TPT ENTREVISTA: JEAN-PIERRE TALBOT

Ele foi Tintim no cinema, e conta tudo sobre essa experiência fantástica

ESPECIAL DUPOND E DUPONT

Relembre todos os disfarces da atrapalhada dupla de detetives

COLEÇÃO OFICIAL DE FIGURAS CHEGA AO BRASIL

Já está disponível em sua cidade?

FIGURAS PRA TODO GOSTO

Saiba mais sobre como adquirir a sua!

O AVIÃO DE TINTIM

Moulinsart faz parceria com companhia aérea de Bruxelas

domingo, 19 de abril de 2015

WikiLeaks divulga e-mails da Sony Pictures

E você com isso? Bem, talvez lhe interesse se eu disser que eles também falaram de Tintim.

Antes, porém, vamos a um resumo da ópera: como você deve saber, no final do ano passado, um grupo de hackers invadiu os computadores da Sony Pictures Entertainment e vazou arquivos importantes do estúdio, como senhas, roteiros, filmes que ainda nem tinham chegado aos cinemas e e-mails trocados entre diretores. A situação colocou os executivos da multinacional em uma situação constrangedora, influenciando na saída da então presidente, Amy Pascal, do comando da companhia.


Na última quinta-feira, 16 de abril, o site WikiLeaks, famoso por divulgar documentos confidenciais do governo, publicou os mais de 30 mil arquivos vazados. Entre eles, há vários documentos relacionados aos planos de mídia do filme "As Aventuras de Tintim", de 2011. Muitos deles, inclusive, são referentes à divulgação do longa no Brasil, revelando propostas para emissoras de TV e inúmeras tentativas de parcerias com empresas - desde o ramo alimentício até o de combustíveis - para licenciamento da marca. Tentativas estas, aliás, que parecem ter sido frustradas, já que não vimos por aqui tantos produtos licenciados do filme.

Pois bem, o que mais chamou atenção foi justamente um e-mail da ex-presidente, Amy Pascal, que pode revelar o conceito de todo o estúdio sobre o filme de Steven Spielberg e Peter Jackson. Dirigido a Ariya Watty, assistente da presidência do grupo, o e-mail, que não tem muitos detalhes, é datado de 09 de outubro de 2014, e pode ser lido aqui.

Na mensagem, a ex-presidente da Sony fala dos filmes em que "nós [o estúdio] somos bons", listando franquias como "Os Caça-Fantasmas", "Homem-Aranha", "Anjos da Lei", "Os Smurfs", "007" (todos estes com pelo menos mais uma sequência confirmada) e até "todos os filmes de Adam Sandler", só pra citar alguns.

Em seguida, ela comenta as "bombas" do estúdio, entre elas as animações "Operação Presente" e "Piratas Pirados", os remakes de "O Vingador do Futuro" e "Besouro Verde", dois filmes de Adam Sandler (sério?) e "Tin tin" (sic). O e-mail sequer é assinado, com aquela mensagem padrão "este conteúdo é de total responsabilidade de seu autor, e não da empresa, e etc, etc...". Mas, o fato é que todos os filmes rotulados como "bombas" realmente não tiveram uma bilheteria satisfatória. E vamos admitir, meus caros: isso inclui "As Aventuras de Tintim".


Tá, mas e o que importa a opinião da Sony? Bom, talvez você também se lembre que o estúdio é co-detentor dos direitos cinematográficos de Tintim, junto com a Paramount. O que significa que, não vendo lucro na marca, não é vantajoso para o grupo investir em produção, marketing ou distribuição. Considerando que a Paramount não vai querer assumir o risco sozinha, chegamos à conclusão: sem financiamento, sem filme. 

E só para relembrar: caso o filme não seja feito até 2017, os direitos voltam para a Moulinsart.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

"As Jóias da Castafiore' ganha espetáculo ao ar livre

A associação Opéra pour Tous (Ópera para todos), que completa 20 anos de ópera ao ar livre, adaptou o álbum "As Jóias da Castafiore" em uma comédia lírica, que será apresentada no Château de La Hulpe, Bélgica, de 17 a 27 de setembro de 2015. A montagem contará com composições famosas de Mozart, Verdi, Rossini, Puccini, Wagner, Offenbach, Gounod, entre outros. Este último, aliás, é o criador da famosa "Ária das Jóias", a mais recitada pelo Rouxinol Milanês nas páginas dos álbuns de Hergé.

Clique aqui para conferir o site oficial do evento, e saiba alguns detalhes bem interessantes abaixo.

O álbum

"As Jóias da Castafiore" é uma história incomum de Hergé, em que toda a ação se desenrola no Castelo de Moulinsart e arredores. Os personagens não viajam a nenhum país exótico, como de costume, mas tentam desvendar o mistério envolvendo uma valiosa esmeralda da cantora lírica Bianca Castafiore. Hergé chegou a revelar que, "a partir deste álbum, minha ambição era a de simplificar ainda mais", contando "uma história em que nada aconteceria ... Só para ver se eu era capaz e manter o leitor em suspense até o fim".

A adaptação

Além do tom de humor e mistério, a aventura tem uma pegada muito musical, principalmente com os ensaios de Castafiore e do pianista Igor Wagner, a participação da fanfarra de Moulinsart, a música cigana e, claro, a esperta referência à gazza ladra (título de uma composição de Rossini). A ópera pretende seguir a estrutura dos quadrinhos, 'combinando drama e comédia, paródia e poesia em uma narração musical contínua e fluida', com a promessa de uma homenagem a Hergé e Mozart no final.

As árias tiveram as letras reescritas para narrar a história do álbum de Hergé. Você pode ver a lista completa no site oficial, clicando aqui. "Esperamos dar uma nova vida, com grande lealdade e grande respeito aos heróis tão perfeitamente desenhados pelo autor", afirma François de Carpentries, um dos responsáveis por esta empreitada.

Nick Rodwell (à esquerda) ao lado da equipe da "Ópera para Todos"
O elenco

A Orquestra de Câmara Nuove Musiche será responsável pelo musical, que terá no elenco nomes consagrados da ópera belga, além de um Tintim de 13 anos de idade. O Capitão Haddock não será um cantor, mas sim um ator; o que é compreensível, dada a aversão do personagem à música clássica. Para ver as fotos do elenco completo, clique no link.

Castafiore, Tintim, Haddock e Girassol
Hélène Bernardy - Bianca Castafiore
Michel de Warzée - Capitão Haddock
Amani Picci - Tintim
Axel Everaert - Prof. Girassol
Pierre Doyen - Dupond
Thierry Vallier - Dupont
Daniel Galvez-Vallejo - Serafim Lampião/ Papagaio Coco
Joëlle Charlier - Irma/ Velha cigana
Nabil Suliman - Nestor/ Açougueiro
Vincent Bruyninckx - Igor Wagner

O castelo

O Château de La Hulpe, construído em 1842, já recebeu outros eventos como este. O primeiro, em 1995, reuniu um público de 7.500 espectadores, para assistir a ópera ao ar livre "Don Giovani". De lá pra cá, o espaço apresentou óperas consagradas, como "Carmen", "O Barbeiro de Sevilha", "La Traviatta", "Aida", entre outros.

Modelo do cenário que será montado no Château de La Hulpe.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Um recado do Wolverine


Fique ligado )'')


terça-feira, 17 de março de 2015

Agora "Tintim na América" é acusado de racismo

Depois da longa novela envolvendo "Tintim no Congo", outro álbum de Hergé se torna alvo de polêmica. Desta vez, é a terceira aventura do repórter belga, "Tintim na América", sofre acusações de racismo. Publicado em 1932, o álbum retrata a viagem de Tintim aos Estados Unidos, onde ele interage com cowboys e índios norte-americanos. É justamente o segundo grupo que tem sido visto como alvo de discriminação racial.


Moradores de Winnipeg solicitaram a uma livraria local a retirada do álbum das prateleiras, considerando pejorativa a visão dos povos nativos, que são chamados de "peles-vermelhas". A livraria Chapter's retirou temporariamente o título do alcance do público, antes de colocá-lo novamente à venda. Segundo o RTBF, eles explicaram que um livro é removido "se incitar à violência, se contém pedofilia ou instruções sobre a fabricação de armas".

"Eu acho que isso alimenta estereótipos", declarou Leslie Spillett. "Os índios são retratados como criaturas selvagens e perigosas, seres que devemos temer... E o pequeno Tintim está ali, indefeso", continuou a advogada, que fez da defesa dos índios americanos a luta de uma vida, ao Le Figaro.


Para Benoît Peeters, biógrafo de Hergé e estudioso de Tintim, esta "é uma acusação grotesca". O escritor pede que lembremos do contexto, e ressalta que Tintim também aparece a favor dos índios no álbum, quando luta contra os exploradores de petróleo. "Esse tipo de acusação me entristece", continua.

Quando questionado sobre o motivo da "perseguição" a Tintim, Peeters responde: "Porque ele é conhecido, e porque não deixa de ser editado e republicado. Porque Spielberg o adaptou ontem, e ele certamente será adaptado amanhã. É tão fácil procurar defeitos nos outros ... mas isso não resolve em nada o verdadeiro problema que é o racismo."

Quer saber mais sobre Tintim na América, o contexto histórico e as alterações que a censura norte-americana impuseram a Hergé? Clique aqui e confira o especial completo do TPT.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Moulinsart inaugura o avião de Tintim

Hergé tem uma longa história de amor com aviões. Em toda aventura de Tintim uma aeronave está lá, em diferentes versões. O criador do repórter conseguiu acompanhar a evolução da máquina de voar ao longo dos anos, e seus herdeiros parecem ter o desejo de fazer o mesmo. Foi assim com o avião movido a energia solar, o Solar Impulse, no ano passado, que teve uma ampla divulgação pela Moulinsart, como se fosse uma invenção própria do Professor Girassol. Continuando a parceria com a Brussels Airlines, foi apresentado hoje um avião temático, com as 'cores de Tintim'.


O Airbus A320 foi decorado no estilo do submarino tubarão do Prof. Girassol, que aparece na capa do álbum "O Tesouro de Rackham, o Terrível". Segundo Nick Rodwell, administrador da Moulinsart S.A., "havia um monte de ideias sobre a mesa em torno do projeto. Poderia ter sido o foguete de 'Rumo à Lua', mas nós escolhemos, por unanimidade, o submarino, e estamos muito felizes com o resultado". O artista André Eisele foi contratado para pintar a ilustração diretamente na aeronave.

Fanny Rodwell, herdeira de Hergé, também esteve presente no lançamento.
Um trabalho similar foi feito no passado, quando Asterix e Obelix estamparam uma aeronave da companhia. Mas, naquele caso, além de ter durado apenas alguns meses, a imagem foi impressa em adesivo e transferida para a aeronave. No caso do "Rackham", um projeto cuidadoso garantiu que a gigante ilustração se encaixasse perfeitamente nas curvas da fuselagem. O interior da nave também é decorado com imagens de Tintim e seus amigos.

Foto: RTBF
Foto: RTBF
Durante quatro anos, os passageiros da companhia aérea belga terão a oportunidade de voar no avião de Tintim, que estampa na fuselagem os dizeres: 'Brussels Airlines - nós te levamos à casa de Tintim'.

:: Vídeos:

Inauguração do Airbus Rackham A320


Bastidores da pintura da aeronave


:: Alguns dados interessantes:

  • O avião tem 37,5 metros de comprimento e 11 de altura;
  • A equipe gastou cerca de 1.500 horas realizando a pintura;
  • Foram gastos 360 litros de tinta; 5 km de fita; 10 dias e 22 pintores por dia;
  • A viagem inaugural, de Bruxelas a Toulouse, sede da companhia aérea, durou 1 hora e 45 minutos;
  • Um site foi criado para os fãs de aviões e de Tintim: www.brusselsairlines.com/tintin;
  • A hashtag #SNRackham foi criada para motivar os fãs a compartilhar fotos do avião nas redes sociais quando o virem passar;
  • O desenho será mantido na aeronave até 2019. Ou seja, programe-se!