segunda-feira, 11 de maio de 2009

Tintim e a Alfa-Arte 20

Pensou que ia ficar sem a continuação de nossa aventuras por mais uma semana?... Eu não seria capaz de fazer isso! Confira agora a vigésima página de Tintim e a Alfa-Arte. Mas antes, uma breve recapitulação dos fatos...
A história começa com um pesadelo do Capitão Haddock quase se tornando realidade: Bianca Castafiore está a caminho! Para escapar da indesejada visita, o velho lobo do mar praticamente foge de Moulinsart, e se esconde entre a multidão da cidade. Mas o que ele não esperava é que desse de cara com intragável cantora. A solução? Entrar na primeira porta que visse pela frente!

E não é que Castafiore acabou entrando naquela mesma porta - da Galeria Fourcart? Lá dentro, o Capitão conhece Henry Fourcart, dono da galeria, e Ramo Nash, artista jamaicano criador da Alfa-Arte - a arte com letras do alfabeto - em exposição naquele momento. Influenciado por Bianca, acaba levando para casa um exemplar da "Personalfa-Arte", que é incompreendida pelos transeuntes de Moulinsart...

Nesse meio tempo, fatos curiosos vão acontecendo: Bianca vai passar uns dias com o misterioso mago Endadine Akass; o Emir Ben Kalish Ezab anuncia a construção de um museu de arte moderna em seu país, Khemed; é noticiada a morte de Jacques Monastir, especialista em arte, num suposto acidente.

Mas o mistério começa mesmo quando Tintim fica sabendo da morte do Sr. Fourcart (aparentemente também por acidente), com que ele teria um encontro na noite anterior. Desconfiado, o jovem repórter sai em busca de explicações, e depois de conversar com Martine Vandezande, funcionária da Galeria Fourcart, parte para fora da cidade, rumo à oficina onde Fourcart costumava deixar seu carro. Mas ele não desconfia que está sendo vigiado e perseguido...

Os bandidos tentam, a todo custo, matar nosso destemido herói, mas seu pé quente não permite que nada de mal lhe aconteça, pelo contrário: quem acaba se dando mal são eles, que precisam roubar um carro para fugir. Agora com a certeza de que existe um crime envolvendo aquelas mortes, Tintim quer descobrir quem lhe entregou aos malvadões, o que o faz voltar a procurar a Srta. Vandezande:

Hum, será que ela não tem mesmo culpa no cartório? E o que é tão óbvio assim? Quer saber? Não precisa esperar até a próxima semana: confira a página 21 agora...

Tintim e a Alfa-Arte 21

E ainda nesta semana, não perca, mais uma página - ou quem sabe duas, três... - de Tintim e a Alfa-Arte!

P.S.: A postagem seria publicada originalmente no domingo. Mas devido a um problema no Blogger, não foi possível evitar o atraso.
Compartilhe:

6 comentários:

  1. Oba! Duas páginas de vez!!!
    Quero ver o desenrolar dessa história o mais rápido possível. E parece que agora vaai!

    ResponderExcluir
  2. Britto quantas paginas são no total?

    ResponderExcluir
  3. Claro, Britto!

    Desculpe não ter feito isso antes. O link de As Aventuras de Tintim já está no Blogaritmox

    Abração

    ResponderExcluir
  4. O pastiche segue o padrão dos originais de Hergé. Ou seja: 62 páginas no total.

    ResponderExcluir
  5. Muito legais essas duas páginas!

    Puxa Britto, são 62 páginas que você vai ter que editar? Um trabalhão mesmo!

    Por isso, muito obrigado por essas 21 páginas até agora! Valeu mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Gostei, engraçada essa Sra. Laijot!

    Estamos torcendo pra você conseguir, Britto. Não desista! É umpresente para os tintinófilos!

    ResponderExcluir

Fique à vontade para soltar o verbo, marujo!

Translate

Veja também

Veja também
Site oficial de Tintim

Arquivo TPT