sábado, 25 de setembro de 2010

Tintim na América chega à TV

Em 1991, a Fundação Hergé (hoje Moulinsart) lançou, em parceria como os estúdios Nelvana (Canadá) e Ellipse (França), uma série de TV baseada na obra de Hergé. Dirigiada por Stephen Bernasconi e Peter Hudecki, o desenho animado retratou quase todos os álbuns do jovem repórter, exceto "Tintim no País dos Sovietes", "Tintim no Congo" e o inacabado "Tintim e a Alfa-Arte". Já que as duas primeiras aventuras foram excluídas, o mais lógico a se fazer seria começar pela terceira, Tintim na América, correto? Mas não foi assim. Ninguém sabe os motivos ao certo, mas a viagem de Tintim aos Estados Unidos demorou a chegar à telinha, e só virou animação no último episódio da série, em 1992.


Assim como aconteceu com os demais, o episódio "Tintim na América" sofreu alterações em relação ao álbum. O motivo, no caso dos anteriores, era a adaptação do conteúdo a um público jovem mais moderno, já que a série de álbuns havia sido criada décadas antes. Contudo, as modificações neste episódio foram maiores do que em qualquer outro. Enquanto a maioria das histórias ocuparam episódios de duas partes, o enredo "Tintim na América" foi encolhido para um filme de cerca de 20 minutos. Para isso, é claro, muito material foi suprimido, e o que sobrou, alterado.

Compare algumas diferenças entre o livro e o desenho. Mas cuidado: pode conter spoilers.

:: Enquanto o álbum traz logo na capa a figura dos nativos americanos, o episódio de TV simplesmente não faz referência aos índios. Isso talvez se deva à preocupação com o ingresso da série nos EUA, pois se o álbum sofreu rejeição no início, ninguém queria correr o risco de repetir o "erro" com o desenho...


:: Outra alteração diz respeito ao personagem Bobby Smiles. Quem leu o álbum conheceu o gângster como chefe da associação de inimigos de Al Capone. Mas no episódio, ele passa a ser subordinado ao "rei dos bandidos", tanto que substitui o grupo de gângsters com quem Al Capone fala sobre Tintim no começo da história. Assim, ao invés de pedir que Tintim se junte a ele na luta contra Al Capone (página 12), Smiles pede que ele saia da cidade.


:: Se no livro a cena de Tintim escapando de um táxi com a ajuda de um serrote (página 2) pode causar estranheza aos leitores, com a série os espectadores não têm esse problema. O repórter porta um canivete, que é muito mais fácil de carregar... Uma adequação válida e bem mais coerente.


:: Mais um indício de que a referência à situação dos índios apresentada no álbum foi evitada pelos produtores da série está presente no nome da cidade que Tintim visita no Velho Oeste. Na edição original do álbum (página 16), ela se chamava RedSkin City (cidade Pele-Vermelha, em tradução literal); já na TV, passa a se chamar Red Dog City (cidade Cachorro Vermelho). A alteração aconteceu desde a publicação do livro nos EUA.


:: Como você já viu no especial Participações de Hergé na Série de TV, o criador de Tintim faz uma aparição neste episódio. Ele está entre os gângsters que se reúnem com Al Capone para procurar meios de se livrar de Tintim. No álbum , Hergé não aparece, e não é Al Capone quem lidera a reunião do sindicato de gângsters (página 57).


:: O episódio incluiu uma fala do garoto que trabalha no hotel e faz um favor a Tintim. Vale citar porque a cena do menino sacudindo o lenço na janela sempre me causa riso. No álbum, ele só aparece no início, e a cena que gira em torno do "lenço na janela" (página 46) não é tão bem explicada.


:: Entre os bandidos que enfrentam Tintim no álbum e na série está um careca chamado Bugsy. Mas este nome não aparece no livro, apenas no desenho. Apesar da diferença física (veja a imagem abaixo e compare), acredita-se que os roteiristas da série nomearam ao personagem em homenagem ao gângster Bugsy Siegel (1906-1947), que atuou nos EUA durante os anos 30.


:: Mais um fato curioso é que, enquanto o álbum não mostra o fim definitivo de Al Capone, no desfecho do episódio o gângster e seus comparsas aparecem sendo presos. Isso não é um grande problema porque, no ano de produção da série, o criminoso já não existia...


:: O episódio termina com Tintim escrevendo um artigo para o jornal, cena que não aparece no álbum . Depois de receber uma ligação, o repórter corre para sua próxima e desconhecida aventura: "Lá vamos nós de novo", diz ele a Milu. Assim termina a série de TV.

Páginas suprimidas

Alguns detalhes da história são mais bem explicados no episódio de TV. Logo no começo, por exemplo, é dado um motivo mais aceitável para o motorista parar o táxi e permitir que Tintim escape. Também fica mais claro o motivo de um "australiano" aparecer a tempo de atingir o motorista com um bumerangue e impedir que ele conte quem o enviou para capturar Tintim. Cenas onde a sorte exagerada de Tintim aparece são menos frequentes no desenho, que as substituiu por situações mais próximas da realidade. Alguns acontecimentos tiveram sua ordem cronológica alterada, talvez para dar mais sentido à trama. Outros foram simplesmente excluídos, conforme mostra a lista abaixo:
  • Páginas 5 a 8: o segundo sequestro sofrido por Tintim e a captura de Al Capone não estão no desenho animado;
  • Página 16: a partir daqui, várias cenas são modificadas. Qualquer referência aos índios é excluída, permanecendo apenas a perseguição de Tintim a Bobby Smiles, no deserto;
  • Páginas 19 a 41: os muitos atos corajosos (e sortudos) de Tintim em meio aos índios e cowboys também não fazem parte do episódio de TV;
  • Páginas 44 a 46: o detetive que se oferece para investigar o sequestro de Milu não está no desenho. Pouco sobrou destas páginas;
  • Páginas 48 e 49: Tintim é preso por engano no álbum, mas não na série;
  • Páginas 53 a 56: Tintim sofre mais uma tentativa de assassinato, que não aparece no desenho. A luta contra o líder da gangue que sequestrou Milu (que na série é Bugsy, mais um aliado de Al Capone), é bastante alterada.
  • Páginas 57 a 61: o jantar em homenagem a Tintim pelo visto foi cancelado, bem como os acontecimentos que o sucedem.
Dublagem

A série "As Aventuras de Tintin" foi dublada pelos estúdios Herbert Richers, em São Paulo. Participaram deste episódio:
  • Oberdan Júnior - Tintim;
  • Antonio Patiño - Al Capone;
  • Élcio Romar - Bobby Smiles;
  • Cleonir dos Santos - o garoto que trabalha no hotel e o menino que joga a bola na janela dos gângsters;
  • Entre outros, que não consegui identificar. Se quiser colaborar, assista ao episódio no vídeo abaixo e deixe um comentário. A segunda parte está disponível neste link.

Em DVD

O episódio foi lançado pela primeira vez no Brasil em 2008, como parte do box de colecionador da Log On Editora Multimídia. Mais tarde, ganhou uma versão individual em mini-DVD. Foi o único episódio da série a chegar no formato, e hoje é dificilmente encontrado, mesmo em lojas online. Em 2010, voltou a integrar o box de colecionador, no relançamento editado pela Log On.

:: Quer saber mais curiosidades sobre "Tintim na América"? Veja as partes anteriores do nosso especial, clicando aqui. E aguarde, pois ainda tem mais...
Compartilhe:

6 comentários:

  1. Excelente! Mas é uma pena que não tenham incluído a parte dos índios no episódio... Acho que foi mesmo por medo de sofrer rejeição. Mas creio que, se tivessem deixado, não haveria problema, pois a história não deve ser apagada!

    ResponderExcluir
  2. Ótima parte, Britto!

    Quando adquiri o pack da 3ª temporada e como de costume fui conferir os DVDs para constatar se estava tudo nos conformes, fiquei surpreso ao ver que "Tintim na América" era o último episódio da série. E mais intrigado ainda ao ver que ele tinha apenas 20 minutos.

    Também acho uma pena que a parte dos índios não tenha sido incluída e que não haja nem sequer uma menção à ela. Com certeza deixaria o episódio ainda melhor, porém, o receio de sofrer rejeição deve ter sido definitivo para essa escolha. Muito interessantes todas as outras curiosidades que mostram as diferenças entre o álbum e o episódio.

    Aliás, bem que a capa do mini-DVD deveria ser outra, não? Afinal, se os índios nem aparecem no episódio, a imagem deveria ser outra para ficar mais coerente...

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Q pena o vídeo ter sido desativado, qual o motivo?
    Abç.

    ResponderExcluir
  4. Catu, o vídeo deve ter sido removido por causa dos direitos autorais.

    ResponderExcluir
  5. É verdade que Tintim no País dos Sovietes e Tintim no Congo não viraram desenhos por causa de seu conteúdo controverso? Acho que seria possível realizar adaptações mais corretas preservando a base da história de Hergé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é verdade.
      E concordo que poderiam excluir a parte mais polêmica dos álbuns e transformar em desenho.

      Excluir

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT