Brown and Snoopy Show)
14. Pokémon (Pokémon)
15. Os mistérios de Frajola e Piu-Piu (The Sylvester & Tweety Mysteries)
16. As Aventuras de Tintim (The Adventures of Tintin)
17. Popeye (Popeye)
18. Manda-Chuva (Top Cat)
19. Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons)
20. Os Jetsons (The Jetsons)

Confira a lista completa no site oficial da revista, clicando aqui.
Compartilhe:

segunda-feira, 5 de abril de 2010

As últimas do universo tintinário

:: Como você viu aqui, a Moulinsart exigiu em justiça a mudança de nome da Associació Catalana de Tintinaires - também conhecida como TintinCat. Na Assembleia Geral realizada no último dia 27 de março, a comunidade de tintinófilos na Catalunha (Espanha) decidiu, por maioria de votos, que o novo nome da associação será 1001. O título ainda faz referência ao mundo de Tintim, visto que a pronúncia em catalão é mil-ou.

:: Outro que teve de mudar seu nome por imposição dos herdeiros de Hergé foi o Generation Tintin, fã-clube sueco. Conforme anunciado em seu site oficial, o grupo passará a ser conhecido como Generation T - A Associação Sueca de Tintim. O novo nome também foi decidido por votação, neste caso no fórum do clube, durante o mês de fevereiro.

:: O Jornal do Brasil publicou na última sexta-feira, 02/04, uma matéria falando sobre as ações judiciais movidas pela Moulinsart contra autores e editoras - que incluem os dois casos acima. Escrito por Pedro de Luna (editor do JBlog Quadrinhos), o texto foi destaque na "Página B" do jornal impresso de sábado, que pode ser vista abaixo. É a primeira vez que a imprensa brasileira cobre os casos envolvendo os detentores dos direitos autorais de Tintim. Para ler a matéria completa, clique aqui.

:: Em nota publicada ontem no site ITN, o ator Simon Pegg contou como foi trabalhar com Daniel Craig, que interpreta o vilão Rackham, o Terrível, no longa 'O Segredo do Licorne'. Ele disse que foi muito bom ver Daniel Craig fazendo o papel de um bandido, depois de ficar famoso por dar vida ao super-espião 007. "Eu estava nervoso sobre o encontro com Daniel Craig", confessou. "Pensei que ele seria mal-encarado como James Bond. Mas ele é muito risonho, um garoto danado. Foi muito divertido".

:: Pegg, que no filme vive as trapalhadas do detetive Dupond, ainda falou sobre outro companheiro de trabalho: "Jamie Bell está fazendo um Tintim incrível".
Compartilhe:

domingo, 4 de abril de 2010

Vilões de Tintim: Rastapopoulos

Roberto Rastapopoulos é, sem dúvida alguma, o maior de todos os vilões das aventuras de Tintim. Primeiro por ser o mais presente na série de álbuns - ele participa ativamente de quatro aventuras, superando qualquer outro vilão. Sem falar que, nas histórias em que atua, sempre aparece como o líder da bandidagem, e dono um ódio tão grande por Tintim que acaba se tornando amado e odiado por todos os fãs do herói!

Agora você vai conhecer um pouco mais sobre este temível vilão, e já pode começar por analisar sua ficha criminal:

A História Oficial

Apesar de ter sua estreia atribuída ao álbum "Os Charutos do Faraó" (1934), a primeira aparição de Rastapopoulos aconteceu uma aventura antes, em "Tintim na América" (1932). No terceiro álbum de Tintim, o vilão faz apenas uma pontinha, em um quadrinho da página 57. Ali, o até então não identificado personagem está entre os convidados de um jantar em homenagem ao jovem repórter, sentado ao lado de uma atriz de Hollywood.

A ligação de Rastapopoulos com Hollywood fica mais clara em "Os Charutos do Faraó". No início do álbum, ele tem um encontro nada amigável com Tintim a bordo do navio Epomeo, no momento em que está prestes a bater no atrapalhado Dr. Sarcófago (ou Filemon Siclone). Como o repórter o impede de fazer uma loucura, ele promete vingança. Mais tarde, quando Tintim está no deserto, descobrimos que aquele homem irado é ninguém menos que o presidente de uma produtora de cinema, a Cosmos Pictures, que está rodando um longa chamado "Ódio de Árabe". Ele se desculpa com Tintim, convencendo o repórter (e talvez também o leitor) de sua gentileza. Esta imagem de bom moço permanece intacta por toda a história...

Não é em sua primeira aparição que Rastapopoulos se revela um grande inimigo de Tintim. Na verdade, a relação entre eles é tão amigável, que Tintim se surpreende ao descobrir que ele, aliado ao chinês Mitshuhirato, é o líder de uma gangue de traficantes de ópio. A revelação acontece no álbum "O Lótus Azul" (1936), onde o criminoso assume quem realmente é, dizendo inclusive que foi ele o homem que caiu do despenhadeiro depois de uma luta com Tintim, no final de 'Charutos'. No final das contas, o vilão é levado pela polícia de Xangai, mas sua influência não deve deixá-lo atrás das grades por muito tempo.
Os leitores têm uma nova surpresa quando Rastapopoulos aparece livre em "Perdidos no Mar" (1958 - "Carvão no Porão", em Portugal), desta vez disfarçado como marquês Di Gorgonzola, um rico aristocrata, dono do luxuoso iate MS Sherazade. Assim como Tintim, a nobreza que rodeia o suposto marquês, incluindo a cantora Bianca Castafiore, nem desconfiam que, camuflado por toda riqueza ostentada pela embarcação que navega pelo Mar Vermelho está o tráfico de escravos, que são transportados no porão. Mas a identidade do bandido, que tem Allan Thompson e Dr. Müller como cúmplices, só é revelada no final da aventura, onde sua carreira é dada por definitivamente encerrada, devido à sua suposta morte...

Mais uma vez Hergé surpreende a todos ao trazer Rastapopoulos "de volta à vida", agora no álbum "Voo 714 para Sydney" (1968). Desta vez, o pilantra trama o sequestro do jato do multibilionário Lazlo Carreidas, onde também viajam Tintim, Milu, Haddock e Girassol. Auxiliado por nacionalistas sondonesianos na ilha vulcânica de Pulau-Pulau Bompa, Rastapopoulos está em busca do número da conta bancária de Carreidas. Em sua maior participação num álbum de Tintim, o grande gênio do crime - como ele mesmo se intitula - passa por um ataque de loucura e implica com um macaco-narigudo. No fim da aventura ele é abduzido por um OVNI, junto com seus comparsas Allan, Spalding e Dr. Krollspell, e nunca mais volta a aparecer... oficialmente.

Além do cânon...

Depois de grandes participações nos álbuns de Tintim, Rastapopoulos chegou às telas dos cinemas no longa de animação "O Lago dos Tubarões", lançado em dezembro de 1972. A aventura foi adaptada para os quadrinhos por Raymond Leblanc, colaborador de Hergé. Contudo, o álbum não foi incluído no cânon oficial. Na história, o objetivo de Rastapopoulos era ganhar dinheiro com réplicas perfeitas de o obras de arte (quem sabe daí não veio a inspiração para "Tintim e a Alfa-Arte"?). Mas ele não contava com a interferência de Tintim, que mais uma vez, agora com a ajuda de dois jovens sildavos, atrapalhou os seus planos. Rastapopoulos bem que tentou fugir, mas acabou preso pela polícia da Sildávia.

Em 1983, Hergé deixou inacabado o álbum "Tintim e a Alfa-Arte". É provável que o autor fosse 'ressuscitar' Rastapopoulos mais uma vez. Os esboços originais de Hergé indicam que o vilão da aventura de Tintim no mundo da arte moderna seria Endaddine Akass, um suposto mago, envolvido em falsificação de obras de arte. Mas alguns rascunhos do criador de Tintim confirmam seu desejo de trazer Rastapopoulos de volta, como pode ser visto aqui. Infelizmente, antes de concluir o álbum Hergé morreu, em março de 1983.

SAIBA MAIS SOBRE OUTROS PERSONAGENS DAS AVENTURAS DE TINTIM:

Milu, o fiel companheiro
Nestor, o mordomo de Moulinsart
Serafim Lampião, agente de seguros

Abdallah e Ben Kalish Ezab, de Khemed
Dupond e Dupont, gêmeos?! - parte 1 e parte 2
Gibbons e Chicklet, outros vilões de Tintim
Igor Wagner e Irma, criados da Castafiore
Tintim e sua verdadeira origem
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT