COLEÇÃO DE FIGURAS DE TINTIM FINALMENTE NO BRASIL

Todos os detalhes do lançamento da Planeta DeAgostini

ÁLBUNS DE TINTIM EM PRETO-E-BRANCO CHEGAM AO BRASIL

Globo Livros lança réplicas das versões originais de Tintim

ESCUTE AQUI!

Série inédita baseada em "O Lótus Azul" é transmitida no rádio

PELA PRIMEIRA VEZ EM CORES

Veja a capa da nova edição de "No País dos Sovietes"

AS ATADURAS DE TINTIN

Infográfico reúne todas as pancadas que Tintim já levou

TPT ENTREVISTA ISAAC BARDAVID

Assista o bate-papo com o dublador do Capitão Haddock

TPT ENTREVISTA O PRIMEIRO TINTIM DO CINEMA

Jean-Pierre Talbot fala tudo sobre os únicos filmes de Tintim com atores reais

70 ANOS DO JOURNAL TINTIN

Publicações e eventos marcam o aniversário da revista

TPT ENTREVISTA O DUBLADOR DE TINTIM

Oberdan Jr conversa com o blog em vídeo de duas partes. Confira!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Imagens de 'Tintim e o Segredo do Licorne' em HD


O ano está acabando e infelizmente não temos mais grandes novidades sobre o filme de Tintim. Mas veja algumas imagens que começaram a circular na internet hoje, mostrando cenas do filme em alta definição. São as mesmas fotos divulgadas na revista Empire de dezembro, mas com maior qualidade, sendo possível observar melhor os detalhes dos cenários e personagens. Clique para ampliá-las.

Tintim (Jamie Bell) Haddock (Andy Serkis) e Milu no deserto.

Dupont (Simon Pegg) e Dupond (Nick Frost) na casa de Aristides Silk (Toby Jones).

Barnabé (Joe Starr) faz uma visita inesperada a Tintim.
Compartilhe:

Pastiches e Piratas: Tintim, Repórter Freelance

Une Aventure de Tintin Reporter Pigiste au XXe Siécle é o título de uma breve história em quadrinhos baseada no personagem de Hergé, publicada originalmente em 1992. Desenhada por Yves Rodier, criador do pastiche Tintim e a Alfa-Arte, a pequena aventura foi baseada em um roteiro proposto na edição 1027 da revista Spirou (concorrente da revista Tintin), datada de 19 de dezembro de 1957.


O enredo se desenrola imediatamente antes da aventura de "Tintim no País dos Sovietes", primeiro álbum da série, e revela como o garoto se tornou repórter do jornal Le Vingtième Siécle - periódico belga onde suas aventuras eram publicadas semanalmente. Dividida em seis partes de meia página cada, a história foi usada por Rodier durante um concurso organizado por um fanzine. Mas o talentoso desenhista canadense foi desclassificado, por utilizar um personagem já existente.


Uma Aventura de Tintim, Repórter Freelance do Le Vingtième Siécle (em livre tradução) foi publicada originalmente na revista "Tintin et les Faussaires", e chega pela primeira vez em português através do Fórum Tintim por Tintim. Para conhecer este que é praticamente um prólogo das aventuras de Tintim, visite o tópico correspondente no sub-fórum Pastiches e Piratas, onde está sendo postada uma versão totalmente recolorida.
Compartilhe:

domingo, 26 de dezembro de 2010

Tintim por Tintim entrevista Oberdan Junior


O Tintim por Tintim tem a honra de apresentar uma excelente entrevista com Oberdan Junior, dublador oficial de Tintim na série de TV produzida pela Nelvana na década de 1990. Famosa no Brasil através da tela da TV Cultura, a série até hoje é querida por milhões de fãs, que se acostumaram com a excelente dublagem brasileira realizada pelos estúdios Herbert Richers e composta de nomes brilhantes, como Isaac Bardavid (Capitão Haddock), Darcy Pedrosa (Dupond), Márcio Simões (Dupont), Geisa Vidal (Bianca Castafiore), Orlando Drummond (Prof. Girassol) e o próprio Oberdan Gonzales Jr. (Tintim).

Na entrevista, conduzida por um excelente repórter - aqui disfarçado para não chamar muita atenção -, o ator conta detalhes sobre sua carreira, como antigos trabalhos em teatro, cinema e TV, relembra seus mais famosos personagens na dublagem e ainda revela como se tornou a voz brasileira de Tintim. Confira abaixo a primeira parte da entrevista:


Na segunda parte, que está disponível abaixo, o dublador fala sobre seus últimos trabalhos na TV, um deles atualmente em exibição, comenta sobre projetos futuros e responde à intrigante questão: ele voltará a dublar Tintim no filme 'O Segredo do Licorne', que estreia no final de 2011? Veja a seguir:

Compartilhe:

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Tintim tem um convite pra você

Neste fim de ano, o blog Tintim por Tintim tem um presente para os fãs da série. Você que curte a dublagem brasileira vai gostar muito da entrevista que preparamos com exclusividade para o blog. Saiba mais assistindo ao vídeo:


A entrevista com Oberdan Junior, dublador oficial de Tintim no Brasil, será publicada neste final de semana. Você vai saber mais a respeito da trajetória do profissional, curiosidades sobre a dublagem da série da Nelvana, os rumos que a carreira de Oberdan tomaram, além de seus projetos atuais, futuros e possibilidade de ele voltar a emprestar sua voz a um de seus personagens mais marcantes. Aguarde!
Compartilhe:

sábado, 18 de dezembro de 2010

Os Charutos do Faraó


No início dos anos 1930, o repórter-mirim criado por Hergé já tinha alcançado a fama em toda a Bélgica, seu país de origem. Depois de desbravar a Rússia Soviética, o Congo Belga e a América do Norte, os editores do Le Petit Vingtième decidiram enviar seu jovem correspondente ao Extremo Oriente. Assim, de dezembro de 1932 a fevereiro de 1934, os leitores do semanário juvenil tiveram a oportunidade de ler Les Aventures de Tintin, reporter, en Orient, hoje conhecido mundialmente como Os Charutos do Faraó.

Sinopse

Tintim e Milu estão a bordo de um cruzeiro com destino ao Extremo Oriente, quando conhecem Philémon Siclone, um excêntrico egiptólogo que está em busca da tumba do Faraó Kih-Oskh. Ainda no navio, Tintim tem seu primeiro conflito com o magnata Roberto Rastapopoulos, e o reconhece como um famoso cineasta. Misteriosamente, o repórter é acusado de tráfico de armas e entorpecentes e, por isso, procurado pela polícia, que se apresenta na figura de Dupond e Dupont - em sua primeira aparição oficial.


Depois de escapar da polícia, Tintim reencontra o arqueólogo e concorda em acomapanhá-lo durante sua expedição ao Cairo, Egito. Ao encontrar a tumba, o garoto descobre também misteriosos charutos, que carregam o intrigante símbolo  do Faraó. Capturados por um grupo de bandidos, que inclui o desprezível Allan Thompson, Tintim e Milu são abandonados no mar, junto com o arqueólogo.


De volta à terra firme, Tintim reencontra Rastapopoulos gravando um filme em meio ao deserto da costa árabe, mas agora o milionário mostra-se menos arrogante. O jovem reporter ainda enfrenta outros perigos para escapar dos Dupondt, até ir parar no meio da floresta, onde faz amizade com um elefante e reencontra Philémon Siclone. O egiptólogo, agora enlouquecido, tenta matar o rapaz, que encontra refúgio no palácio do Marajá de Rawajpoutalah.


Os segredos começam a se revelar quando Tintim descobre uma organização criminosa envolvida com os charutos do Faraó. O rapaz enfrenta um por um, lutando até mesmo contra um perigoso faquir. O repórter descobre que os charutos na realidade serviam de camuflagem para o tráfico de ópio. Mas a identidade do líder da gangue, com quem o repórter luta num clímax, continua desconhecida. Dessa forma, Tintim percebe que suas aventuras no Extremo Oriente estão longe de terminar...

Histórico

Quando Hergé terminou Tintim na América, em outubro de 1932, seu principal personagem já era dono de uma popularidade invejável. Assim como fora planejado, o jovem repórter havia alcançado o status de modelo para os jovens cristãos da Bélgica. Tintim era inteligente, corajoso e altruísta; uma perfeita ferramenta para difundir bons ensinamentos para os leitores. Assim como as três aventuras anteriores, a saga de Tintim no Extremo Oriente foi publicada no Le Petit Vingtième e, portanto, ainda sob influência de Norbert Wallez, diretor do jornal. Contudo, foi a partir desta obra que Hergé começou a se distanciar da rígida política editorial do abade, o que só lhe trouxe resultados positivos.

A mensagem anti-drogas transita livremente pelas peripécias de Tintim em seu novo álbum. É claro que para isso foi necessária a aprovação de Wallez, mas desta vez Hergé se preocupou menos com os ensinamentos que deveria transmitir para se concentrar na criação de uma boa história, com ganchos envolventes e personagens marcantes. Esse distanciamento lhe permitiu mais liberdade criativa, pois ele já não estava tão subordinado aos requisitos de seu editor. Então, a partir deste álbum, Hergé passa a ser mais cuidadoso na concepção de personagens e principalmente no desenvolvimento da narrativa.

Uma das evidentes influências de Hergé na criação de "Os Charutos do Faraó" foi a descoberta da tumba de Tutankhamon, em novembro de 1922. Uma série de mortes supostamente ligadas à "Maldição do Faraó" inspirou Hergé na trama do desaparecimento dos egiptólogos que visitaram o túmulo do faraó Kih-Oskh. Conheça mais detalhes nas próximas postagens.

Publicações

Le Petit Vingtième - 12/01/1933
Com o título 'Les Aventures de Tintin, reporter, en Oriente', a história em quadrinhos conhecida hoje como "Os Charutos do Faraó" começou a ser publicada em 8 de dezembro de 1932, no Le Petit Vingitième. A publicação, em páginas semanais, durou até 1º de fevereiro de 1934. No outono europeu mesmo ano, a HQ foi transformada em álbum, ainda em preto-e-branco, mas com novos personagens desenhados por Hergé.

Diferentemente dos primeiros álbuns, que foram publicados pelas Editions du Petit Vingtième, a primeira edição de "Os Charutos do Faraó" foi lançada diretamente pelas Edições Casterman, com uma tiragem de 6.000 exemplares. Hergé mudou de editora após escutar uma proposta de Louis Casterman, que ficou atraído com o sucesso que as aventuras de Tintim estavam fazendo na Europa.

Estava tudo pronto para a publicação de mais um álbum de sucesso, mas Hergé ainda não estava plenamente satisfeito. O criador de Tintim demonstrava o desejo de alterar o título para algo mais intrigante, daí a mudança para "Les Aventures de Tintin, reporter, en Orient - Les Cigares du Pharaon". Em 1938, houve uma reedição pela Casterman, mas o conteúdo não foi alterado, apenas o título ("Les Aventures de Tintin, reporter - Les Cigares du Pharaon"). Desta vez foram publicados 4.500 exemplares.

Projeto de página de
rosto não utilizado.
Em 1942 , uma nova versão do álbum foi publicada. Em contraste com a primeira capa, que mostrava uma pequena figura de Tintim bem parecido com seu traço original, a nova edição trazia uma capa com uma grande imagem do repórter, bem mais bonita e semelhante ao seu design atual. Hoje, esta é uma das edições mais raras e procuradas por colecionadores.

Já em 1955, a aventura ganhou cores. Foi o último dos álbuns preto-e-branco a ser colorido, e teve seu lançamento adiado várias, devido à ocupação de Hergé com o lançamento da Revista Tintin e pela criação dos álbuns de Tintim na Lua  (publicados entre 1953 e 1954). Antes de ser colorido, o álbum passou por uma revisão e, assim como os dois anteriores, foi completamente redesenhado, tornando-se o álbum que conhecemos hoje. A partir do álbum seguinte, "O Lótus Azul", Hergé passou a preservar seu traço original, que estava cada vez mais bem-definido. Há certas diferenças entre a primeira edição e a atual, e as principais delas serão conhecidas nas próximas partes deste especial.


Coração Valente

"Tintin en Orient" na única capa feita por
Hergé para a revista Cœurs Vaillants.
Em setembro de 1934, a aventura de Tintim no Oriente chegou às páginas da revista francesa Cœurs Vaillants (Coração Valente), mantida por um grupo de católicos. A publicação juvenil foi a primeira a publicar a obra de Hergé na França, mas de início tentou fazer algumas imposições a Hergé. Os editores alegavam que os textos deveriam ser apresentados em legendas, pois segundo eles os balões empobreciam o vocabulário da narrativa, o que poderia causar rejeição por parte dos pais. Eles também questionaram a ausência de uma família no universo de Tintim, que não tem pai nem mãe, e até o seu trabalho, já que o repórter nunca aparecia exercendo sua função. Seria este um bom exemplo para a juventude?

A alternativa encontrada por Hergé para não desagradar os editores franceses foi prometer a criação de personagens que estivessem dentro dos padrões considerados normais, em troca de ter os diálogos de "Tintin en Orient" dentro dos já tradicionais balões. Anos depois, o cartunista criou "As Aventuras de Joana, João e do Macaco Simão" (Jo, Zette et Jocko, 1936). Mas este é um assunto para outro post...
Compartilhe:

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Fim de Ano

2010 está acabando, mas o Tintim por Tintim não para! Estão programados para este fim de ano três super-especiais para você, que nos acompanha o ano inteiro. Confira as novidades abaixo:


:: Neste final de semana entra no ar a primeira parte do especial Os Charutos do Faraó, que abordará as inspirações, as curiosidades e informações sobre o quarto álbum de Hergé. A primeira parte terá como foco o histórico da aventura, bem como suas publicações no decorrer dos tempos. As partes seguintes falarão sobre personagens, inspirações e diferenças entre o álbum e a série de TV.


:: Na próxima semana, os leitores inscritos no Fórum Tintim por Tintim terão a oportunidade de ler mais uma aventura não-oficial de Tintim. O pastiche, traduzido pela primeira vez para o português, estará disponível num tópico exclusivo do sub-fórum "Pastiches e Piratas". A nova aventura é do mesmo criador do pastiche Tintim e a Alfa-Arte, mas conta uma pequena história envolvendo nosso querido repórter.


:: Um pouco mais pra frente, o blog trará para os fãs da série uma entrevista exclusiva com um dos dubladores da série "As Aventuras de Tintin", exibida nos anos 90 pela TV Cultura. Ainda nesta semana você ficará sabendo de quem se trata.

Já pode ir avisando aos amigos e parentes, pois o fim de ano no Tintim por Tintim está imperdível!
Compartilhe:

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tintim é capa de revista francesa

A revista francesa Studio Ciné Live dedica seu próximo número a Tintim e o filme 'O Segredo do Licorne', que estreia no final de 2011 com direção de Steven Spielberg. A edição 22 da publicação, que chega amanhã às bancas do país, traz a mesma imagem que foi revelada pela revista britânica Empire em novembro deste ano. A clássica cena de Tintim (Jamie Bell) e Milu correndo em frente a uma parede iluminada por um holofote foi criada pelos animadores da Weta, empresa do produtor Peter Jackson, especialmente para a Empire, portanto não faz parte do filme.


A edição de janeiro da Magazine Studio Ciné Live estará disponível para venda a partir desta quarta, 15 de dezembro. Será que no Brasil ainda receberemos algo parecido?!
Compartilhe:

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Tintim no Congo: um dos autores deixa processo

Estava marcada para a última quarta-feira, 08 de dezembro, uma nova audiência sobre o "caso Tintim no Congo". A disputa entre Bienvenu Mbutu Mondondo e as empresas CastermanMoulinsart S/A pode resultar na proibição do polêmico álbum, ou pelo menos levá-lo a ser vendido com uma faixa de advertência (e na seção para adultos). Mas, de acordo com nota do site Expatica.com, a audiência foi adiada para a próxima semana, prolongando ainda mais a frustrante história que começou há três anos.

O motivo do adiamento foi a saída de um dos autores do processo. O artigo não revela o nome, mas entre a parte acusadora estavam, além de Mondondo, o também congolês Yves Okata e o CRAN, entidade europeia de defesa dos negros.

Na minha opinião, a saída mais improvável seria a de Bienvenu Mondondo. Mesmo que o resultado seja bastante previsível (ou alguém aposta numa surpresa?), o ex-contador congolês não desistiria do processo de uma hora para outra depois de tanto tempo. A menos que ele esteja convencido de que não conseguirá vencer as poderosas Moulinsart e Casterman, que têm grande influência na economia belga. A demora da Justiça na resolução do caso é prova suficiente de que há outros interesses envolvidos...
Compartilhe:

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Especial Os Charutos do Faraó

No dia 8 de dezembro de 1932, o popular jornal infanto-juvenil Le Petit Vingtième, suplemento do belga Le Vingtième Siècle, chegava às bancas com uma grande novidade: Tintim estava de volta em novas aventuras, agora desbravando os mistérios do Oriente. Os jovens leitores passaram menos de dois meses sem ver o repórter-mirim em ação, mas aquela nova aventura prometia muito...

Capa do Le Petit Vingtième em 08/12/1932.

Em Os Charutos do Faraó, primeira parte das aventuras de Tintim no Extremo Oriente, nosso pequeno herói investiga um caso envolvendo tráfico de drogas, faraós e uma seita criminosa e conhece personagens marcantes. Tudo isso num belo cenário que vai do Egito à Índia, passando por desertos e florestas, até enfrentar um desconhecido vilão.

Na próxima semana você vai acompanhar aqui um especial completo sobre o álbum Os Charutos do Faraó, mostrando as principais informações, fatos e curiosidades que marcaram a criação de mais um clássico de Hergé. Você não perde por esperar!
Compartilhe:

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Tintim ganha mais espaço na internet

Depois de um blog e um fórum dedicados à obra máxima de Hergé, a franquia de álbuns, séries e filmes "As Aventuras de Tintim" está ganhando cada vez mais espaço na internet brasileira. A novidade mais recente é o wikisite Tintim por Tintim, espaço criado por Mauro Lafayete, um dos membros do Fórum Tintim por Tintim, no último mês de novembro. A ideia surgiu durante uma conversa entre os membros do fórum, quando Mauro defendeu a necessidade de divulgação de Tintim no Brasil.


Um pouco diferente de um blog, o Tintim no Limão, como é mais conhecido, é uma espécie de comunidade virtual hospedada no portal Limão, destinada a divulgar links, fotos, vídeos e qualquer outro material relacionado ao universo de Tintim. Com apenas 12 dias no ar, o wikisite já conta com a participação de 20 membros cadastrados, sem contar os visitantes que passam por lá e baixam episódios, participam de enquetes e assistem vídeos. Apesar de ter pouco tempo no ar, o espaço já está ganhando destaque na internet, tanto que no dia de hoje, 07/12, estampou a página principal do portal Limão, como o "wikisite em destaque".

Página principal do Limão em 07/12/10. Wikisite "Tintim por Tintim" em destaque.

É admirável notar os esforços dos tintinófilos brasileiros, principalmente depois que passaram a ter um ponto de encontro, o Fórum Tintim por Tintim. Graças à boa comunicação que está havendo entre eles, hoje já é possível ler os raríssimos álbuns "O Lago dos Tubarões" e "O Mistério do Tosão de Ouro" em português. A publicação diária do primeiro é feita no wikisite do Limão por um dos moderadores do fórum, KOR, enquanto o segundo, disponibilizado pelo membro Darthrafael, já pode ser encontrado na íntegra no tópico "Álbuns de Tintim para Download". 

:: Vem mais por aí... Surgiu também no fórum a ideia de criar uma TV online dedicada exclusivamente a conteúdos relacionados a Tintim. O projeto ainda está sendo desenvolvido, mas todas as sugestões são bem-vindas. Se ainda não fez isso, cadastre-se no fórum e participe!
Compartilhe:

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Morreu uma das inspirações de Tintim

Faleceu no último dia 26 de novembro, aos 98 anos, o ator dinamarquês Palle Huld (foto). Com 40 filmes no currículo, Huld se tornou um herói nacional na Dinamarca após dar a "volta ao mundo" em 44 dias, aos 15 anos (a idade de Tintim, segundo o site oficial).

Charles Lesne, jornalista do Le Vingtième Siècle, acompanhou a jornada do jovem escoteiro, enviado pelo jornal Politiken, de Copenhague, com todas as despesas pagas. A aventura de Palle Huld, que viajou 32.500 km utilizando todos os meios de transporte, exceto o avião, virou manchete nos jornais de países europeus e americanos. Entre seus destinos estavam cidades como Paris, Berlim, Londres, Moscou, Pequim e Tóquio. Mais tarde, foi lançada em um livro de memórias, publicado em 1928 pela editora francesa Hachette.

Em seu retorno a Copenhague, o jovem Palle Huld foi recebido por uma multidão de mais de vinte mil pessoas na estação central da cidade. O acontecimento inspirou os diretores do Le Vingtième Siécle, e o próprio Charles Lesne entrou em contato com os responsáveis pelas ferrovias da Bélgica. O objetivo? Programar o retorno de Tintim do país dos sovietes. A encenação da volta do repórter belga ao seu país de origem ocorreu em 8 de maio de 1930, na Gare du Nord. Clique aqui e saiba mais detalhes.

Palle Huld é recebido pelos fãs em Copenhague, Dinamarca.

Em outubro de 1928, Huld lançou o livro "Jorden rundt i 44 Dage" ("A Volta ao Mundo em 44 Dias"), que narrava suas aventuras ao redor do mundo. Com prefácio assinado por Jean-Jules Verne, filho do escritor Julio Verne, a obra foi publicada três meses antes de "Tintim no País dos Sovietes", que estreou no Le Petit Vingtième em janeiro de 1929. Alguns apostam que a jornada do jovem dinamarquês foi uma das inspirações de Hergé para a criação de seu personagem mais famoso. A julgar pela ligação de Charles Lesne com o Vingtième Siècle (jornal onde Hergé trabalhava), pelos cabelos ruivos do garoto e pelos trajes usados por ele nas fotos e na capa do livro (calças de golfe e terno quadriculado), é impossível discordar...
Compartilhe:

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Moulinsart x Ole Ahlberg: arte ou plágio?

Em agosto de 2010, uma revista belga-holandesa publicou um artigo a respeito da ação judicial entre a Sociedade Moulinsart e o pintor dinamarquês Ole Ahlberg (foto), envolvendo a polêmica dos direitos autorais. Tudo isso porque o artista retratou personagens de Hergé, que estão sob a custódia da empresa, em situações comprometedoras, ao lado de mulheres em poses e vestimentas sensuais.

Uma surpreendente decisão do Tribunal de Recursos, em Bruxelas, obrigou o detentores dos direitos autorais de Hergé (e do artista René Magritte, que também é "homenageado" pelo dinamarquês) a não perseguir Ole Ahlberg por causa de suas paródias. O juiz se baseou em uma exceção para a paródia que foi introduzida em 1994 na lei belga sobre direitos autorais. Essa exceção permite que um artista utilize as obras de um colega, com  a condição de que o conteúdo produzido seja crítico, humorístico, e respeite a obra parodiada. "As pinturas Ahlberg nem são críticas, nem bem-humoradas, nem respeitam nada", disse Alain Berenboom, advogado de "Tintin" e "Magritte".
"Plágio ou paródia? Eu sou um pintor e não crio categorias jurídicas. Os artistas devem ser capazes de pintar o que eles querem ", disse Ahlberg para o site Knack.be.

A obra de Ole Ahlberg vem ganhando cada vez mais destaque depois da polêmica. O fato remete a 2001, quando o artista estava abrindo uma exposição de suas obras em Bruxelas, ao lado da esposa do primeiro-ministro dinamarquês. Os advogados da Moulinsart apareceram no local e exigiram que as imagens, consideradas ofensivas, bem como qualquer outra que envolvesse os personagens de Hergé - como um quadro de Dupond e Dupont que parodiava uma obra de Magritte (veja abaixo) - fossem removidos. Ahlberg se recusou e o caso foi parar no tribunal, onde o juiz foi favorável ao artista, alegando que paródia é permitida sob a lei de direitos autorais internacional e belga.


Não vou publicar aqui os trabalhos mais polêmicos de Ole Ahlberg, por motivos óbvios. Mas se você deseja conhecê-los, acesse seu site oficial, clicando aqui. Na galeria há uma série de pinturas do artista, que satirizam também outras figuras conhecidas do público, como a Monalisa e até o papa.
Compartilhe:

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Tintim em Hindi: obra chega a mais 565 milhões de leitores

O jornal português Diário de Notícias, um dos mais importantes e tradicionais de seu país, publicou hoje uma matéria em duas páginas inteiras sobre a chegada das aventuras de Tintim a mais um idioma: o hindi. Por que tal feito é digno de tanto destaque? Simplesmente porque esta era a única das dez línguas mais faladas do mundo que ainda não tinha sua própria versão dos álbuns criados por Hergé.

Como a reportagem destaca, Tintim já chegou a mais de 80 idiomas, e já foram vendidos mais de 230 milhões de exemplares, mas os mais de 565 milhões de habitantes da Índia ainda não tiveram a oportunidade de ler a obra em sua língua nativa. Até agora, pois os oito primeiros álbuns da coleção acabaram de ser lançados. Clique na imagem abaixo e leia a matéria completa, que além de dados interessantes sobre a publicação de Tintim ao redor do mundo (por exemplo, você sabia que os álbuns nunca foram publicados em boa parte da Europa e Oceania? Eu não.), fala também sobre a adaptação de Tintim para as telonas e a polêmica envolvendo o álbum "Tintim no Congo".

Diário de Notícias - Quarta-feira, 1º de Dezembro de 2010.

:: Meu agradecimento especial ao amigo deste espaço, António Martinó de Azevedo Coutinho, que nos enviou na manhã de hoje os scans do jornal. Para quem não sabe, Martinó foi o responsável por uma série de 26 excelentes artigos que analisaram as acusações de racismo contra "Tintim no Congo". Os frutos de sua profunda pesquisa estão disponíveis para leitura no blog "A Voz Portalegrense". Clique aqui para ler.
Compartilhe:

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Rapidinhas: velhas e boas novas


:: O site da revista Empire publicou uma lista onde aparecem as '30 histórias em quadrinhos que você deve ler'. A proposta não é fazer um "top 30", listando os títulos por alguma ordem particular, mas sim apresentar aos novatos no mundo dos quadrinhos a origem de personagens e histórias que têm alguma ligação com o cinema. Como não poderia deixar de ser, "As Aventuras de Tintim" figura entre os indicados, na frente de obras como "Asterix & Obelix" e "Locke & Key". A lista inclui também as graphic novels "Sandman", "Persépolis", "Scott Pilgrim", "The Walking Dead", "Watchemen", "" e "Hell Boy". A obra de Hergé figura no 25º lugar.

:: O Facebook oficial de Tintim divulgou fotos da exposição "Tintin, Hergé et les Trains", sobre os trens que aparecem nas aventuras do personagem. A exposição está sendo realizada no Museu Hergé, e marca os 175 anos da SNCB (Companhia Nacional de Ferrovias da Bélgica). Estão à mostra desde o dia 13 de outubro réplicas de trens, arquivos e objetos do acervo das estradas de ferro belgas, assim como desenhos de Hergé, que retratam suas inspirações para a criação dos álbuns. Até fevereiro, os visitantes da exposição também podem ver os folhetos ilustrados pelo próprio criador de Tintim para a SNCB na década de 1930. Veja as imagens clicando aqui.

:: Há alguns meses, o ator Simon Pegg, que interpreta o detetive Dupont (Thompson) no longa de Steven Spielberg, admitiu que a decisão de recusar um papel em "Bastardos Inglórios", de Quentin Tarantino, foi "agonizante". Na ocasião, o ator ficou de frente com um dilema profissional: escolher entre o papel de Archie Ltd Hicox no filme de ou dar vida a um dos famosos detetives de Tintim. Será que ele fez a melhor escolha?

:: Também no Facebook de Tintim, foram disponibilizadas fotos da exposição "Tintin at Sea", realizada em 2007 no Museu Marítimo Nacional de Estocolmo. As imagens mostram réplicas de objetos e cenários presentes nos álbuns, inclusive o submarino-tubarão do Professor Girassol e a popa do navio Licorne. Vale a pena ver as belas fotos, que estão disponíveis neste link.

Exposição "Tintin at Sea" - Estocolmo, 2007.

:: O ator Cary Elwes, que mais recentemente estrelou a última parte da franquia "Jogos Mortais", esclareceu uma questão a respeito do trabalho dos atores no filme de Tintim. Um tanto irritado pela forma como o elenco está sendo descrito, Elwes desabafou ao site ITN: "Por alguma razão as pessoas têm escrito que eu sou apenas a voz. Não é apenas a voz, eu estou interpretando um papel... As pessoas continuam pensando apenas que captura de movimento é apenas voz e mímica, mas não é. Você tem que interpretar essas ações". O ator também elogiou o trabalho de Andy Serkis e Jamie Bell, que interpretam os protagonistas do longa, e concluiu: "Esses caras não fizeram apenas vozes".

:: Em 2011, o serviço de correios da Bélgica lançará, em parceria com a Moulinsart, novos selos dedicados a Tintim. Serão 10 imagens que celebrarão as versões de Tintim para cinema e TV - mas não incluirão, pelo menos a princípio, fotos do filme de Spielberg. Disponíveis a partir de agosto de 2011, os selos poderão ser comprados pelo site da Belgian Post Office. Veja abaixo uma imagem com todos os selos da coleção (clique para ampliar).


:: Começa em dezembro a publicação de uma nova aventura de Tintim, conforme pedido pelos leitores através de enquete. Inédita em português, e totalmente recolorida, a história é mais curta que os álbuns tradicionais do personagem, podendo ser vista apenas no Fórum Tintim por Tintim. Para que você não perca nada, uma postagem do blog será atualizada a cada nova página. Você não perde por esperar!

:: Falando nisso: os membros do fórum estão tendo a oportunidade de ler duas aventuras raríssimas do personagem: os álbuns "O Lago dos Tubarões" e "O Mistério do Tosão de Ouro" começaram a ser publicados por usuários do fórum, que prometem páginas diárias. Para ter acesso aos links para download, é preciso ser um membro registrado do fórum TPT. Então, o que está esperando? Clique aqui e participe.

:: Ah, não posso esquecer: Ainda em dezembro, o blog Tintim por Tintim trará uma novidade muito especial para os fãs da série de TV. Se você curte a dublagem brasileira, com certeza vai gostar do que vem por aí!
Compartilhe:

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Enquete encerrada - e uma notícia não muito boa...

Na noite desde domingo foi encerrada a enquete que serviria para escolher o tema de nosso próximo especial. Como pode ver na barra à direita, a opção "Uma nova aventura em quadrinhos" ganhou de lavada, com 68% dos votos (79 de um total de 116). A segunda opção mais votada foi o especial sobre "Os disfarces dos Dupondt" (17 votos, 14%), que só deve ficar para o ano que vem. Com apenas um voto a menos (16, ou 13%), "Tintim e a Publicidade" também fica para 2011, bem como o especial sobre o Professor Girassol, que somou apenas 4 votos (3%).

A vitória de "Uma nova aventura em quadrinhos" prova que os tintinófilos sentem saudades dos tempos de "Tintim e a Alfa-Arte". Para estes, uma boa notícia: uma versão em PDF do pastiche de Yves Rodier será disponibilizada com exclusividade para os usuários do Fórum Tintim por Tintim em dezembro. Se ainda não é membro, aproveite para se cadastrar.

A notícia não muito boa tem a ver com a nova aventura de Tintim. Infelizmente, ela não poderá ser publicada aqui no blog. Por quê? Quem me acompanha no Twitter deve ter ficado sabendo que minha conta no Youtube foi excluída. Mas o ponto em questão é que ela foi excluída a mando da sociedade detentora dos direitos autorais de Tintim, cujo nome nem preciso citar. Isso aconteceu porque eu havia publicado, meses atrás, um vídeo com a abertura da série de documentários "Sur Les Traces de Tintin", exibido na TV francesa em setembro deste ano. Por causa deste vídeo (e de duas outras advertências que havia recebido, por causa de um curta da Pixar e um trecho de "Os Simpsons", aquele que faz uma referência a Tintim), perdi cerca de 12 vídeos, incluindo a inauguração da estátua de cera de Tintim, recomendado aqui no penúltimo Fatos em Fotos, entre tantos outros...

O Youtube é do Google, assim como o Blogger, onde este site está hospedado. Se a empresa já obedeceu à monopolizadora dos direitos de Hergé uma vez, não tem porque não obedecer de novo. Como alternativa em respeito à decisão dos leitores, decidi publicar o pastiche num tópico do fórum, apesar de saber que isso pode gerar insatisfação da parte de alguns de vocês. Espero que compreendam: não posso correr o risco de perder o blog. Alguns sites e blogs sobre Tintim e Hergé já foram obrigados a mudar de nome, como devem sabem, e outros chegaram até a ser excluídos! Creio que a alternativa encontrada não será tão frustrante como seria caso o TPT chegasse ao fim...

:: Então, estamos combinados? Em dezembro, acompanhe uma nova aventura de Tintim no primeiro fórum brasileiro dedicado ao personagem.
Compartilhe:

Nova audiência sobre o caso "Tintim no Congo"

Mais um capítulo da longa e monótona história sobre a polêmica obra de Hergé. Nesta segunda-feira, 22/11, um tribunal de primeira instância da Bélgica ouviu os argumentos expostos por Bienvenu Mbutu Mondondo (foto) e o Conselho Representativo de Associações Negras (CRAN) para proibir a publicação do álbum "Tintin no Congo", que consideram racista e ofensivo em relação aos africanos.


"Não queremos que seja um julgamento contra Hergé, e sim contra uma época na qual o racismo estava ancorado nas mentalidades", declarou o advogado de um dos autores da ação, referindo-se ao período em que a atual República Democrática do Congo era uma colônia da Bélgica.

O julgamento começou em 28 de abril, depois de processo aberto por Mondondo, cidadão congolês residente na Bélgica, e o CRAN da França. Caso não consigam a proibição do álbum, os autores da ação querem, pelo menos, exigir que as novas edições tenham uma faixa advertência e um prefácio onde se explique o contexto da época. Também é exigido que o álbum passe a ser vendido na seção de livros "para adultos" das livrarias.

A editora Casterman e a Moulinsart S/A, que detém os direitos comerciais da obra de Hergé, alegaram que o caso está fora da alçada do tribunal de primeira instância. A próxima audiência está marcada para o dia 8 de dezembro.

Com informações do Diário de Notícias.

:: Comentário: É óbvio que sou fã de Tintim, mas confesso que não sentiria pena da Moulinsart se o álbum fosse realmente proibido. Não acho "Tintim no Congo" uma história racista, longe de mim, mas acho que a detentora dos direitos autorais de Hergé precisa perder pelo menos uma vez. A Justiça da Bélgica é, na grande maioria das vezes, favorável à Sociedade Moulinsart, mas nem sempre por motivos justos. O nome "Tintin" significa muito para o país, tanto histórica como economicamente falando, então seria ruim para o próprio governo prejudicar uma de suas principais marcas - se não A principal. Mas que a Moulinsart precisa perder um pouco de seu poder monopolizador, disso eu não tenho dúvidas! Afinal, eu mesmo já senti na pele sua ação impiedosa.
Compartilhe:

sábado, 20 de novembro de 2010

Fatos em Fotos: Hergé e Andy Warhol


Em 1979, quando Tintim completava 50 anos, o artista americano Andy Warhol realizou uma série de quatro retratos de Hergé. Criador da Pop Art, Warhol foi um dos artistas que se inspirou na linha clara (ligne claire), estilo de desenho desenvolvido por Hergé nos quadrinhos de Tintim.

"Hergé influenciou meu trabalho tanto quanto Disney"

Os retratos de Hergé por Andy Warhol seguem o estilo característico do artista, famoso por obras que retratam artistas como Marilyn Monroe, Lisa Minelli e John Lennon. Abaixo você confere mais fotos do encontro entre os dois gênios da arte.

“Hergé foi mais que um desenhista de histórias em quadrinhos. Ele tinha uma forte dimensão política e satírica.”
O enontro aconteceu no ano de 1977.


Em 1983, ano da morte de Hergé, Warhol voltou a homenageá-lo. Desta vez, como tributo ao criador de Tintim, o pai da pop art produziu uma serigrafia batizada como "Quatre Boîtes de Crabe Extra", em referência às latas de caranguejo que serviam para contrabando de ópio no álbum "O Caranguejo das Tenazes de Ouro". Veja:

Compartilhe:

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

'O Segredo do Licorne': Imagens em melhor qualidade

A Moulinsart divulgou no Facebook oficial de Tintim todas as imagens do filme que saíram na revista Empire de dezembro. São as mesmas que nós já vimos antes, com a diferença de que, ao invés de screens da própria revista, agora temos fotos em boa resolução. Veja abaixo se elas não causam outra impressão...

A clássica cena de Tintim e Milu. E agora completa, pessoal da cozinha...

Tintim e Barnabé. A moto do repórter foi substituída por uma bicicleta?

Tintim e Haddock no deserto. Uma bela visão panorâmica.

Os detetives Dupondt no apartamento de Aristides Silk, batedor de carteiras.

Todos os direitos reservados à Moulinsart S/A.
Compartilhe:

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Blog responde: Revista Tintin


Está de volta a seção Blog Responde, que como o nome sugere, traz a respostas às questões enviadas pelos leitores. A pergunta da vez foi enviada pelo leitor Rodrigo há alguns meses, e já respondida por e-mail. Ele queria saber a respeito da revista semanal "Tintin", que trazia várias histórias em quadrinhos e, no final, uma página dedicada ao personagem de Hergé. 1. Como foram essas publicações? 2. Que historias continham? 3. Qual foi o período de publicação? Já faz um bom tempo que enviei as respostas ao Rodrigo, mas chegou a hora de compartilhar com vocês:

Capa da primeira edição belga.
1. Após o fim do suplemento Le Petit Vingtième (por causa da Segunda Guerra Mundial), as aventuras de Tintim começaram a ser publicadas no jornal Le Soir, que era mantido pelo regime nazista. Com o fim da guerra e a derrota dos nazistas, Hergé foi acusado de colaboracionismo e ficou sem emprego, dedicando seu tempo a reproduzir suas antigas tiras para serem reeditadas em álbuns. Foi aí que Raymond Leblanc, que planejava criar a editora Lombard, convenceu Hergé a lançar uma revista semanal de Tintim, inicialmente chamada Le Journal de Tintin. Com a influência de Leblanc, considerado herói da resistência belga durante a ocupação nazista, Hergé teve sua ficha limpa perante a nação, e ambos se tornaram colaboradores.

2. Apesar do nome, nem todas as edições traziam Tintim, mas incluíam também vários outros personagens criados por quadrinistas franco-belgas, o que a fez tornar-se líder de mercado na Bélgica. Durante o período em que foi publicada, a revista trouxe obras de artistas como Edgar Pierre Jacbos ("Blake & Mortimer"), Uderzo e Goscinny ("Humpá-Pá"), Jacques Martin ("Alix"), Tibet ("Ric Hochet"), além de republicações de Hugo Pratt e Will Eisner. Em 1949, Bob de Moor se juntou ao elenco de colaboradores da revista, iniciando uma parceria que duraria por toda a vida de Hergé. Com o êxito da publicação também fora da Bélgica, Hergé viu o sucesso de sua criação aumentar na Europa (em países como a Holanda, Portugal e França) e, logo depois, no resto do mundo, incluindo também o Brasil.

Capa comemorativa dos 40 anos da revista, com a participação de vários personagens.

Capa da 1ª edição brasileira.
3. A estreia da revista na Bélgica aconteceu em 26 de setembro de 1946 e o primeiro número trazia, além de aventuras de Tintim, histórias em quadrinhos de "Blake & Mortimer", "Corentin" e "A Lenda dos quatro filhos de Aymon", além de artigos de ficção e sobre piratas. Logo em seu primeiro número o semanário vendeu 60 mil cópias em poucas horas.

Em 1º de junho de 1968 foi lançada a primeira edição portuguesa, publicada em paralelo com a edição brasileira (que durou apenas 26 volumes), distribuída pela Bruguera e editada pela Íbis em parceria com a Bertrand. O fim da edição em língua portuguesa ocorreu em 20 de outubro de 1982, enquanto na Bélgica e na França a revista só foi extinta 1988. Depois disso, os leitores belgas tiveram a oportunidade de ler uma versão da revista, que passou a ser publicada pela Yeti Presse com o título "Tintin Reporter". Mas este título durou poucos meses, até ser substituído por "Hello Bédé", em setembro do ano seguinte. Por fim, a revista voltou a ser publicada pela Lombard, e teve seu último número lançado em 1993, dez anos depois da morte de Hergé.

:: Em tempo: Clique neste link para ver detalhes da primeira edição de Le Journal de Tintin, publicado primeiramente na Bélgica com o slogan "Para jovens de 7 a 77 anos". No brasil, a icônica frase foi adaptada assim: "Para o espírito dos jovens, para os jovens de espírito".

Imagem promocional da revista.
E você, tem alguma dúvida sobre Tintim? Mande um email para contato@tintimportintim.com com sua pergunta. O blog responde!
Compartilhe:

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT